Como diriam os Titãs…

Um comentário do Tuzi ficou me incomodando esses dias.

Falando da Benedita, ele notou que, por ter comido o pão que o diabo amassou com o rabo, ela deveria ter aprendido a evitar cair nessas armadilhas da vaidade em que está sempre caindo.

O Tuzi comete o mesmo pecado que eu: acreditar que a experiência negativa nos ensina a evitá-las.

Temos a noção meio romântica de que a pobreza nos ensina invariavelmente a ter um senso de ética mais rigoroso e mais humano. Sei de alguém que acreditou ainda mais nessa idéia, um velhote barbudinho chamado Karl Marx. A idéia de que o proletariado, ao se desenvolver e organizar, acabaria optando pelo socialismo é apenas essa noção enfeitada por uma base teórica hegeliana.

Infelizmente, todos nós estamos errados, mesmo que as nossas crenças — talvez fosse mais adequado dizer fé — sejam mais bonitas.

Miséria não ensina nada a ninguém, a não ser talvez que é sempre urgente evitá-la.

3 thoughts on “Como diriam os Titãs…

  1. Ah é… vamos ver como eu me comporto durante essa minha fase famosa. hehehehe

  2. Uau! Muito bom! Excelente post. E eu concordo com isso. Miséria não ensina nada. Louvar a pobreza faz parte do lado ruim do cristianismo. E todo mundo quer conforto na vida. Quem é que vai querer aprender com sofrimento, né? Mas, sei não… Marx, velhinho barbudinho??? Será que ele e Papai Noel são a mesma pessoa? hehehe… Nessa história, fico sem saber quem é o Clark Kent e quem é o Superman. (essa coisa de chamar o Marx de velhinho barbudo ficou um mimo de charmosa)

  3. É, talvez Lula acabe por formar a nossa opinão sobre isso. Alias, é nisso que ele se apoia, pra conseguir crédito com o povo. Faz questão de dizer que ja esteve no meio do povo, que ja foi “peão”. Que ele não esqueça o gosto do “pão que o diabo amassou”. Mesmo que eu esteja errado, gosto de pensar que as pessoas aprendem com suas proprias experiencias. Um abraço.

Leave a Reply to Tuzi Cancel reply

Your email address will not be published.