A última sessão de cinema

Talvez eu tenha presenciado um momento histórico do cinema, o fim de uma era.

Levei minha filha e meus sobrinhos para assistir a “Irmão Urso”, o mais recente desenho da Disney. Não é brilhante, embora não chegue a ser uma decepção fragorosa como “Mulan” ou “Hércules”.

Mas a qualidade do filme é o menos importante. Circulam boatos de que este é provavelmente o último desenho da Disney produzido em animação tradicional. A partir de agora a Disney se limitaria aos desenhos computadorizados, como “Procurando Nemo”, feitos em sua parceria com a Pixar. Aliás, tendo em vista que o pau vem quebrando no board da Disney (com Roy E. Disney renunciando e atacando Eisner), já tem gente recomendando que Steve Jobs assuma aquela joça, já que os filmes que sua Pixar produz são o que a Disney lança de melhor.

Se isso é bom ou ruim é difícil dizer. Por um lado, é a evolução natural da indústria, e contra isso não há remédio além dos resmungos impotentes dos velhos puristas. A arte continua, apenas mudam suas ferramentas. Por outro, é um daqueles exemplos em que a ferramenta é decisiva no resultado final. O traço bidimensional pode até ser arcaico, mas é único, belo, e não merece chegar ao fim. Há uma arte específica no desenho animado feito traço a traço.

Pode ser exagero, mas é como se perdêssemos um pouco de humanidade ao nos restringirmos cada vez mais aos computadores no que temos de mais humano: a arte.

4 thoughts on “A última sessão de cinema

  1. Eu soube de um trabalho do Walt Disney em parceria com Salvador Dalí, acho que vão fazer algo com isso. Mudando de assunto: Rafael, digita Beatallica no Kazaa, os caras do metallica fizeram alguns covers do beatles, ficou legal. Até mais.

  2. O que acho triste às vezes nesse domínio das ferramentas tecnológicas em certos tipos de expressão artística é o fato de que restringem a arte, pois a ferramenta de expressão é indissociável do objeto artístico, não é? Ou não?

  3. E, dessa forma, que venha o computador, mas que venham também os lápis, canetas, nanquins, tintas, o dedão no papel, a massa de modelar…

Leave a Reply to Monica Cancel reply

Your email address will not be published.