Ele era o cão

O jogo foi deprimente, assim como as “inovações tecnológicas” da Globo. Foi uma despedida com pelo menos 5 anos de atraso. Foi indigno do Brasil e do homem que ganhou a copa de 94 auxiliado por mais dez jogadores.

Mas quando Romário levantou a camisa amarela e mostrou, por baixo dela, que “Eu tenho uma filhinha Down que é uma princesinha”, ele redimiu tudo aquilo.

12 thoughts on “Ele era o cão

  1. Eu não vi o jogo mas adoro o Romário…
    E esse é um post é um fofo falando de outro.
    Beijos!

    (Ficou bem melhor sem aquela última frase ;))

  2. Aquela câmera é feia, atrapalhava a imagem das outras algumas vezes, balançava, dava náuseas. Enfim, uma droga completa.

  3. oi rafael,
    o baixinho merece todas as homenagens mesmo.
    na minha modesta opinião, levou aquele time de 94 nas costas.
    qto a cam nova, que busca mostrar a visão dos games de futebol, acho que a idéia tem futuro sim. ontem foi apenas o “batismo de guerra”. o que eu estranhei bastante foi a qualidade da imagem, achei meio “distante”. nos games funciona bem pq a definição da imagem dos monitores é muito superior às das tvs. até gostaria de saber se mais alguém sentiu essa diferença, pq vi o jogo na tv de 14”(não saio da frente do comp…rs*)
    fiquei triste com a despedida do baixinho. o lance da camiseta foi muito bacana mesmo. 🙂
    abraços.

  4. Como toda estréia a nova cam tem muito para melhorar e promete. O jogo foi deprimente demais, começando pela escalação do time – nada contra os novatos, mas exagerou.

    Falando do no mínimo, eu vim pra cá depois de ler a matéria lá.
    E gosto não se discute, por isso não comentei coisas como qual a melhor cena de “Era uma vez na américa”.

    parabéns e um abraço.

  5. Romário é uma espécie de unanimidade: não existem pessoas indiferentes. Ou você gosta ou detesta. E realmente, a mensagem na camiseta humaniza a figura do “baixinho marrento”.

    Sobre a festa da Globo, a câmera de porre era só um detalhe. A torcida paulistana tratou de fazer o resto: rasgou o bandeirão dos 40 anos, xingou Galvão e Casagrande, gritou “SBT”… Nunca mais o plim-plim vai promover qualquer festividade esportiva em Sampa.

  6. Que linda a mensagem do Romário. Não tenho opinião formada sobre ele como atleta (às vezes é um gênio, em outras me parece indisciplinado, preguiçoso), sei que como marido nunca foi dos melhores, mas isso não o impede de ser um pai bacana e de saber usar a sua fama para ajudar uma boa causa.

  7. uma coisa que eu gostei no jogo:

    a torcida em coro falando “galvão, vtnc!”

    ele poderia ter sido hipócrita e ter falado “ah, o carinho da torcida aqui no pacaembu…”

    uma coisa que eu não gostei no jogo:

    romário, no intervalo, reclamando que o jogo deveria ter sido feito no rio de janeiro.

    o romário calado é um poeta, ele deveria pegar uma chuteira e colocar na boca. (justo quando eu estava começando a gostar do romário, só por essa frase dita ao pelé, ele pega e lança uma dessas?…)

    []’s

  8. Olá!
    Sempre admirei o Romário jogando bola, extra-campo não me parece ser tão genial. Não me parecia, ou melhor dizendo. Uma vez que assumir todos os filhos em toda plenitude, tenho de reconhecer, ele é o cara “mermo”!!!

Leave a Reply to Kleber Cancel reply

Your email address will not be published.