Por que a Denise Arcoverde é uma idiota

Definitivamente a Denise Arcoverde, a maluca que discutiu com o finado Smart Shade of Blue e foi parar no hospital, é uma idiota.

Dessa vez ela se levantou nas patas traseiras, murchou as orelhas e, reclamando de alguém que ela chama de troll, zurrou bem alto essa pérola de inteligência:

Interessante é que o domínio do site acima é propriedade de uma empresa que fica em Aracaju, Sergipe. Por uma incrível coincidência, essa é a cidade onde vive um blogueiro, que se deu ao trabalho de fazer um post me esculachando, me citando nominalmente, incluindo o link do meu blog e se vangloriando de ter sido responsável por minha ida ao hospital, por causa de uma briga por causa dele. Mundo pequeno?

Teorias conspiracionistas exigem um mínimo de inteligência, coisa que a Arcoverde não parece ter. A conclusão brilhante — para uma anta — foi: se é de Aracaju, é do Rafael Galvão. É como se eu achasse que só porque a Arcoverde mora em Washington todo mundo lá é burro.

Mas o pior, mesmo, é que a anencéfala misturou algumas coisas: o post a que ela se refere não foi propriamente uma “esculachada”, mas um relato do que tinha acontecido; até então eu nunca tinha tocado no assunto neste blog, ao contrário dela que, como boa ativista feminista que acompanha o marido a qualquer lugar aonde o trabalho dele o leva, não deve ter o que fazer e, tendo num blog sua única atividade “produtiva” e prazerosa, precisa de motivação e resolveu entrar numa briga que não era dela.

Além disso, não fui eu quem mandou a parva ao hospital. Nunca me vangloriei disso. Ela foi ao hospital por discutir com o Smart, não comigo. E mesmo o Smart não foi o responsável pela crise histérica da macróbia. Não, o Smart não teve nada a ver com isso. O responsável foi apenas o desajuste mental dela. Uma pessoa que passa mal por uma discussão com gente que nem conhece não pode ser normal. Nem de longe. Coisa de gente que fica tempo demais diante do computador e tempo de menos simplesmente vivendo.

(E reclamar de citações nominais é até uma agressão à tal da ética blogueira. Feio é ficar falando sem links, para que nego não saiba que se está falando dele e você possa falar a asneira que quiser. Daí por que a Denise Arcoverde é uma imbecil: como eu sou grosso, mas sou ético, se eu quero falar especificamente de alguém posso garantir que falo com os devidos links, para que não fiquem dúvidas; portanto, as ilações estapafúrdias da pseudo são típicas de alguém muito curta das idéias. Além disso, como a ausência de posts recentes neste blog denota, eu tenho mais o que fazer do que ficar atazanando uma maluca desocupada. Eu mal lembrava que a moça existia; mas ela parece precisar de atenção. Washington é uma cidade fria.)

O Marcus Pessoa tentou mostrar a Luz à moça nos comentários (por “luz”, neste caso, entenda-se raciocínios básicos que qualquer pessoa com inteligência mediana é capaz de desenvolver); mas gente burra, quando bota uma idéia na cabeça, não tira mais, e se acha genial por isso:

Agora, que foi uma coincidência interessante o domínio desse arquivo flash estar em Aracaju, onde vive aquela criatura que também tripudiou da minha saúde, ahhh isso foi mesmo… dá o que pensar…

Eu não tripudiei da saúde dela. Tripudiei, sim, do seu desequilíbrio emocional e da sua falta de inteligência. E o pior é que o tempo passou e a néscia ainda não conseguiu um grama a mais desse artigo que, aliás, nem é tão raro assim — o que torna gente tão estúpida ainda mais exótica.

O único conselho que eu posso dar, nesse caso, é o seguinte: não pense, Denise. Não pense, que sua cabeça deve doer. De pensar morreu muito burro. E a continuar nesse ritmo, você vai acabar tendo que mudar o nome do seu blog para “Síndrome de Rett”.

17 thoughts on “Por que a Denise Arcoverde é uma idiota

  1. Rafael , a sd de rett é um transtorno descrito até o momento unicamente em meninas, caracterizado por um desenvolvimento inicial aparentemente normal, seguido de uma perda parcial ou completa de linguagem, da marcha e do uso das mãos, associado a um retardo do desenvolvimento craniano . A perda dos movimentos propositais das mãos, a torsão estereotipada das mãos e a hiperventilação são características deste transtorno. O desenvolvimento social e o desenvolvimento lúdico estão detidos enquanto o interesse social continua em geral conservado. A partir da idade de quatro anos manifesta-se uma ataxia do tronco e uma apraxia, seguidas freqüentemente por movimentos coreoatetósicos. O transtorno leva quase sempre a um retardo mental grave.
    Era isso mesmo que voce queria dizer??

  2. Rafa. Mesmo que um dia eu te odeie, eu discorde de você, ou eu queira te matar. Eu juro, vou puxar seu saco. Aliás, eu quero ser sua amiga, sempre, quero morrer sua amiga. rsrs Bjs fofo.

  3. Putz, Rafael! Você joga pesado, hein?! Veja, não há nda errado com isso. Eu também fico puto da vida com gente de perfidez dissimulada. Quer dizer que a Denise Arcoverde, do Sindrome de Estocolmo, é dessas coisas? O problema agora (ou solução, não sei) é que tanto o Rafael Galvão, como O Sindrome (de que mesmo?) neste engalfinhamento ficam a brilhar e a dar assunto, como Lula e o Ronaldo Gordo! Talvez isso tudo seja mal entendido, há sempre esta possibilidade.
    Olha, estou contigo!!!

  4. Eu gosto do blog Síndrome de Estocolmo, embora ele não esteja no meu Bloglines. No entanto, o post em questão demonstra que a autora tem conhecimentos absolutamente débeis sobre tecnologia, e um certo desequilíbrio ao lidar com as críticas.

    Mas Rafael, essa sua resposta também não demonstra um grande equilíbrio não. As insinuações idiotas contra você ocuparam 10%, se tanto, do texto. Ela queria falar mal do tal Zundi e era sobre ele o texto. Seria mais esperto simplesmente ignorar a indireta, ou então ameaçar buscar na justiça a reparação da calúnia. Colocado do jeito que foi, é o tipo de coisa que gera somente calor e nenhuma luz.

  5. Ei, eu já disse que DE-TES-TO essas feministas que te perseguem? Pois é, eu DETESTO!
    Só eu conheço três pessoas em Aracaju: você – infelizmente não pessoalmente – a Isabela, do ByIsabela e um amigo professor que fez pós comigo. Mas é claro, que essas coisas malignas só podem sair de uma cabeça em toda Aracaju, né? A tua!
    🙂 Sua fã, sempre.

  6. Nessas horas é que me ácomete uma enorme saudade d’O PASQUIM (o finado, lá da década de 70!…manda esse senhora entubar uma brachola! Ou enfornar um robalo! Ou – quem sabe? – se roçar nas ostras!

  7. Devíamos todos brigar mais na blogosfera, devíamos nos insultar, estapear, cuspir na cara, puxar cabelos e sair rolando pelo chão. Pura diversão. 😉

  8. Tô com o Roger!
    ‘Bora brigar mais, gente!!
    Sugiro uma competição – ou eleição – para ver quem tem o maior ego de toda a blogolândia nacional.

  9. Pô, Rafael! Uma vagaba que escreve “agora vou malhar, vou almoçar num restaurantezinho indiano, vou pro cinema assistir ‘An Inconvenient Truth’… enfim, ser feliz, que é o que mais incomoda a essa gentalha…” está precisando de vara. Perder tempo com isso? Fala sério, ninguém merece…

  10. Agora foi que me toquei de quem é essa moça. Já tinha visto uma vez há muito tempo o blogue dela, muito piegas, aquela vida meio à-toa contada como sendo a coisa mais interessante do mundo. Acho esse tipo de blogue um saco, mas enfim, é um estilo.
    Agora, que vara é sempre um bom remédio, lá isso é.

  11. RAFAEL GALVÃO ,ELA ESTÁ MESMO QUERENDO APARECER AS SUAS CUSTAS E TIRAR SEU DINHEIRO, CUIDADO!É DO TIPO QUE ARRUMA PROCESSO POR CAUSA DE UM PICOLÉ!
    – O talento , ela sabe que é impossível!Pois, vc é geniallllllll!
    – Outra coisa, ela é revoltada e só sabe decorar textos,ler,decorar e mais nada!
    – ela é o trém mais feio q já ví na minha vida!!!

  12. Pô, tenho q deixar minha parte. Acho aquela mulherzinha um tipico exemplo de pseudo-intelectual. Mulher é quarentona e escreve como se fosse um menina de 17. Já tive uma pequena rusga com esta no orkut, mulher é louca.

  13. Concordo com vc, Rafael, em gênero, número e grau. A Denise Arcoverde (que conhece de outros carnavais) sempre foi do tipo presepeira, tremeliqueira, escandalosa e teatral até não poder mais. É uma pessoa com uma necessidade patológica de aparecer, de ser admirada, elogiada, paparicada. Ego-trip é com ela mesmo. A sua análise da Denise é perfeita, quase didática. Seria bom que aqueles que, levados pela lábia e pelos belos dentes da ególatra, o lessem antes de caírem redondamente no canto de sereia dela. Beleza que ainda existam pessoas tão lúcidas como vc, cara! um beijão e boa sorte!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *