Novamente o cinema de autor

Foi o Pinheiro quem me lembrou.

A atual greve de roteiristas nos EUA deve servir para mostrar, de maneira cabal e irrefutável, que aqueles que defendem a tese do cinema de autor estão absolutamente certos, e que este blogueiro defendia posições erradas ao insistir que a função de direção não implica a autoria de um filme.

Como o autor é o diretor, a greve não vai mudar nada no sistema de produção de filmes e seriados. Os diretores vão fazer seus filmes normalmente. Afinal, os filmes são deles. Eles são os autores.

8 thoughts on “Novamente o cinema de autor

  1. Mas não é a toda a Associação de Roteristas e escritores que está em greve (com execeção ainda dos telejornais. Tem de Broawday, mas essa acabou ontem)?

    A Writers Guild of America, East (WGAE) e Writers Guild of America, west (WGAw).

    Se eu bem me lembro, todos os membros estão participando, o que está criando sérios problemas para a industria Hollywoodiana, já que sem produção, sem filmes. Sem filmes, sabe-se lá o que vamos ver daqui a algum tempo nos cinemas…

  2. Mas o fato de termos um diretor/autor não resolveria o problema de greve. E se por hipótese os câmeras, ou outros profissionais da sétima arte quisessem fazer uma greve? (…) Ou estou escrevendo besteira e não estou entendendo nada do que foi dito [escrito]?

  3. Joel Rogerio

    Os cameramen, iluminadores, maquiadores filmam iluminam e maquiam, não são autores do filme – não fazem trabalho intelectual, criativo. Se a câmera quebrar, a luz apagar ou a maquiagem acabar vpocê vai usar isso de argumento para dizer que eles (câmera, luz, maquiagem, os objetos mesmo, e não quem os utiliza) são os autores do filme?

    O diretor faz trabalho criativo ao contar a história do roteirista. Não penso que a discussão tenha acabado aí.

  4. se os letristas de rock decidissem fazer greve, só teríamos música instrumental?
    :^)
    tem autor que é como o chico buarque, que faz letra e música. esse é o woody allen.
    tem autor que tem parceria com um roteirista, juntos fazem filmes de autor, como michel gondry-kaufman. nesses casos, acho difícil o roteirista mandar o parceiro se virar sozinho.
    tem diretor que pega um roteiro e vira ele pelo avesso, coloca um monte de coisa pessoal nele. um exemplo é o john woo.
    quem não tem personalidade vai se dar mal com essa greve sim.
    :^*

  5. Oi, Rafael! Vim aqui pelo lance dos “Escravos de Jó” (devo ser o número 5000, né…), e acho q vc merecia fazer parte da comunicade orkuteana “Minha imaginação é foda”, kkk. Gostei do q li, e voltarei. E vou copiar o q vc falou dos tais escravos lá no NONSENSE, mas pode saber q vou deixar o copyright, viu?! Abs…

  6. Agora sei que entendi desde o primeiro instante. Não por ser teimoso tentando sustentar minha opinião que sendo o profissional “diretor e autor” não resolveria definitivamente o caso de greves, mas me recordei de uma piada que faz referência ao corpo, onde todos os órgão se julgavam mais importantes que os outros, por fim escolheram o coração, porém o c* se rebelou e resolveu apertar lá embaix. Passou o primeiro dia, o segundo, o terceiro e o cú não deixava sair nada por lá. Foi quando o restante dos órgãos começaram a sertir-se mal, o coração começou a bater fraco, o cérebro não pensava direito, a visão começou a ficar turva, a pele começou a empipocar, emfim, todos os órgãos estavam se sentindo mal. Diante destes fatos, o coração resolveu fazer uma reunião de emergência com todos os órgãos, menos o cu foi chamado. O coração disse, vamos chamar o c* para participar da nossa reunião e vamos dizer a ele que ele é o novo rei dos órgãos, mas só de mintirinha. Aí ele libera lá embaixo e todos nós vamos ficar aliviados. O c* foi chamado e aclamado o Rei do corpo. MAS ISSO É SÓ UMA piada para ilustrar a importância de todos num processo. (Fiquei com a sensação que mandei mal pra caramba, mas vai!)

Leave a Reply to Joel Rogerio Cancel reply

Your email address will not be published.