Deus e o diabo

O mais me fascina em quem acredita em Deus é a maneira como eles estão dispostos a acreditar em um ser superior sem começo nem fim, sem nenhuma explicação, que criou toda a matéria do nada e vai continuar existindo a despeito de tudo o que achamos, e ainda assim não conseguem perceber a beleza e a similaridade da idéia de que tudo o que existe é grande e belo o suficiente para dispensar um criador, matéria sem começo nem fim, sem nenhuma explicação, e que vai continuar existindo a despeito de tudo o que achamos.

O que mais me fascina em quem não acredita em Deus é a maneira como eles estão dispostos a acreditar que tudo o que existe é grande e belo o suficiente para dispensar um criador, matéria sem começo nem fim, sem nenhuma explicação, e que vai continuar existindo a despeito de tudo o que achamos, e ainda assim não conseguem admitir a beleza e a similaridade da idéia de um ser superior sem começo nem fim, sem nenhuma explicação, que criou toda a matéria do nada e vai continuar existindo a despeito de tudo o que achamos.

E o que me irrita em uns e outros é a maneira que, ao fazer proselitismo de suas crenças, abdicam da razão e se igualam na mesma lama da ignorância.

32 thoughts on “Deus e o diabo

  1. Quem disse que tudo é grande e belo? Você já parou para pensar que em nosso mundo coabitam o Bento XVI, o Kim Jong-Il, as baratas e as centopéias?

  2. caramba meu amigo …
    vem cá dá um abraço vai . … fica assim não .. pode chorar se quiser …
    vamo lá no bar que eu te pago um bebida. Fica assim não ….

  3. É difícil este papo.

    Eu por exemplo, diria que acredito a meu modo, e costumeiramente me pego desacreditando. O problema é se desacreditar, aí sim eu estaria perdido.

    Em verdade, eu vos digo: Este lance de não poder ser provado, não é lá um argumento muito válido. Várias coisas já foram tidas e até mesmo “provadas” como inexistentes, e a história acabou por demonstrar que o homem não as compreendia, não as entendia e nem sabia as precisar ou medir. É um argumento meio tolo este meu :), pois nada mais é a longo tempo tentado uma prova que Deus – e ainda hoje muitos não acreditam, e muitos dos que se sentem/dizem crentes é por medo do inferno…

    Mas a pergunta seria? Consegues provar que ele não existe?

  4. Há quem diga que a prova da existência de Deus é a impossibilidade de provar que Ele não existe. E também há aqueles que dizem que a prova de Deus não existir é a impossibilidade de provar Sua existência. Há séculos discutimos, por séculos discutiremos. E assim vamos seguindo, em relativa harmonia. O que estraga, como sempre – sobre qualquer assunto – são os radicais, de um e de outro lado. Mas, fazer o quê… é a vida!

    Texto bem escrito, Rafael.

    PS.: A propaganda no topo do post é sobre a chegada do anticristo… tudo a ver! 😀
    Vade retro!!!

  5. É o tipo de crença que não modifica nada minha vida. Mas quando tenho alguma dor muito forte, apelo pra minha avó, que já morreu há um montão de tempo e sempre me benzia pra passar minhas dores. Acho que deus pode ser dispensável, mas a fé não. É preciso crer em alguma coisa. Minha avó, deus, os poderes de greiskul, qualquer coisa. Porque tirar das costas da gente a responsabilidade de tudo, de vez em quando , é muito bom.

  6. Claro que ha varias possibilidades muito bonitas, mas tipo qual a relevancia delas?
    É so estetica?

    Tipo nada disso e passivel de prova, mas um monte de coisa não e passivel de prova. Nem por isso acreditamos nelas.

    A verdade é que o universo é simplesmente mais complexo do que a gente pode compreender e temos que assumir que nunca iremos saber algumas coisas.
    Claro que podemos criar varias ideias bonitas, mas isso não vai deixar a verdade melhor.

  7. Eu sempre quis dançar lambada pelado com a mulher do capeta e gritar para ele: vem dançar chifrudo. É só o que espero do paraíso.

  8. Este texto foi um golaço de placa, Rafael! Perfect!

    Cê tá quase passando o Milton Ribeiro como meu blogueiro preferido! (brincadeira…)

  9. Agnóstico é o tucano espiritual. Está no Muro: é ou não é, existe ou não existe? Venha para o niilismo, Rafael, aqui não tem frescura.

  10. Completamente off topic, mas achei que tu ia gostar:

    The Day Lady Died
    Frank O’Hara

    It is 12:20 in New York a Friday
    three days after Bastille day, yes
    it is 1959 and I go get a shoeshine
    because I will get off the 4:19 in Easthampton
    at 7:15 and then go straight to dinner
    and I don’t know the people who will feed me
    I walk up the muggy street beginning to sun
    and have a hamburger and a malted and buy
    an ugly new world writing to see what the poets
    in Ghana are doing these days
    I go on to the bank
    and Miss Stillwagon (first name Linda I once heard)
    doesn’t even look up my balance for once in her life
    and in the golden griffin I get a little Verlaine
    for Patsy with drawings by Bonnard although I do
    think of Hesiod, trans. Richmond Lattimore or
    Brendan Behan’s new play or Le Balcon or Les Nègres
    of Genet, but I don’t, I stick with Verlaine
    after practically going to sleep with quandariness
    and for Mike I just stroll into the park lane
    Liquor Store and ask for a bottle of Strega and
    then I go back where I came from to 6th Avenue
    and the tobacconist in the Ziegfeld Theatre and
    casually ask for a carton of Gauloises and a carton
    of Picayunes, and a new york post with her face on it
    and I am sweating a lot by now and thinking of
    leaning on the john door in the 5 spot
    while she whispered a song along the keyboard
    to Mal Waldron and everyone and I stopped breathing

    ================================
    E se quiserem ouvir o John Updike lendo o poema, é só vir até aqui.

  11. Mas Perrusi…

    Eu não sou agnóstico. Eu acredito em Deus. Só não acho que eu tenha que convencer os outros disso, a partir do momento em que não posso provar nem isso nem o contrário. 🙂

  12. Nunca consegui acreditar num mundo sem criador (como é que um serzinho sai do mar e se divide certinho em homem e mulher?). Me faltou fé pra ser ateísta.
    Não consegui acreditar num mundo cujo criador fica lá em cima só assistindo esse nosso espetáculo de decadência sem elegância. Me faltou estofo pra ser deísta.
    Mas acredito num criador com um propósito. Preciso é de humildade diária pra aceitar o princípio teísta.

  13. Epa, você escreveu igual, parece igual, mas não é igual. Não há essa similaridade de idéias, não.
    À mesma pergunta – Por quê? – crentes, agnósticos e ateus tem respostas diferentes, a saber:
    Crentes respondem: Porque sim. (Resposta que fulmina qualquer diálogo, muito usada para calar crianças.)
    Agnósticos respondem: Não sei. (Honesta, mas só)
    Não crentes respondem: Até onde sabemos hoje, dentro das nossas limitações, porque…

    Se um dia conseguirem construir um caixão do tamanho de Deus eu serei um dos que o carregará até a cova, se possível na alça da frente.

  14. Vc acredita em Deus?! Rafael, com um humor ferino desse, vc nunca irá ao Céu! Pense nisso, vc é incompatível com a ágora celestial. Bem, já que acredita em Deus, não vejo problema vc lá no Inferno; é mais divertido e, pelo menos, é quente (o Céu é branco, ou seja, neva, logo, faz frio). Abração.

  15. Nisso estou de acordo. Eu nunca fui abordado por ateus com argumentos tão acintosos como os dos crentes em deus.

  16. Bom. Muito sucinto. Direto ao ponto.

    É possível dizer que é uma tanto misteriosa o surgimento da vida, seja ela advinda de processos naturais ou sobrenaturais.
    Mistério por mistério, a grande vantagem teórica do processo natural sobre o sobrenatural é que é fácil demonstrar que a natureza existe.

    Navalha de Ockhan.

  17. Deus e o diabo. Um justifica o outro, e ambos foram criados por grupos sociais(principalmenlte a igreja) dominantes ao longo dos milênios.

  18. Fui lá ver teu post sobre o inferno, se é melhor ou não do que o céu. Mas é melhor só na imaginação de quem inventou o inferno. Ou pelo menos inventou um inferno não-bíblico. Vamo lá com meu parco conhecimento: na bíblia fala de um céu eterno, mas não de um inferno eterno. o tal inferno é a destruição rápida pelo fogo e só. ou seja, pelo visto andam fazendo propaganda enganosa do inferno.
    nesse caso, tô com o rafael. prefiro o céu. se for o céu da bíblia, e não o céu da mente de pregadores fantasiosos.
    como eu já disse, o negócio é humildade pra aceitar que o céu da bíblia é fato e não boato. ai, minha santa aposta de Pascal. conheces?

  19. Sobre esse assunto eu só tenho uma coisa a dizer:

    “Senhor! Livrai-me de seus seguidores”

  20. o ceu,
    o inferno,
    o psdb, opsss, o purgatório,
    ficam todos no mesmo lugar:
    sete palmos abaixo.
    até lá, então.

  21. Gostei da resposta do Victor Freire…” pessoalmente acredito em Deus, mas acho que Ele acredita que eu devo fazer meu papel na terra sem precisar muito Dele”.
    Minha opinião:
    Acredito que existem ” coisas ” mais interessantes e ricas para nos preocuparmos, vendo o rolar da direção desse nosso misero planeta.
    O que esta acontecendo hoje é fruto de nossa mesquinhez, arrogância etc… que detonaram ao rumo de se preocuparem se Deus existe ou não…
    Como era bom quando aprendemos a fazer uma ” Redação ” um ” Ditado ” e tinhamos pavor quando era dito com rapidez, fazer uma ” Descrição ” uma ” Dissertação “, encapar uma brochura…bah! que ridículo…hoje temos outra preocupação…será que Deus existe?

Leave a Reply to Oliveira Cancel reply

Your email address will not be published.