Onde está o Noronha? Mas que fim levou o Noronha?

O velório era numa capela mortuária do centro de Aracaju, dessas casas funerárias que oferecem o serviço completo para quem já não se importa com isso.

O caixão estava entre quatro círios opacos, velhos amigos de outros tantos velórios, e sentadas em bancos encostados às paredes as pessoas conversavam em tom baixo, como sempre se conversa quando há um caixão à frente; não por respeito ao defunto esverdeado adiante, mas em respeito à própria reputação, porque dali não deve sair ninguém cochichando “Você viu a Abigail falando alto? Meu Deus, aquela zinha não respeita sequer os mortos.”

A moça chegou deixando claro que havia chegado. Tem gente que chega assim, de uma maneira que não se faz notar por si própria, delicadamente e por méritos seus, mas agarra os outros pela gola e os obriga a perceber que agora há mais alguém na sala. Ela parece ser uma delas.

Vestia cabelos louros e bijuterias vistosas, envergava um vestido estampado com um decote largo e profundo nas costas, calçava saltos altíssimos.

Ela entrou na sala sem prestar atenção a ninguém, e se jogou sobre o caixão em meio ao cheiro enjoativo dos cravos.

— Meu paaaaaaaaaaaaaai!

Entre o pranto escandaloso e a dor repentina, ela parece ter olhado de soslaio para a audiência, que a observava calada, e mais calada que todos a mulher do finado, que a olhava com olhos grandes, grandes demais. A presença de um bocado de gente desconhecida deve tê-la feito olhar para o caixão sobre o qual se debruçava.

E ali estava um negão gordo que ela nunca tinha visto antes.

Ela não falou nada enquanto saía, calada, seus saltos altíssimos ecoando pelo corredor. Mas, como contaria mais tarde, nem mesmo ela conseguiu deixar de rir enquanto saía pela capela procurando a sala onde estava o seu morto.

5 thoughts on “Onde está o Noronha? Mas que fim levou o Noronha?

  1. Se ela for como eu, deve sentir a meeessma vergonha e ter acesso de riso tooooodaaas as vezes que ela lembrar. Bjs

  2. ‘Vestia cabelos louros e bijuterias vistosas’. Mto bom, Rafa! Só vc!!!!
    Sim, adorei o ‘aquela zinha’ … 😉
    Beijão,

  3. Perfeito! O lance do vestir os cabelos então…lembrou o Aldir, nos áureos tempos da parceria com o João e das crônicas d’O Pasquim.

Leave a Reply

Your email address will not be published.