Os velhos tempos é que eram bons

Sou só eu, que por alguma razão obscura não consigo deter a passagem do tempo, ou as coisas estão ficando sem gosto?

O presunto, por exemplo. Hoje é uma coisa aguada, insossa. Para se ter algo próximo do sabor antigo do presunto comum, aquele cozido que se compra fatiado no supermercado, é preciso apelar para o tender — que ainda tem gosto agradavelmente forte demais, mas que do jeito que as coisas andam em uns 10 anos terá o gosto exato do presunto de 15 anos atrás.

O queijo, também. O queijo do reino de antigamente continua com sabor forte — mas, por alguma razão, deteriorado. É, no mínimo, diferente. E o queijo prato, aquele queijinho barato, o queijo sempre comum nas mesas de qualquer pessoa de classe média, não ficou apenas cada vez mais borrachudo — está cada vez mais sem gosto. A impressão que se tem é a de que, se as coisas continuarem assim, daqui a alguns anos, para se ter um sabor parecido com o queijo prato de antigamente, será preciso apelar para o gosto de xixi do camembert.

O que eu não sei é se o meu paladar está decaindo, por causa de todos esses excessos que vão se acumulando vida afora, ou se as coisas estão realmente ficando sem gosto. Sou só eu? Eu estou ficando irremediavelmente velho, reclamando dos tempos modernos, achando que as coisas só eram boas mesmo em tempos idos — uma das maiores fraudes que a mente prega nas pessoas, porque as coisas nunca eram melhores antigamente — ou o mundo (pelo menos o mundo da comida industrializada) está ficando mais insosso?

18 thoughts on “Os velhos tempos é que eram bons

  1. Rafael,
    as palavras da salvação sobre este tema são as seguites, atribuídas a Paulo Mendes Campos: “Antigamente as coisas eram piores. Depois foram piorando.”

  2. Nosso passado tem sempre um gosto especial, não é mesmo ? Eu por exemplo sempre acho que os seriados japoneses da minha época eram muito melhores do que os Power Rangers de hoje.

    No entanto, quando os vejo novamente vejo que eram tão ruíns quanto. Até piores ! O que difere é nossa imaginação de criança que torna tudo mais incrível e fantástico.

    Um grande abraço …

  3. né vc não ….
    há pouco tempo percebi uma mudança num (antigamente) delicioso chocolate da nestle, e lendo os ingredientes (sim, sempre os leio), percebi uma “mudança” na formula, onde havia a supressão dum antigo ingrediente, q era leite condensado.
    Ou seja, sem q saibamos (mas o pq nós sabemos), os fabricantes alteram a formula de seus produtos, e até mesmo a quantidade das embalagens, num antigo e conhecido metodo ….
    Mas e de quem é a culpa?
    Engraçado é nem sempre verificar o acompanhamento da “mudança” por uma queda no preço do produto alterado.
    Será que realmente não temos solução?
    Em que que outro lugar do mundo se pode encontrar a experiência de se estar sob a égide duma forte economia de mercado e, no entanto, constatar que um carro novo, adquirido ao preço médio de 30.000,00, venha de fábrica com graves defeitos de acabamento e funcionamento, e isso com uma constância no mínimo irritante??
    Será somente “culpa do governo” (rs), ou a pratica de total desrespeito é regra geral mesmo, desde jogar lixo na rua até o transformar um acidente trágico em “show”?

  4. Que tender o quê, compra o presunto royale, é mais caro, mas tem gosto de presunto. Peça e veja. Depois diz.

  5. É véio, cê tá velho mermo … Riobaldo já disse: ‘toda saudade é uma espécie de velhice ‘…
    Meu bjo,

  6. Rafael, cheguei até seu blog via “Pensar Enlouquece” e gostei do que encontrei aqui. Agora, ainda não percebi a falta de gosto nas coisas. Mas antigamente tudo era melhor mesmo… e sempre será… rs

    Um abraço.

    P. S.: Se possível dê uma visitinha lá no meu blog.

  7. lógico q o cigarro acaba com sua papilas gustativas.. e toda essa coisarada que tem dentro das coisinhas que vc come. se vc começar a ler rótulos de alimentos, vc percebe o quanto de química tem dentro de cada pacotinho colorido; se pensar que tudo interage quimicamentem , cada processo biológico é tambem químico! Sem falar q queijo de antigamente era feito do leite ds vaca quando ela paria, e nao essa enganação que fazem com que as vaquinhas de hoje consigam produzir 60 litros em um dia. vc sabe quanto antibiótico de ultima geração é colocada na ração de vacas, porcos e galinhas, pra crescerem mais rapido e melhor??? antigamente as coisas eram sim, autênticas… bejo
    PS:espero continuar mei caipira e bem autêntica!

  8. Enfim, de uma coisa fique certo, não é só o seu paladar que está sendo “bombardeado”, venho me perguntando isso a algum tempo, mas só obtive respostas ainda mais frustantes das que já tinha. E outra, a idade é só um número, por sinal, traiçoeiro!
    Abraços e adorei o seu blog.

  9. tá reclamando do que? Vai chegar uma idade em que presunto será coisa do passado, seja ele bom ou mau (o presunto, não o passado). Eu passo os dias ( e noites) imaginando quando vão inventar um sem gordura nem colesterol…quem me dera! Mesmo que tivesse o gosto da borracha da Faber, aquela verde!

  10. Rafael, eu já trabalhei em um laticínio e uma série de fatores alteram a qualidade (e o gosto, lógico) do queijo. Um deles é a qualidade do leite, que vem caindo mais e mais. A outra são aditivos que estão sendo colocados aos poucos, para aumentar o rendimento e os lucros.

Leave a Reply

Your email address will not be published.