Of many a poor boy

Estava ouvindo The House of Rising Sun e pensando em como algumas coisas sempre soaram diferentes para mim.

Eu sei que a canção é sobre uma casa de ópio na terra do Idelber. Mas, para mim, sempre foi sobre um puteiro.

Um monte de japonesinhas com formação de gueixa e gestos lânguidos, seus quimonos entreabertos, me tragando para o vórtice da devassidão absoluta, em um turbilhão decadente quase baudelaireano. Rafinha ali, deitadão, servindo-se e sendo servido. Recitando sorridente a velha litania, O Satan, prends pitié de ma longue misère!

Porque essa era a única causa de ruína que eu admitiria possível para mim. Eu poderia me acabar naquela vida, ah, poderia. Já a casa de ópio iria à falência se dependesse de mim.

E as pessoas não acreditam quando digo que, no fundo, eu sou um puritano. God, I know I’m one.

4 thoughts on “Of many a poor boy

  1. Rafa,

    Eu sempre soube que no fundo, bem lá no fundo, vc é um puritano. Também, tendo-o como meu amigo confidente e conselheiro amoroso, eu tinha mais é que saber, né ?!
    Adoro-te !
    Beijocas

  2. NÃO É SOBRE UM PUTEIRO?????????
    COMO ASSIM????????
    ONDE VC VIU ISSO, RAFITO????
    POUTZ! UM CASTELO DESABOU AGORA!!!!

    nathalia, o rafa mentiu, foi ironia.
    vc tá MALS de conselheiro, vai dizer?
    ;>P´´´

  3. Poxa, Rafael, gostaria então de um input seu lá no meu blog, porque estou meio encalacrada com a história e a visão de um puritano é sempre bem-vinda.
    🙂
    Um grande beijo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.