A vingança da Legião de Onan

Para que um homem tenha realmente dificuldades em arranjar mulher, ele precisa ser o infeliz dono de uma combinação perversa: adolescente, sem dinheiro e sem um lugar aonde levá-las. Se não tiver uma dessas variáveis, ele tem grandes chances de se dar bem regularmente.

Isso, claro, lembra a todos nós os péssimos tempos da adolescência, em que normalmente somos obrigados a nos voltar para soluções, digamos, pouco ortodoxas para resolver o problema da carência sexual. Essa fase negra costuma passar a partir do momento em que chegamos à casa dos 20; até lá é um martírio comparável ao de Tântalo, que só o otimismo crônico e ignorante da adolescência consegue fazer suportável.

Mas hoje percebi que todos nós, adolescentes um dia alistados na Legião de Onan, como a batizou Luís Fernando Veríssimo, temos um bom motivo para nos considerar vingados.

A nossa via-crúcis começa e termina na adolescência, e passamos por ela com mãos calejadas, espinhas na cara e cheiro de perfume barato, de preferência Avon ou comprado naqueles catálogos da Hermes, que nos impregnam a partir das empregadas domésticas que encoxamos nas escadas, nas ruas escuras e debaixo das árvores. Mas a redenção chega assim que passamos a ter um mínimo de experiência e segurança.

E é justamente então que o calvário feminino começa.

Olhe à sua volta. Você vai ver o número cada vez maior de mulheres em torno dos 30, cada vez mais ansiosas e preocupadas porque acham que “não há mais homem no mundo”. Para elas, metade não presta. Outra parte está casada. E o resto tem preferências sexuais ainda mais heterodoxas que as dos adolescentes.

Se — generalizando e correndo o risco inerente a qualquer generalização — uma mulher não está casada ao se aproximar dos 30 anos, a percepção de que suas chances de estabilização diminuem a cada novo dia, a cada nova ruga, a cada aproximação dos seios em direção à terra, a cada nova protuberância de celulite a deixa completamente angustiada.

O pior é que, à medida que o tempo passa, a angústia vai aumentando. Além do que dizem ser a escassez masculina, elas ainda continuam escolhendo bastante — esse não dá porque é baixinho, esse não tem futuro, esse… E, paradoxalmente, quando escolhem, escolhem errado. O resultado é o aumento da descrença no sexo oposto, que infelizmente cresce no mesmo ritmo que a certeza de que é impossível viver sem eles.

Não sei se a miséria do gênero feminino, e sua progressiva vulnerabilidade, é propriamente uma vingança; é algo que não dá para racionalizar. Mas, lá dentro, aquele adolescente com marcas de batom vagabundo no pescoço e os dedos calejados pelas acrobacias sob incontáveis sutiãs dá uma risadinha cruel e satisfeita.

8 thoughts on “A vingança da Legião de Onan

  1. Acho que o futuro é dos animais. Afinal, não se preocupam se vão encontrar sua princesa ou príncipe encantados. Não se importariam, aposto, se tivessem um estofamento de gordura no lugar que chamamos abdômen, nem se aparecem umas irregularidades na superfície da pele, que nós, humanos, apelidamos de celulite. E o que será dos homens diante dessas trintonas infelizes? Para se darem bem com esse monte de trintonas burras e celulite-paranóicas terão de abrir mão de um bom papo com uma fêmea. Afinal, barriguinha lisa e bundinha saliente combinam muito pouco com neurônios. Esse conjunto existe, é claro. Mas é raro.

  2. Somos coitadas como diz a Julia, por não sabermos conter nossas inseguranças, pois a partir do dia que conseguirmos controla-las, veremos que o mundo é bem outro, que os homens na verdade não tão nem ai pra celulite e que a grande maioria não sabe nem o que é….pra eles celulite é algo que sabem existir, mas que na hora H não estão nem um pouco interessados em procurar….rssss Idiotas somos nós!

  3. Tem razão, Moicana… Qual é o homem cheio de tesão na hora H que vai se importar com “irregularidades na pele causadas por má circulação e que podem ser minimizadas com massagem”? Só mulher mesmo pra criar uma tempestade dessas…

  4. Complô
    Gente, depois desse post do Rafa falando que o futuro é masculino, proponho um golpe de estado aqui no blog dele. A gente arma um complô se comunicando pela janelinha de comentários e domina este país. Podemos até fazer do Rafa nosso escravo sexual. O que acham? 😉

  5. Hehehehehe escravo sexual? Hummmm…. Mas o problema nem é a celulite… é que a gente vai envelhecendo e vai “perdendo espaço” pras mais novinhas mesmo, e a concorrência é muito grande.

  6. hehehe…
    esse post é da época que sua audiência era quase toda feminina, né rafa?
    mas, sem dúvida, ele casa bem com o meu “a vingança do macho”…
    tem hora que temos que vestir as carapuças de tios sukita, vai dizer?

Leave a Reply

Your email address will not be published.