Como as coisas são

De Rod Steiger a Antonio Banderas, que o dirigiu em “Loucos do Alabama”:

“Você tem que ver, Antonio, que você é uma estrela. Mas eu sou uma lenda. Eu estou acima de você.”

Eu tenho uma leve idéia da razão pela qual gosto de Rod Steiger.

6 thoughts on “Como as coisas são

  1. eço desculpas pela intromissão, mas tenho que garantir que o Sr. Gravatá receba minhas explicações, antes que eu decrete meu mutismo: “Senhor, Gravatá! O senhor entendeu tuuuudddooo errado! Eu me referia ao Libertário Libertino, também citado pelo senhor. Na verdade, pensei que o Rafael estava se referindo ao blog do Libertário. Coisas de apressadas em dar palpites. Afinal, o tal Libertário me envia e-mails com mais freqüencia do que meus melhores amigos. Estamos entendidos? ;)”

  2. Aliás, pelo que tenho visto, não dou muito certo com palavras. Acho que vou deixar de escrever. Sobretudo quando conseguir digitar quase na velocidade, senão do pensamento, da fala. Faço questão de afirmar que o blog “Rafael Galvão” nunca me mandou (e tampouco mandaria) qualquer spam. Mas que sempre o “Libertário Libertino” me visita com propagandas em mais de um dos meus endereços de email, devo dizer que é fato. E foi apenas isso que eu quis falar.

  3. Aliás, acaba dando nisso ser muda a vida inteira e um belo dia cismar de falar pelos cotovelos. Mas agora meu comentário mal feito foi entendido, não é, meninos? Agora podem me acusar de ter sido grosseira com o proprietário do Libertário Libertino, pois isso fui sim.

Leave a Reply

Your email address will not be published.