A segunda Guerra de Tróia

As peças que a História nos prega. Não há nada mais cruel que ela.

Eu devia ter uns 8 ou 9 anos. Estava em férias na casa de minha avó e acabei dando de cara com um livro, provavelmente de alguma enciclopédia para jovens, que falava da descoberta de Tróia por Heinrich Schliemann. A partir desse dia Tróia me fascinou, a ponto de na pré-adolescência eu pensar seriamente em me tornar arqueólogo.

E uma das perdas que mais doíam em mim era a do tesouro de Príamo em 1936. Era terrível imaginar que aquele tesouro, conservado sob a terra durante séculos e séculos, de repente tivesse sido perdido por obra humana.

Toda a minha infância e adolescência foram passadas nessa crença.

E então, quando eu já tenho mais o que fazer, quando a única história que me interessa realmente é a minha, eis que em 98, acho, chega a revelação de que o tesouro tinha sido confiscado por Hitler e saqueado pela União Soviética. Para quem se interessar, atualmente esse tesouro está em exibição no Museu Púchkin, em Moscou, e é objeto de uma disputa diplomática entre Turquia, Alemanha e Rússia.

Não gosto que mexam no meu passado. Com o tempo me acostumei à idéia, e consegui ver nessa perda um certo lirismo fatalista. O reaparecimento do tesouro de Príamo era quase como uma segunda Guerra de Tróia, perdida como foi a primeira, quando achei que o tesouro estava desaparecido.

Por que eles ousam acabar com minhas crenças de infância?

Primeiro Papai Noel, depois Rock Hudson, e agora isso.

5 thoughts on “A segunda Guerra de Tróia

  1. Olá Rafael! Em falar sobre Tróia, você já leu “O Incêndio de Tróia” da Marion Zimmer Bradley?

  2. Boa noite,

    Lendo alguma dessas enciclopédias misteriosas sobre a Atlântida, passei pela República de Platão, depois Edgard Cayce e por fim Timeu e Crítias onde li sobre o Tesouro de Príamo. Na curiosidade, achei sua págima.
    Parabéns por suas palavras. Há muito que me naufragaram os sonhos da infância.

  3. Estranho… desde pequena sempre ouvi o comentário “agradar gegos e troianos”… na minha cabeça infantil sempre os troianos tinham preferência. Já sabendo ler, sempre procurei por Tróia… até hoje… E continuo sempre sendo troiana, mesmo tendo perdido a guerra…

  4. O tesouro deve ser devolvido à ALEMANHA! Ele foi simplesmente saqueado de Berlim, pelos soviéticos em 1945!

Leave a Reply

Your email address will not be published.