Porque o Orkut fala português

A notícia vem criando certo orgulho ufanista na internet brasileira: nós, tupinambás, somos maioria individual no Orkut. Talvez não demore até nos tornarmos maioria absoluta, mesmo que 7 vezes mais americanos usem a internet. Seguros de nossa inesperada superioridade, incorporando Davis que venceram Golias numa guerra inexistente, debochamos dos americanos incomodados — infelizmente menos do que gostaríamos — com a inculta, bela e última flor do Lácio.

Mas não é essa a questão.

Enquanto corremos ansiosa e alegremente para simpáticas perdas de tempo como o Orkut, iniciativas conseqüentes e realmente importantes como a Wikipedia, que tem uma versão em português, são o objeto do nosso mais profundo desprezo.

A Wikipedia é uma das melhores invenções da Internet porque usa o poder da rede e da capacidade criadora coletiva para criar um repositório confiável de conhecimento. É uma enciclopédia criada e mantida por usuários. Qualquer um pode escrever um verbete, qualquer um pode revisá-lo, todos podem acrescentar algo. O resultado está se tornando maior e mais abrangente que qualquer enciclopédia em toda a história da humanidade jamais pôde almejar ser. Mas eu não uso a versão em português da Wikipedia porque ela é insuficiente. Não há bastante brasileiros interessados o suficiente em criar, compartilhar e consolidar conhecimento. Se preciso saber alguma coisa, vou direto à versão em inglês.

Preferimos perder tempo no Orkut.

Para nós, a idéia de comunidade é interessante quando significa carnaval. Mas quando o assunto é sério, somos individualistas. Compartilhamos alegremente nosso ócio e nosso lazer. Conhecimento de verdade é outra coisa.

Ultimamente temos falado muito em software livre, em inclusão digital e outras coisas do gênero. De modo geral as pessoas parecem não perceber que a verdadeira vantagem do software livre não é a gratuidade, é a possibilidade de também desenvolvermos tecnologia e sair da periferia. Isso quer dizer produzir conhecimento, e aí a analogia com a Wikipedia é inevitável. Inclusão digital sem acesso ao conhecimento é como dar uma enxada a quem não tem terra. O conhecimento estará restrito àqueles que falam inglês; a patuléia estará alijada, como sempre — mas não vai se importar porque estará ocupada esperando que o CDI instale um computador em sua favela, para finalmente entrar no Orkut e poder dizer que sim, que não é mais excluída digital.

Podemos ter até orgulho de ser maioria nas comunidades do Orkut, aquelas significativas como “Eu não faço sexo oral” ou “Eu tenho peitão”. Podemos perder tempo detonando o Diogo Mainardi, o homem que todos amam odiar, ou dizendo que amamos Chorrochó, no sertão da Bahia. Entretanto, no que é realmente importante, no que vai realmente permanecer e ser considerado uma verdadeira contribuição à humanidade, somos minoria. Não importa o nosso orgulho pela crescente lusofonia do Orkut: na hora que realmente precisarmos desta joça aqui vamos ter que recorrer ao velho the book is on the table.

Mas isso não vai importar, vai? Porque o Orkut fala a nossa língua.

Enquanto isso, já que falei na tal última flor do Lácio, na Wikipedia Olavo Bilac é verbete na língua do bardo, mas não na sua própria.

17 thoughts on “Porque o Orkut fala português

  1. Genial! Valeu a dica!
    (Na página inicial do Wikipedia de hoje, tem uma notícia sobre o consumo de donner kebab na Alemanha. A coisa não chega a ser interessante para quem não sabe que se trata de churrasco grego – que na realidade é turco).
    Quando eu parar de rir, vou ler o comentário que você fará sobre o cachorro farejador de drogas inglês, que morreu de overdose.
    Ciao.

  2. isso que vc ta fazendo é mt bom, o wikipedia.org deve ser mais divulgado, é uma das coisas mais uteis que surgiram na net.

  3. Rafael,

    Tinha escrito em meu blog algo sobre o Orkut também. Depois de muito me convidarem, acabei indo lá ver como é. Uma porcaria. Como você mesmo disse, cheio de comunidades “significativas”, onde as pessoas exercem a sua brilhante capacidade de discutir sobre “temas” interessantíssimos…
    A discussão entre brasileiros e americanos no Orkut é até interessante, por isso publiquei algo no blog. Mas sem fanatismos.
    Ah, e muito boa a dica sobre o Wikipedia. Não conhecia ainda, e é interessantíssimo.

    Abraços,

  4. Genial o que você falou. E dentro do próprio Orkut, as comunidades que se dedicam a bobagens – tipo “Como ou não Como”, “No Escuro”, etc – vão de vento em popa, enquanto que comunidades que foram criadas para discutir assuntos sérios minguam rapidamente. Ouvi rumores de que o Orkut vai começar a deletar as comunidades inativas. Vamos ver como é o perfil das que sobram. Acredito que teremos um desenho muito preciso e interessante sobre o perfil do brasileiro depois de toda essa experiência orkutiana.

  5. Wikipedia realmente é massa e devíamos começar algo igual aqui no brasil, com os diversos significados para as mesmas coisas em vários estados do país… eu parei de perder tempo no orkut. já tenho o meu orkut particular… o T&Q!

  6. Ah, quer saber por que a Wikipedia não vira nada no Brasil? É por causa das regras, em especial essas aqui:

    – Não use imagens colocadas em servidores externos.
    – Nunca copie para a Wikipédia material de outras fontes.
    – Não utilize a Wikipédia como tribuna para as suas crenças pessoais.
    – Não faça publicidade.
    – Não crie páginas de opinião.
    – Não assine os seus textos.

    Definitivamente, não é para brasileiros.

  7. Bem lembrado pela Dani. Brasileiro tem uma necessidade brava de reconhecimento. trabalho cultural anônimo? É difícil que saia. No orkut exercitamos (nós os brasileiros) o jogo da popularidade. Esconder a personalidade, não fazer confusão por nada, trocar afagos é o que mais acontece. Por isso os fóruns de discussão não foram muito a frente por aqui.

  8. Outra razão pela qual a Wikipedia é muito menos conhecida que o Orkut: espere sentado até que a Folhateen, o Fantástico ou a Veja façam matérias sobre ela…

  9. Realmente o brasileiro tem necessidade de reconhecimento. Eu já contribuí para a wikipedia com alguns verbetes e confesso que, na primeira vez que escrevi, o texto ficou tão bom que doeu um pouquinho ter que deixar lá, sem meu nome, nem copyright, mas depois dessa primeira vez (foram sete no total, até agora) não dói mais. A gente até se sente bem, como quando ajudamos alguém que realmente precisa e nos sentimos melhor enquanto seres humanos.

    Já notou quanta gente comentou que não conhecia e até “agradeceu a dica” sobre a wikipedia? Enquanto o Orkut sai na “Veja” e passa no “Fantástico”, a wikipedia só é conhecida de uns poucos gatos pingados (comparativamente) que fuçam a internet. Precisamos divulgar! Vou postar no meu blog e linkar pra cá.

    Abraço!

  10. Taí uma informação que presta nesta internet.
    Antes de entrar no Wikipedia já fiquei fã.

    Logo você vai ver verbetes meus lá.
    Só não vai saber que são meus ;o)

  11. O texto expõe exatamente aquilo que mais me enoja nesse país e seus miseráveis e iludidos habitantes: a falta de originalidade, de criatividade e a abissal hipocrisia dessa gente que se julga anti-americana, mas que atravessa mares para ganhar uns trocados como faxineiro ou lavador de pratos por lá.
    Não odeio meu país. Mas também não amo.
    Amo minha terra, o chão que piso. Só isso.
    Não somos grandes e isso já sabemos, mas é doloroso não é? Abaixar a cabeça para aqueles arrogantes? Afinal somos um povo acolhedor e Deus é brasileiro, e blá blá blá….

  12. Falam do Brasil, mas a verdade é que a falta de iniciativa é própria de toda a família lusófona. Mas a verdade é que a wikipedia em português tem vindo a crescer e cada utilizador consciente que entra é um passo em frente. Acreditem no projecto e pode ser que ele venha a ser algo, desacreditem e ele será algo na mesma – mas mais lentamente…

  13. O texto expõe exatamente aquilo que mais me enoja nesse país e seus miseráveis e iludidos habitantes: a falta de originalidade, de criatividade e a abissal hipocrisia dessa gente que se julga anti-americana, mas que atravessa mares para ganhar uns trocados como faxineiro ou lavador de pratos por lá.
    Não odeio meu país. Mas também não amo.
    Amo minha terra, o chão que piso. Só isso.
    Não somos grandes e isso já sabemos, mas é doloroso não é? Abaixar a cabeça para aqueles arrogantes? Afinal somos um povo acolhedor e Deus é brasileiro, e blá blá blá….

  14. Falou tudo, é só o que dá para dizer sem repetir suas palavras.
    Mas, “it’s life”, ou coisa parecida. 🙁

Leave a Reply

Your email address will not be published.