A síndrome do "eu já sabia"

Dois filmes, sobre os quais o Alexandre e o Bia já escreveram: “Colateral” e “A Vila”.

A idéia era ir para o cinema para desligar um pouco. Na base da sorte: ia ver o que estivesse passando.

Quando cheguei ao cinema, as opções não eram muitas. “Olga” não me faria relaxar. Descartei logo de início “Alien vs. Predador”, porque eu queria diversão inconseqüente, não uma lobotomia. E assim sobrou “Colateral”.

Nunca tive Michael Mann em grande conta. Para mim é um artesão competente, só isso. Mas “Colateral” é um bom filme, com um bom toque pessoal. E consegue fugir de grande parte dos clichês do gênero, embora não totalmente. E a forma como termina me lembra algum filme dos anos 70, o que pode ser um bom sinal.

No outro dia foi a vez de “A Vila”. Fui ao cinema esperando uma tragédia, a partir das críticas horríveis que o filme recebeu e da minha própria experiência com Shyamalan, que vem decaindo a cada filme.

E no entanto, apesar de algumas falhas gritantes, é um filme bem razoável. Eu pelo menos adivinhei o que eram os monstros e sabia que havia algum problema com o tempo.

Mas como definiu perfeitamente o Alexandre, o Shyamalan é um grande contador de histórias ruins. Diretor excelente e roteirista frágil.

Talvez o grande problema de seus filmes seja a abordagem meio infantil, e a necessidade de ter uma reviravolta no final. Se “A Vila” fosse tratada de outra forma, dando por exemplo mais ênfase ao conceito temporal que envolve o filme, se preocupando menos em surpreender o espectador, poderia ser uma obra muito melhor.

Mas Shyamalan tem se mostrado incapaz de mais profundidade do que o universo das histórias em quadrinhos costuma permitir. Mesmo contando com atuações brilhantes de grandes atores como William Hurt, seus filmes acabam se tornando meros proscênios para a revelçao final.

Pior: ele não percebeu que começou sua carreira com um dos melhores filmes desse gênero já feitos. “Sexto Sentido” tinha um roteiro brilhante. Qualquer outro filme que ele faça, com a costumeira surpresinha no final, vai ser inevitalmente comparado a ele. E vai perder.

David O. Selznick passou a vida lutando contra o fantasma de si mesmo, tentando fazer um filme melhor que “E O Vento Levou”. Não conseguiu, claro. E isso quase o destruiu. É uma pena que Shyamalan não tenha aprendido ainda com a lição dos outros.

7 thoughts on “A síndrome do "eu já sabia"

  1. O Sexto Sentido foi um dos filmes que mais me agradou na última década (outro é Os Suspeitos). Tudo é muito bem amarrado, a cadência é soberba e o envolvimento pega bem o brasileiro que culturalmente tem um dedo do pé no espiritismo. Shyamalan não tem conseguido reeditar o clima d’O Sexto Sentido justamente porque jogou neste filme tudo que tinha guardado. Vai ter que desafiar a si, mudar o estilo, tentar uma comédia, senão vira uma grife. A Vila cozinha a tensão durante todo o filme para de repente, apressadamente no final, servir todo o almoço. Satisfaz, mas é cinema casual.

  2. DISCORDO. Shyamalan é um dos melhores roteiristas aparecidos HÁ tempos. A gente é que espera uma REVIRAVOLTA, como em SEXTO SENTIDO. Veja o que o Reginaldo disse acima: o outro filme que ele gosta é o que SURPREENDE na conclusão. E BOM CINEMA não tem que ser assim… Escrevi um texto sobre A VILA e tenho pensado MUITO sobre o filme. Talvez seja o MELHOR Shyamalan: pense no TERROR que os COMANDANTES da Vila devem CAUSAR para gerar a “PAZ”. Alinhave comparações com o FARENHEIT do Michael Moore! É assustador. E nada é mais QUEBRA DE PARADIGMA do que ver o LOBO MAU com CAPUZ VERMELHO! Meu… Um filme para toda uma TESE!

  3. Biajone, eu não gosto do Sexto Sentido porque ele surpreende, mas por outras características que cito no comentário. Quem busca a surpresa é Shyamalan (parece escravo dela). Além (e mais) que o uso do terror para obter a paz, há o uso do medo para controlar, o que é bem mais perigoso. Quanto ao lobo mau, foi uma sacada bem humorada.

  4. Caro Rafael, deixando de ver Alien X Predador você perdeu uma grande diversão, sem pretensões, sem arroubos de pseudo-genialidade, pura matinê com pipoca. Se você for ver sem nenhuma expectativa, open mind, você pode até se surpreender! Afinal Predador e Alien são dos melhores personagens de ficção que o cinema já cunhou, pomposamente falando, o primeiro uma representação simbólica do conflito ocidental entre a razão que perseguimos e a bestialidade atávica da nossa condição animal. O segundo um amálgama freudiano do medo inconsciente de ser devorado/castrado pela mãe… Imagens arquetípicas da sociedade contemporânea disseminadas e digeridas ad infinitum pela mass mídia no coração da cultura pop.

  5. Com certeza Os Suspeitos é um dos melhores filmes que eu já vi. Quanto à Villa, acho que a idéia é boa, mas mal executada. Tem alguns conceitos no filme que são muito interessantes, mas o enredo é mal costurado.

  6. Alien X Predador chega a dar vergonha de tão ruim… saí de cabeça baixa do cinema pra ninguém me ver. Minha filha foi comigo e, na saída, falou: “ô pai, não era preu estar assustada?”. Lamentável!

  7. Pô, o ingresso do ‘alien versus predador’ valeu a pena só pela cena em que eles se encaram…

    Fora isso é uma bobagenzinha muito da medonha.

Leave a Reply

Your email address will not be published.