O comunista e os especuladores

Michael Jackson sempre foi a prova de que o comunismo não acabou: ele continua comendo criancinhas.

Não gosto dele. Não gosto da idéia de comprar um disco dos Beatles e lhe pagar royalties. Sua música não me interessa, e seus tempos de brilhantismo se esgotaram em Thriller, uma boa mistura de música negra e rock. Como o resto do mundo, olho para o seu rosto como quem olha para um circo de horrores, entre enojado e fascinado pelo que ele tem de bizarro, de realidade distorcida.

Não tenho nenhuma dúvida de que ele se divertiu com o menino que o processa agora. Não tenho dúvida de que a grande maioria, se não a totalidade, dos depoimentos a seu favor são comprados, e caro.

E no entanto estou torcendo por ele no julgamento que se arrasta.

Jackson é doente. É um doente burro, ainda por cima, porque para evitar complicações bastaria a ele pegar um órfão de um país qualquer do terceiro mundo para suas brincadeiras que, e nisso eu acredito, ele julga razoavelmente inocentes — o que é uma mão boba aqui, uma boca ali? Pedofilia se dá bem com poder econômico. Pedófilos de todo o mundo vêm fazendo isso há séculos, desde que o mundo é mundo.

Não acho que ninguém em sã consciência tenha alguma dúvida de que tudo aquilo foi armado; que a mãe do cucaracho que apareceu segurando a mão de Michael Jackson em um documentário sabia o que estava fazendo ao mandá-lo para Neverland, que ela entregou o filho a um pedófilo para tirar dinheiro dele — e se o primeiro caso, aquele do início dos anos 90, foi resolvido em um acordo de cerca de 30 milhões de dólares, este certamente daria mais dinheiro. Como qualquer especulador ela fez um investimento, e seu capital de giro foi seu filho.

É difícil acreditar que pedófilos, a raça mais abjeta encontrável em uma humanidade que se esmera em apresentar horrores sempre renovados, possam ser principalmente vítimas. O julgamento de Michael Jackson prova que sim.

Não que Jacko seja inocente. Sem dúvida nenhuma ele merece ser castigado, tanto quanto merece tratamento. Mas a idéia de que sua desgraça é causada por uma mulher sem escrúpulos, uma mulher que vende o seu próprio filho, consegue ser mais enojante que a pedofilia do tarado de Neverland.

Em tese, a justiça serve para proteger a sociedade de ameaças. Jackson, certamente, é uma delas. Mas serve também para evitar que especuladores gananciosos e sem escrúpulos predem suas partes mais frágeis — e, por alguma razão esquisita, Jackson também é uma delas.

Falta alguém no banco dos réus, e esse alguém é a mãe mais canalha, menos merecedora desse nome que apareceu em muito tempo.

30 thoughts on “O comunista e os especuladores

  1. Concordo plenamente com você. Eu jamais deixaria o meu filho “brincar” na casa de um senhor com um histórico destes.
    Teria que ser uma pessoa excessivamente ingênua ou excessivamente gananciosa.

    • Ops, eu acho que ele foi inocentado de todas as acusações, ainda mais, descobriram que o pai do garoto Jordy Chandler o obrigou a falar todas aquelas baboseiras de abuso sexual, eu acho que nunca haverá um rei da música e um grande ser humano como Michael Jackson!

  2. Rafael, não se esqueça, descartando-se a possibilidade de que o julgamento seja em terras não-tupiniquins, de duas, uma: ou tenho a memória um pouco fraca ou realmente nenhum astro até hoje já foi devidamente punido como um cidadão “normal”?

  3. A questão é, você lá pobre, sem ter o que comer, passando necessidade, dai vem a Xuxa e diz “deixa o seu filho lá em casa pra ele brincar, vai ser divertido”.

    Você pode não deixar, porque vc é tio sukita e na sua época a única coisa que vc percebia na Xuxa era o tamanho da saia, agora, uma mãe da minha geração, é claro que vai deixar. Na hora, no momento.

    É o seu post de baixo, Fan-atismo.

    Imagina poder contar pras vizinhas “meu filho passou a tarde toda na casa do(a) (alguém famoso)”

  4. Interessante que há alguns dias passou um episódio da série Law & Order que retratava exatamente esta situação: um casal que “alugou” um filho para um pedófilo famoso para salvar o outro filho com uma doença séria.
    Em tempo: era um casal de hispânicos.

  5. Sim, Jackson é doente e as mães são cafetinas dos próprios filhos. Isso para mim é muito, muito mais assustador do que o que faz um pedófilo, já que trata-se de uma patologia.

    Mas, um detalhe: não coloque a responsabilidade toda sobre as mães. Filhos também têm pais, e esses normalmente são deixados de fora, são eximidos de culpa nesses casos.

    Não sei se é o velho mito da maternidade, coisa que não existe na mesma medida para a paternidade. Só sei que é pesado colocar toda a responsabilidade em cima das mães.

    Os pais dessas crianças também não merecem essa denominação.

  6. Incrível!! Vc espressou com todos os detalhes exatamente a forma como eu penso e sempre pensei sobre esse julgamento de Jacko! Pior que um pedófilo é uma mãe que gera e cria um filho para fazê-lo de isca para seu próprio conforto…no mínimo nunca passou na cabeça dessa escrota trabalhar para bancar seus filhos e a sí propria.
    É mais fácil mandar seu filho fazer o trabalho sujo…Arghhh!! E ainda por cima, um pré adolescente, vc imagina como esse menino vai ficar???
    Beijos e tudo de bom pra vc

  7. Perfeito o que escreveste.

    Escrevi algo com o mesmo sentido logo que comecou o julgamento, o circo todo em volta do caso, e depois fiz questao de nao ler nada a respeito e mudar de canal quando aparecia nas TVs aqui em Toronto.

    abraco

  8. O problema é que o golpe é tão perfeito que Jackson não tem como dizer que a mãe do garoto vendeu a criança sem admitir sua própria culpa como pedófilo e a acusação da promotoria depende da sacana. É mole? Quem disse que a vilania não é recompensada?

  9. Rafael. Acho que o teu poder de analise é como sempre (quase sempre, vai) irretocável. Concordo com seu ponto de vista. Mas uma coisa eu queria mesmo saber. Afinal, de verdade, porque ele mudou de cor?

  10. O melhor sobre este assunto que li até agora. E poucos olham por este lado, já percebeu? Ele é o malvado (claro, é mesmo), mas apenas ele… Todo o restante do mundo é vítima.

  11. Concordo contigo que a mão (ou responsável) pela criança sabia muito bem o que queria ao permitir a amizade com Michael. Mas eu ainda acho que ele pode ser inocente e mesmo assim tá sendo processado pq foi o objetivo inicial da mãe do menino.

  12. Não acredito que ele tenha feito o que estão fazendo com o garotinho. Na verdade, quem deveria ser presa é a mãe desse menino. Como vc disse, ela só usou seu próprio filho para conseguir dinheiro.

  13. As mulheres já levam a culpa por tudo desde Eva.

    Será que dessa vez dá pra dividir a culpa com o pai do adolescente? Assim, só pra saber…

  14. Sexualidade: instinto? desejo? pulsão? perversão? poder? Tudo isso está misturado neste “affair” e em muitos outros. Sua análise aponta para o “abuso” dentro de casa: realmente, 80% dos casos de violência contra a criança ocorrem dentro de casa (pais, irmãos, primos, parentes). O trem é feio!

  15. Que bom poder ler (finalmente) um comentário que põe
    o dedo na ferida. Entretanto, quando você fala sobre os pedófilos que compram crianças das bandas pobres do mundo, disfarçando de adoção, eu me pergunto se essa prática é muito diferente do que o MJ fez ao pagar a tal enfermeira para gerar filhos para ele. Aliás, o que sabemos sobre eles, além de que eventualmente são pendurados para fora de janelas de hotel ou têm que sair encapuzados com burkas?

  16. Você foi perfeito e a Monica, lembrando que filho também tem PAI (muitas vezes, nem sempre) também.

    Mas eu vim aqui pra evitar encher as caixa de correio do povo lá da lista com um “eu concordo”. Apenas pra dizer que sua argumentação sobre a questão da Palestina X Israel está sendo brilhante. Obrigada por isso.

  17. Esse homem é doente e a mídia fez questão de torná-lo ainda pior, como também fizeram os médicos que lhe operaram incessantemente até que ele se tornasse aquela coisa meio boneco, meio humano. Uma pessoa aqui fez um comentário a respeito de um episódio de Law and Order que foi nada mais que uma repetição dessa história com direito inclusive a um astro colocar uma criança do lado de fora da janela tal qual ele fez há algum tempo. Abominável o Michael Jackson, abomináveis os pais dessas crianças que as venderam em troca de processos milionários e abominável o povo que permite que isso aconteça.

  18. Costuma-se dizer que tudo tem duas faces, como uma moeda. Mas, particularmente, não acredito nisso. As faces são inúmeras, às vezes infinitas. Vejamos apenas essa no caso do Michael Jackson: e se o cara for um debilóide (certamente o é, pelo que fez a si próprio) e que, mesmo aos trinta, quarenta anos gosta de brincar com crianças? E se algumas famílias (não apenas pai e mãe, viu?) norte-americanas viram aí um filão de ouro, bem mais fácil de alcançar do que aqueles do Alaska, e, apelando para o puritanismo WASP — que sabemos ser só de fachada — aproveitam pata tentar ganhar alguns milhares de dólares nas costas do sucesso musical que o pobre menino/rapaz/homem conseguiu?
    Atire a primeira pedra…

  19. Tanto talento destruído por uma personalidade bizarra. Lamentável. Era para ser hoje uma espécie de Frank Sinatra dentro de sua categoria. Mas a posteridade reserva-lhe e lembrança apenas de suas maluquices.

  20. não, né! Como é que “aquilo” vai passar despercebido em um país do terceiro mundo? Ele é perseguido por todos os lados, nome e rosto.
    A Terra do Nunca foi a saída, ele não foi burro. Um parque de diversões onde jornalista não entra se ele não quiser, mas com acesso livre e justificado para crianças, afinal, é só um parque de diversões.
    Discordo do post, ele não é burro.
    É doente.

  21. Quando vejo alguém caindo de pau nas putas, costumo usar o argumento de que ninguém vende aquilo que ninguém procura pra comprar. Com relação ao jacko, ele não poderia comprar se não estivesse à venda.

Leave a Reply

Your email address will not be published.