Qual é a música

Respondendo ao Golb:

Quantos gigabytes usados com música?
Menos de 700 MB com certeza. Sempre que chega esse número eu gravo um CD e tiro do computador. Tenho algumas dezenas deles.

Último CD que comprei:
Faz tempo, porque como se sabe eu faço parte de uma conspiração mundial que ronda as redes P2P com o único intuito de desgraçar a vida dos artistas. Foram Please Please Me & More e With The Beatles & More, dois piratas japoneses dos Beatles que achei por sorte e por uma ninharia no Terminal do Tietê.

Música tocando no momento:
Mean Mr. Mustard, Beatles, uma versão pirata que o Donizetti me mandou.

5 músicas que tenho escutado ultimamente:
Fase clássica, que não é bem a minha praia, porque achei as gravações de Caruso e umas sinfonias de Beethoven disponíveis para download na BBC, e o que é melhor: gratuitas.

5 pessoas para quem passo a batuta
Ah, não vou fazer isso não. 🙂

7 thoughts on “Qual é a música

  1. Hummm…

    Também faço parte desta conspiração e não sabia.

    Ultimamente só tenho comprado CDs de bandas gaúchas alternativas, pois esses não tem jeito de encontrar na uôuáiué.

    Se bem que os dois últimos que comprei foram os da LUDOV. Recomendo!

  2. 1) Acho que só uns 100 ou 150 mb.
    2)Último cd que comprei!? ih, faz tanto tempo! Lembro não. Mas lembro o último cd que roubei.
    3)Tá tocando uma coletânea dos Beatles que roubei de um amigo. Exatamente: we can work it out.
    4) Ah, sei lá, tenho ouvido tanta coisa!

    ***

    Sobre a conspiração pra fuder os artistas: eu faço parte também, mas de um jeito bem mais radical: não compro cd original, não compro cd pirata e não baixo na internet. No máximo, quando alguém quer me dar um presente, eu aceito.

  3. 1) 5gb por que me falta espaço pra mais.
    2) Foo Fighters – ‘In your honour’.
    3) RPM – Rádio Pirata ao Vivo.
    4) Sem essa… 🙂

    Tenho sim zilhões de mp3s, mas sigo a risca a idéia que, se gosta do álbum que consegues no Soulseek, dá pra sair e comprar. Só que muitas das vezes, de um álbum, você só consegue realmente tirar uma ou duas músicas boas, guardáveis. O que acho necessário é que os artistas inciem álbums decentes, do começo ao fim. Só assim garantem meus preciosos reais.

    E concordo plenamente com a idéia de comprar álbums independentes. Vamos sempre ajudar as bandas que ainda querem fazer música sem compromisso com o ‘mercado’ e com as gravadoras. Minha proposta de vida é dar espaço para essas bandas que merecem.

  4. Acredite, eu não sou de repassar correntes e afins. Só que desta vez não consegui me resignar e fiz as indicações. Mas foram certeiras: nenhum dos azarados deu continuidade à brincadeira. 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published.