Ecologia e hipocrisia

Dia desses, assistindo a um programa sobre criação comercial de chinchilas na TV Senai, apareceu uma senhora de uma dessas ONGs dizendo que suas objeções à atividade, cujo fim é a produção de peles, eram morais. Acrescentou que era diferente da criação de gado, à qual implicitamente aferia um nihil obstat.

E aí eu me confundi. Venho tentando desde então, mas ainda não consegui ver a diferença moral entre matar uma vaca ou matar uma chinchila. Ambos são seres vivos e nenhum deles gostaria de morrer.

É compreensível e louvável que protestem contra o assassinato de filhotes de foca ou baleias. É perfeitamente justificável a consciência da necessidade de respeito ao equilíbrio ecológico e à vida selvagem; nem tanto pelos animais ou plantas, mas pela sobrevivência humana. Mas quando se trata de criação comercial, uma atividade iniciada e controlada pelo homem, há mesmo alguma diferença entre vacas, chinchilas e jacarés? Eu não consigo ver nenhuma, além do fato de que chinchilas são bichinhos fofinhos e vacas têm olhares bovinos e babam — o que, numa interpretação freudiana bem liberal, fornece a justificativa para a condescendência desses ecologistas: elas lhes lembram suas imagens no espelho e portanto é OK matar as pobrezinhas. Uma espécie de masoquismo projetado.

Se criamos bichos para o matadouro, que diferença faz se vamos aproveitar sua carne ou sua pele? Garanto que para o bicho diante do cutelo não faz nenhuma diferença. Parece sensato afirmar que a esses limites morais são justificados pela necessidade humana. Mas ninguém, por exemplo, precisa comer carne. Ela fornece proteína? Soja também. Entupa-se de soja, portanto. Carne de soja. Leite de soja. Queijo de soja. Os Rolling Stones bebem leite de soja, por que não os mortais comuns? De fato, as pessoas podem passar suas vidas inteiras comendo apenas soja. Não há necessidade objetiva de carne, assim como não há de casacos de pele.

Mas coerência não é atributo desses ecologistas radicais, baseados em distorções pseudo-humanistas que acabam adquirindo os contornos de uma religião neo-pagã e materialista.

Para eles é eticamente aceitável matar uma vaca, mas não uma chinchila. Esse pessoal, com sua moral fácil e hipócrita de classe média urbana, não percebe sequer que o manejo de uma vaca é muito mais cruel e desumano que o de uma chinchila.

Imaginai-vos, dileta leitora, tendo vossas mamas apertadas duas vezes por dia. E não vos alegrai pensando que é o toque macio ou a mordida apaixonada do vosso amante: são as mãos ásperas e rudes de um vaqueiro desempenhando sem delicadeza uma tarefa automática. Isso, claro, se tiverdes a sorte de ser escolhida para a produção de leite tipo C; porque se quiserem tirar leite A de vossos úberes, ah, minha nega, então enfiarão vossas tetas em uns aspiradores implacáveis sem nenhum sentimento. E, por favor, não deixeis que eu vos fale de inseminação artificial. É pior, mil vezes pior que a posição humilhante que assumis diante de vosso ginecologista. Voltai ao carinho de vosso amante, e hoje à noite, aninhada em seus braços, não deixeis que um calafrio percorra vosso corpo ao lembrar-vos do pobre canal vaginal da vaca diante do aplicador comprido com o sêmem do touro; nem do reto, mais pobre ainda, diante do muito longo braço do tratador, que guiará o aplicador até o útero da vaca e, caso necessário, desobstruirá seus intestinos. Esquecei tudo isso e tomai um leitinho.

É graças a esse relativismo moral que eu só confio em ecologistas vegetarianos. Por enquanto. Porque quando descobrirem que o príncipe Charles tem razão e as plantas têm sentimentos, eu só vou confiar em ecologistas mortos de fome.

E por tudo isso um dos meus sonhos é comprar um casaco de peles, mesmo achando-os terrivelmente cafonas, apenas para desfilar diante desses ativistas que ficam jogando tinta nos outros. Estaria, claro, devidamente acompanhado de uns quatro guarda-costas de excelente porte e péssima índole, apenas para vê-los dando um cacete nos idiotas quando emporcalhassem meu casaco. Se esse tipo de ativismo é a nova religião, está mais do que na hora de lhes dar um mártir.

10 thoughts on “Ecologia e hipocrisia

  1. Caraca, véi!!!
    Que post brabo, sô!!!

    Não adianta tentar enfiar coerência no cérebro dos ecologistas na porrada.

    Pensando bem, usando o método da inseminação artificial da vaca, que você descreveu com minúcias, talvez desse certo.

  2. À meia noite encarnarei em uma chinchila e roerei o teu cadáver.

    (Os chinchilas mandam dizer que não gostaram do seu post. As vacas adoraram. As lulas gigantes do Pacífico ainda não têm uma opinião formada)

  3. Hahaha, adorei a interpretação freudiana liberal!
    Quanto à ideologia, concordo com você e ainda iria adiante: coelhinhos igualmente fofinhos são criados para o abate com aproveitamento de carne E pelo. Qual a posição dos ecologistas neste caso?

  4. E a produção de foie gras então! Putz, aquilo é revoltante, tadinho dos gansos!

    Eu adoraria ter um casaco de pele…mas de pele humana… bwuahuahauaha…

  5. Rafaé, existem absurdos que realmente devem ser combatidos. Todos, por exemplo, deveriam ser proibidos de respirar para que fosse preservada a vida de milhões de seres microscópicos que são estupidamente tragados a cada instante. Valorosamente os devotados soldados da FGA (Fundamentalistas da Gripe Aviária) estão cuidando disto: breve não haverá mais ninguém pra respirar. Nem pra vestir casaquinho de pele. Te cuida.

  6. Salve, Rafael,

    Ecologia é algo importantíssimo e, infelizmente, necessário. Mas não ouso chamar estes extremistas (não uso termo radical pois o entendo como antônimo de cosmético ou superficial) de ecologistas. Se estivessem realmente interessados em preservar as chinchilas (a espécie, claro) incentivariam a criação comercial das mesmas. Ou alguém acha que existe possibilidade de extinção das vacas enquanto houver gente reproduzindo-as para comê-las?
    O que não podemos fazer (e você não o fez) é colocar todos em mesmo balaio. Existem ecologistas/ambientalistas sérios.O fundamento da ecologia é o equilíbrio, e estes extremistas são uns desequilibrados, hehe.

  7. E disse Deus : Eis que vos tenho dado tôda a erva que dá semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto de árvore que dá semente, ser-vos-á para mantimento.E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que ná alma vivente, toda a erva verde será para mantimento, E assim foi.(Genesis,1:29)

Leave a Reply

Your email address will not be published.