Renata Maneschy

O post de ontem foi uma egotrip maior do que parece.

Do outro lado do diálogo estava uma moça chamada Renata Maneschy — Tata para os íntimos.

E um elogio da Tata — ou melhor, a concordância com um auto-elogio — conta muito. Não apenas porque ela é uma das mulheres mais inteligentes que conheço, ou porque nossas conversas num boteco qualquer de Copacabana (mesmo quando estouro e fico puto, né, Tata?) ou no MSN dariam um livro mais engraçado que qualquer coisa que o Monty Python poderia conceber. Mas porque, acima disso, acima da inteligência e do raciocínio rápido, acima da capacidade de sintetizar em poucas palavras pensamentos ao mesmo tempo cruéis, afiados e engraçadíssimos, a Tata tem um talento descomunal.

Por tudo isso, por ser seu amigo e por ter uma admiração quase sem limites, eu sou suspeito para falar da Tata.

Sou suspeito, mas não sou desonesto, como disse alguém que admiro sobre outro grande talento gráfico.

No site do Prêmio Esso, um dos mais importantes do jornalismo brasileiro, um livro com os melhores momentos do prêmio está sendo anunciado. E entre os destaques está ela, a Renata Maneschy, a moça que atualmente é a diagramadora do Segundo Caderno e do Prosa & Verso d’O Globo. Aspirantes a escritor fariam um bom negócio puxando seu saco. E ainda tinham direito a boa conversa, se conseguissem suportar a sua crueldade.

Lendo a lista dos destaques do Prêmio, uma coisa me chamou a atenção, algo que eu não sabia. E eu achava que sabia o suficiente. Sabia, por exemplo, dos quatro prêmios Esso que a Tata deixa jogados na casa dela; sabia até dos prêmios internacionais que ela tem.

Mas não sabia que, ao lado da Dorrit Harazim, uma grande jornalista, a Tata é a mulher com mais Prêmios Esso no Brasil.

Isso não é para todo mundo. Não, mesmo.

Por isso a egotrip de ontem. Os elogios de algumas pessoas contam muito. O da Tata é um deles.

4 thoughts on “Renata Maneschy

  1. Já vim aqui antes, até que gosto de algumas coisas que escreve… valeu! Adorei saber de sua amiga…Viva às mulheres!!! heheh
    Té mais!

  2. Puts, dá pra escrever um tratado! Vou ressaltar um, somente um, um dos milhares de prismas, sem entrar nem pensar (cruz credo!) na discussão filosófica ou sexista: “Se existe camaradagem: que possa existir também a amizade!”- Nietzsche. Linda amizade. Beijos aos dois :*

Leave a Reply

Your email address will not be published.