Pequeno guia amoroso de Aracaju (I)

O Brisa do Rio é um restaurante que me foi apresentado este ano. Foi uma das boas surpresas que eu tive; eu conhecia o restaurante que fica ao lado, mas não esse. Fica no Bairro Industrial, margem direita do rio Sergipe, zona norte de Aracaju. O Brisa do Rio tem um peixe e um pirão invejáveis. E uma pimenta que faz frente à do Iemanjá, em Salvador.

Seus atrativos culinários são suficientes para que, em defesa do conforto e da compostura do local, a gerência coloque um aviso para que as pessoas não se excedam quando começa a música ao vivo, aí pelo final da tarde.

O banheiro, no entanto, não está no mesmo nível do peixe. Em toda a minha vida, eu nunca tinha visto um banheiro assim.

Mas a vista compensa qualquer coisa.

20 thoughts on “Pequeno guia amoroso de Aracaju (I)

  1. Acho tão chato isso de não poder dançar em um lugar que tem música..compreensível até certo ponto não dançar entre as cadeiras, mas tão chato…

    O que será que se faria se alguém dançasse?

    Viria um segurança grandão e colocaria a pessoa pra fora?

    hehe

  2. É melhor fazer xixi nas calças do que usar um banheiro desses…eu nem beberia para não correr o risco de querer fazer xixi. Esse banheiro com certeza altera o ticket médio da casa. Fácil…

  3. Pois eu adorei a coisa da “mijadinha” com vista para o rio!!! Isso pelo menos é bem melhor que a urina nas calçadas, tão típica aqui em Salvador que até ganhou pesquisa de doutorado feita por um estudioso Francês. Ele comparou os cheiros da cidade com os cheiros de Paris — vê se pode? Em suma, quase uma defesa da furtiva mijada em público contra a falta de cheiro das assépticas capitais européias, risos…

  4. Cara …
    Esses estilo “sujinho”, sem brincadeira, são os melhores.
    Aqui existe o inigualável sacy, de mais de 70 anos (ii… se abusar, muito mais), que é o “inventor” do lombo e paozinho com queijo, uma coisa só existente poraqui (graças a Deus).
    Quem prova, gama.
    E o “estilo” é cuspido e escarrado o desse teu “Brisa .. “.
    Ou seja, deve ser mal de restaurante bom (rs).
    Qualquer dia que tiver o desprazer de conhecer Itapetininga, o prazer de comer aquele lombinho com queijo vai te compensar.
    Abrassssssss

  5. nestes tempos em que a preocupação com o meio ambiente vende desde jornais de quinta a roupas de primeira, mijar no rio e comer o peixe é altamente ecológico. Reciclagem.

  6. Vontade de escrever algo GRANDIOSO aqui sobre o que vi e li sobre “O pequeno guia amoroso de Aracaju (I)”, mas só sei dizer que é necessário um certo cuidado ao usar o banheiro masculino, “as madeiras estão deterioradas e se algum freguês estiver encantado com a paisagem ou um tanto embriagado poderá cair na água junto com os seus dejetos ao escorar naquele parapeito”.

  7. Mas nada se compara ao cardápio do bar do Joel na Atalaia onde está escrito: Aqui temos uma clientela familiar e avisamos aos casais que não permitimos beijos e carícias íntimas em nossas mesas.

    Ficar de pau duro. Nem pensar.

  8. UM PÉ SUJO DESSE, DE PRIMEIRA GRANDEZA,DEVERIA PELO MENOS PERMITIR A DANÇA, MELHORAR A FREQUÊNCIA; O QUE TALVEZ DARIA CONDIÇÕES DE CONSTRUIR UM PÉ SUJO MAIS SEGURO, HIGIÊNICO, SEM PERDER A APARÊNCIA SAUDÁVEL DE SUBMUNDO.

  9. Ai esta a vida é mesmo assim, tem liberdade aqui na Europa, nao podemos dar largas as nossas emocoes e vontades, tudo tem de ser certinho, viva o Brasil, com tantos encantos e recantos.

  10. Ei, vc é de Aju? Era para eu estar aí agora. ê mundo pequeno…

    Inclusive já fui nesse restaurante (ou em um dos outros, ao lado, se não me engano), e apóio a questão da vista e da comida. Muito bom!

  11. Não liguem para o que o Jeferson de Mello Menezes escreve.Ele é mais picareta de todos os homens e cafajeste.Não merece crédito com o uqe fala.

  12. descobri teu “blog” procurando matéria sobre uma novela de Jorge Amado. Tentei acessar uma resenha que você escreveu e não consegui. E aí, encontrei esse texto sobre Aracaju, que eu amo tanto.
    Gostei.

Leave a Reply

Your email address will not be published.