Orgulho e cada vez menos preconceito

E não é que o Sergio Leo continua com sua pequena obsessão — mais especificamente, sobre homossexuais e a garantia de seus direitos?

Um belo post com direito a imagem de uma cena polêmica de “Spartacus”. E um longo e tortuoso processo de definição de uma identidade que parece finalmente estar chegando ao seu desenlace.

6 thoughts on “Orgulho e cada vez menos preconceito

  1. ahahaha, temos mesmo que ter paciência, esperar para ver.
    O cara começou vegetariano, tenta se introduzir na volúpia da carne, mas por falência dos adjetivos se torna bem sucedido em Cristo.
    E não podemos descontar o fato que quando criança ele teve predileção por bolas.
    Vamos dar nosso apoio.
    Quem quiser conferir as confissões do Leo clica aqui ó: http://verbeat.org/blogs/sergioleo/2009/02/jornal-nao-tem-meme.html

  2. Estava esperando o feed back dos amigos gaúchos (Milton Ribeiro, onde anda esse cara?) Mas os cinéfilos atacaram primeiro. Spartacus, muito bem, você está por dentro, caro galvão, sem trocadilho. Tony Curtis e Laurence Olivier. Direção Stanley Kubrick e roteiro de … Gore Vidal. Grande Gore Vidal.

  3. Ó, o Rafael já me esclareceu que o roteiro do Gore Vidal foi pro Ben Hur, não pro Spartacus, bem lembrado. Mas mostrou que é cinéfilo de almanaque. Quem viu o Toni Curtis com o Laurence Olivier nesse filme, não tem dúvida de que é do terceiro setor.

    Rapaz Alexandre, você está muito tenso. Precisa de uma massagem, ou de uma conversa tranquila. Vamos marcar uma visita lá em casa, te mostro minha coleção de santinhos do seminário Dom Bosco. Venha com roupas leves, confortáveis.

    (Aliás, falei com seu futuro chefe hoje. Um dos melhroes quadros do Itamaraty, grande amigo meu)( (((-;

  4. Tenho andado bastante por São Paulo na região da Paulista e Vila Olimpia e vejo com naturalidade que as manifestações de carinho entre homosexuais, assim como com casais hetero, estão se tornando cada vez mais frequentes e não restritas a fim de semanas. É comum se ver casais de gays ou lésbicas andando de mãos dadas e se despedindo com um beijo, o que, penso, não infringe a regra de ouro. Li recentemente Eu, Primata, de Franz de Waal e fiquei surpreso ao descobrir no livro, que recomendo e que está disponível pela minha biblioteca particular, a http://www.haroldchimp.com.br, algumas afirmações do especialista em comportamento de primatas no sentido de que há sim homosexualidade entre chimpanzés e bonobos, via fricção da genitália (pênis ou vagina)ou masturbanção entre indivíduos do mesmo gênero. abs,

Leave a Reply

Your email address will not be published.