Mundo estranho, esse

Todo mundo chorando a morte de Michael Jackson, todo mundo falando sobre a sua importância artística, e isso, e aquilo, e tudo em que eu consigo pensar é em quantas crianças deixaram de ser sexualmente molestadas com sua morte.

15 thoughts on “Mundo estranho, esse

  1. concordo… quando penso em ter pena do cara ou lamentar a morte do astro, só consigo pensar que ele era um pedófilo!

  2. e a farrah fawcet? ela morreu cercada pelos amigos, ao lado do homem que a amou e ela amava, cercda de amigos… e o cara, sozinho, entupido de drogas,mentalmente lesado… e ficam falando do retardado, não de quem foi digno e discreto na hora de morrer… o mármore do inferno estará rebolante este fim de semana.. blargh!

  3. eu lamentei pela morte dele não pela pessoa, mas pelo artista (pretérito, não presente). há muita gente que não consegue dissociar uma coisa de outra e eu entendo isso, mas de toda forma a morte representa um marco, é a história passando na nossa frente. e pra história da música, mj foi um bocado importante.

  4. Rafael:

    Eu nào acho que o Michael Jackson fose um pedófilo, mas sim um, literalmente, retardado mental, que gostva de companhia de crianças porque pertendia ser, e se sentia, uma delas para sempre.

  5. Primeiro blog que eu vejo que posta alguma coisa coerente com a realidade sobre a morte do cara.

    Não só um pedófilo, mas um grande racista, e o pior tipo de racista: que repugna sua própria etnia e seus próprios ancestrais e origens.

  6. Sei lá, Rafael. Desde o início o pessoal avançou com tanta gula no dnheiro do cara que fiquei me perguntando o quanto de verdade havia em tudo aquilo. Como artista, sempre o achei genial. Mas MJ era meio infantilóide. De repente, era só uma brincadeira de troca-troca.
    Falar nisso, dizem que, ao chegar no céu, a primeira coisa que o MJ fez foi perguntar pelo Menino Jesus.

  7. Ah kra… Sr Galvão e suas máximas.

    Mas hei de discordar. Sou fã e sou suspeito, por isso discordo gratuitamente.

    Genialmente, o blogueiro Rubens Filho, do blog “Amigos de Pelotas”, acerta: “No final, Michael vivia do que achávamos que ele fosse, pois ele próprio já não sabia quem era.”

  8. Rafael, acompanho há muito tempo o seu blog e leio seus textos, sempre com admiração e respeito. Não sou de postar comentários porque eles muitas vezes são fontes de incompreensão mútua e acabam com as amizades.
    Mas desta vez fiquei chocado com o seu cruel comentário sobre a morte de Michael Jackson. Dinte de tamanha vilania, resolvi me manifestar. Não sou fã de Jackson, não fui contaminado pelo sentimentalismo idiota que está sendo semeado sobre a memória dele, nutro abjeção pela mídia hipócrita que agora o está canonizando, etc. Entretanto, creio que, por pior que alguém possa ter sido, merece um pouco de respeito ou ao menos de nobre desprezo. Frases como esta “tudo em que eu consigo pensar é em quantas crianças deixaram de ser sexualmente molestadas com sua morte” me causam um mal estar infinito. Desculpe-me pelo desabafo. Sempre admirei a sua lucidez, o seu bom humor e o estilo de seus textos.

  9. Rafael, você por acaso viu os posts do Luciano a esse respeito lá no Reflexões no Paranoá? Estão plenamente alinhados com o seu pensamento.

  10. “o cara foi bom um dia,mas virou aberração” [2]
    Ou talvez, ele sempre tenha sido uma aberração, que só se manifestou plenamente mais tarde, quando a sua estupidamente gorda conta bancária lhe permitiu botar em prática as suas piores loucuras.

    Será que ele de fato ‘molestou’ ou se deixou ‘molestar’ por algum menino? Duvido!!! Pra mim, o cara morreu virgem! O seu problema estava mais para Sindrome de Peter Pan do que para pedofilia.

  11. “Ou talvez, ele sempre tenha sido uma aberração, que só se manifestou plenamente mais tarde…”

    Isso vale para todos nós.

  12. Rafael, você não sacou ainda a chave da compreensão do cara: ele era castrado! Explica tudo, não?

Leave a Reply

Your email address will not be published.