Por que Marina Silva não será candidata

A idéia por trás de cada uma das tentativas da mídia e da oposição de inflar a candidatura de Marina Silva para presidente da república — e virão mais por aí, ao longo dos próximos meses; o nome de Ciro Gomes é um dos mais prováveis — é declaradamente impedir que as eleições de 2010 assumam um caráter plebiscitário, em que o eleitor utilize o seu voto para, mais que eleger um novo presidente, aprovar ou não o governo Lula. A parcela da sociedade que se empolga com a candidatura de Marina faz isso porque acha que ela poderia evitar esse cenário em potencial, aterrador diante dos índices de popularidade do presidente.

Sem essa possibilidade, sua candidatura aderna e naufraga. É o que deve acontecer.

O desespero é mau conselheiro, e é apenas ele que explica o fato de algumas pessoas terem visto na senadora e ex-ministra uma possível anti-Dilma, uma mulher que embolaria o meio de campo de uma eleição que começa a ser definida cedo demais e a favor do governo; que garantiria um segundo turno e, com uma boa dose de sonho, poderia até tirar a candidata de Lula da disputa, abrindo caminho para uma candidatura mais sólida do PSDB — Serra, por exemplo, embora o Luís Nassif já tenha demonstrado com precisão por quê a sua candidatura não vai funcionar.

Mas eu insisto que Marina Silva não vai ser candidata — ou, se for, vai ser candidata nanica, sem apoio político, sem horário na TV, sem repercussão, sem nada, infelizmente candidata com menos expressão do que Heloísa Helena nas eleições passadas.

Marina não vai ser candidata porque não agrega nada à oposição. Se em um primeiro momento as pessoas se empolgaram porque ela poderia ser uma espécie de “Lula da oposição”, por causa do seu sexo e por causa de sua história, basta uma olhadinha simples para ver que ela, além de não oferecer uma solução real para o dilema da oposição, pode representar também um problema.

O que a direita não entendeu, e eu faço aqui o favor de explicar de maneira bem didática e simples, é que não foi só o país que mudou nesses oito anos: a história de Lula também. Não é mais a história do pau-de-arara nordestino que enfrentou a ditadura e chegou à presidência da República. É a história de um homem que, presidente, transformou o país. Além disso, falta à oposição entender que em 2002 não foi apenas a história de Lula que o elegeu: foi o conjunto de propostas, tudo o que a sua figura representava ao longo de pouco mais de 20 anos de trajetória política. Se as pessoas finalmente votaram em Lula foi porque queriam por à prova o seu discurso e as suas propostas.

Marina não representa uma substituta à altura em termos eleitorais, em primeiro lugar, porque não oferece uma proposta real de governo. Tem apenas um discurso fácil que mistura exemplo pessoal, posicionamento de defesa aparentemente intransigente do meio-ambiente e talvez uma fatia indefinível de eleitores evangélicos. O problema é que candidatos de uma plataforma só não vão a lugar nenhum, e Cristovam Buarque está aí para provar.

Mas o grande entrave diante da candidatura de Marina Silva, e é isso que provavelmente impedirá que ela seja candidata, é que ela canibaliza a verdadeira candidatura da oposição — um Serra, digamos –, sem agregar força suficiente para se tornar a opção preferencial.

Apesar do que a maioria dos analistas acha, Marina não deve tirar uma parcela realmente significativa dos votos que Lula deve transferir para Dilma, porque o seu discurso diz pouco ou nada a essa parcela da população. O nicho de Marina seria justamente boa parte de uma classe média que já tem uma inclinação clara pelo voto contra o candidato de Lula — gente preocupada com temas como aquecimento global e razoavelmente seguras de sua própria estabilidade econômica. O mais provável é que Marina tire os votos que já são do PSDB, os votos da oposição. No Rio de Janeiro, como apontou o Maurício Dias na revista Carta Capital, ela destrói a base eleitoral do PSDB, que em tese seria a base de Gabeira. No Nordeste, a região que mais cresceu nesses oito anos, reduzindo bastante o nível de pobreza, e historicamente infenso a esse discurso, a situação é ainda mais crítica.

No fim das contas a candidatura de Marina, se se confirmar, será um desserviço a ela mesma e à sua história. Este blog elogiou Gabeira quando saiu do PT, naquele momento um movimento coerente e digno — elogios que hoje, ao ver a sua transformação em vestal udenista hipócrita, não mantém. Mas olha decepcionado para Marina — pela sua ingenuidade ao se prestar ao papel de boi de piranha da oposição em nome da construção do seu próprio projeto político, pelo oportunismo demonstrado no momento escolhido para saída do PT e pelo namoro com um partido que, já há pelo menos uns bons quinze anos, tem se mostrado pouco mais que acessório de luxo do que a política brasileira tem de mais conservador. É decepcionante que uma mulher de valor inegável, uma pessoa que um país inteiro aprendeu a respeitar pelo seu exemplo, acabe voltando as costas para a sua história e tente se transformar na musa do verão 2009/2010 da república Morumbi-Leblon.

27 thoughts on “Por que Marina Silva não será candidata

  1. zorra! Gabeira udenista é flórida, hein? e o q vc diz dos seus companhêros Sarney, Renan e Collor. grandes progressistas, né??? kkk e outra: vc acha mesmo que Dilmão com aquela “simpatia” toda q lhe é peculiar vai emplacar no gosto dos eleitor, é?

  2. ops. e Sarney, Renan e Collor serão os musos do verão 2009/2010 do Capão Redondo, de Garanhuns, do ABC e similares? hehehe

  3. Fico impressionado com a capacidade premonitória do autor do texto.Principalmente os dons proféticos de prever o resultado das eleições láaaaaaa no ano de 2010, antevendo nos detalhes o que vai acontecer com grande precisão com cada candidato envolvido no futuro pleito eleitoral presidencial. Uau…… Fico em dúvidas até se vou votar, já que a eleição da Dilma está firmada pelo destino.

  4. Gabeira udenista sim, caro sr. anônimo. Com este terrível e fácil discurso moralista feito sob medida para o senso-comum da classe média bovina e para o automático aproveitamento do PIG e da direita. Em porto Alegre, 1996, a imprensa(Zero Hora)dizia, quase diariamente, que o candidato (e na época vice-prefeito) Raul Pont(PT)não iria se eleger, que tinha sido uma péssima escolha do partido porque era um candidato antipático, CASMURRO (esse era o termo que mais usavam). Pois bem, não só se elegeu, como foi o único dos prefeitos de Porto Alegre após a redemocratização eleito no primeiro turno… você pode se surpreender em 2010 com Dilma… vamos ver…

  5. perfeita a análise.

    a marina, coitadinha, foi picada pela mosca azul,

    vai jogar fora sua história, fazendo o jogo da direita.

    o povo simples, para desespero da tal classe média, viu sua vida progredir no governo lula,

    quem é esse povo?

    essa é fácil: 80% do total do povo brasileiro.

    a direita já percebeu que perde já no primeiro turno,

    ai se agarrou no primeiro “fio desencapado” disponível:

    marina.

    quando, ao contrário do que desejavam, perceberem que marina tira votos de serra e não de dilma,

    marina vai virar “mulher de bandido” do pig.

    pior para nós, depois de marina vamos ter que aturar ciro.

    vai ser leve porque a eleição,

    essa a dilma vence já no primeiro turno.

  6. Rafael:

    Você tem toda razão.

    A Marina Silva não agrega nada; a Dilma não serve pra nada; o Lula não vale nada. Gentalha!

  7. Rafael:
    Bela análise política, não é tão-só elogio ao texto, mas também a clareza como vc profetiza o possível quadro sucessório de 2010! O seu texto me faz lembra outro de igual importância. Foi quando nos idos da crise do “mensalão”, precisamente dezembro de 2005, o grande Mino Carta vaticinou que o Lula conseguiria a reeleição! Imagine como o cara foi esculachado por tal profecia política, porém acertou na veia! Vc segue a linhagem dos grandes jornalísticas. Parabéns!

  8. se a Marina fosse para um partido decente eu até votaria nela
    mas encangada com a udr assassina
    arreda cabrunco
    vôte, satanás

    tadinha, ela continua sendo minha musa
    desde que deixou bem claro que não está contra o Lula
    está numa sinuca de bico

    já pensou a Marina num comício com os que querem entregar o pré-sal e destruir a Petrobrás?

    espero que ela dê a volta por cima

    para não estar no mesmo palanque dos latifundiários
    que assassinaram Chico Mendese

    vá para um partido decente, Marina
    ainda tem tempo

  9. Perfeita a análise. A questão: Marina seduz eleitores de Serra, e não os de Dilma. Colocação perfeita.
    No mais, acho que quem não veste a camisa do partido, quem em nome da vaidade vai para a linha auxiliar da oposição, não faz falta nenhuma ao PT. nome aos bois: Cristóvam, Gabeira, HH e Marina.

  10. Caro,

    Eu sou da república provinciana do interior de Minas Gerais: ateu, a favor do aborto, contra o ensino religioso nas escolas; contra a exibiçào de cultos religiosos na TV aberta; a favor da união civil de casais de mesmo sexo; totalmente contra o ensino do criacionismo nas escolas; contra o discurso verde de eco-chatos que defendem com a própria vida uma arara-azul, mas se esquecem das milhões de pessoas no Brasil que não têm sequer saneamento básico. Dá pra ver que vai ser difícil a Marina Silva ter meu voto. Mas não acho que ela virou as costas a sua história. E não vejo o porque da militância petista se assanhar e querer matar a candidatura dela com argumentos moralistas de traidora da frarternidade.
    Enfim, o meu entendimento é que o PT parece estar com a eleição no papo. Só vai perder mesmo se não conseguir controlar a própria empáfia. Que está nas alturas.

    Rodrigo-Uberlândia

  11. “…acabe voltando as costas para a sua história…”, é da Marina Silva mesmo que você tá falando, meu velho?

  12. zorra, Mauricio, se Gabeira é udenista, o q é, então, Sarney, Renan e Collor???? e não venha com a lorota de que eles tambem apoiaram FHC. o impossível era esses “progressistas” estarem do lado de Lulla, né?
    e quem é Wilma???

  13. Ficou provado nas eleições municipais que o presidente Lula não consegue transferir sua popularidade a outros candidatos. Tudo bem que usar Marta Suplicy como exemplo, pode parecer incoerente, mas a Dilma consegue ser mais antipática que a Marta e olha que isso é bem difícil.

    A Marina Silva tem uma bela história, humildade, carisma e demonstra através de seu discurso coerente e inteligente que está preparada para ser Presidente do Brasil.

    Gostaria que ela tivesse uma base política mais forte, pois é o que falta para sua candidatura de consolidar.

  14. Da pra ver que o autor não entende nada de política, apenas de políticos:

    “O que a direita não entendeu, e eu faço aqui o favor de explicar de maneira bem didática e simples, é que não foi só o país que mudou nesses oito anos: a história de Lula também.”

    Que direita, Xará? Onde há direita no Brasil? Digo, direita ideológica, porque livre mercado todo mundo defente, afinal, é ele que gera impostos que inflam os recursos da união a as roubalheiras dos políticos. Desde quando o PSDB é direita? Desde nunca. PSDB é a Social-Democrácia, auto-intitulada opção aos comunistas e a direita. O que veremos nestas eleições é apenas a confraria das esquerdas golpistas.

    Rodrigo…
    “ateu, a favor do aborto, contra o ensino religioso nas escolas; contra a exibiçào de cultos religiosos na TV aberta; a favor da união civil de casais de mesmo sexo; totalmente contra o ensino do criacionismo nas escolas;”

    Da pra ver que o seu negócio é democrácia, mesmo. Democrácia nos seus moldes. Mas um pseudo-liberal ateu. E ainda chamam os religiosos de obscurantistas…

  15. Bebeto,

    Não disse que sou democrata. Disse que sou provinciano, do interior de Minas Gerais, sô.
    E defendo que qualquer um possa dizer a besteira que quiser: eu, você e todos os religiosos.
    Te confesso que tenho até uma simpatia por aquele pastor, o Jim Jones. E adoro seus fiéis, são os de que mais gosto.
    Não quero te calar. Só não quero proselitismo religioso nas escolas públicas e na tv aberta. E que cada um possa cuidar da própria vida e do próprio corpo.

    abs.Rodrigo-Uberlândia

  16. De fato, o momento da saída de Marina foi inoportuno. Seu discurso é bom, mas, certamente, não há plano de governo. COmo a conheço e vendo sua entrevista em talks-shows da vida não afirmo com certeza que a intenção dela era uma candidatura presidencial. MArina é bastante apegada à sua moral e ética próprias, mas, como política, não é boba.

    O que me surpreende é a direita porra-louca ter agarrado nela como quem gruda em um espantalho. Pena que o espantalho, pelos motivos expostos e por outros vários, não mete medo em ninguém.

    Ainda acho que os Pefelês e tucanos da vida não entenderam o recado que o povo deu na última eleição. O povo pode ser tudo, quando olha para umas “putas-virgens” como o Artur Virgílio, Heráclito Fortes e outros defendendo aquilo que eles não praticam o povo sabe que estão sendo hipócritas e subestimando a inteligÊncia deles. O recado foi dado, o tal do Democratas (ridículo e provinviano esse nome) diminuiu a passos largos na última eleição. Só não entende quem não quer…..

    Abs.

  17. é cada expricação sensacional!!! os demos e a tucanalha é o lixo do brail, mas a petezada lullista não fala mais mal de Sarney. Collor, Renan. aliás estes são heróis da esquerda, né?

  18. sinto que realmente caminhamos para um terceiro mandato quando, das hostes conservadoras,ouve-se o estertor dos moribundos em desespero.
    bebeto may, essa raiva faz mal pra tua saúde, rapaz. Fica assim nao, relaxa e aproveita os novos dias que estão pra chegar.
    Ajoelha e reza pedindo a papai do céu calma e resignação.

  19. Sempre que falam das eleicoes 2010 eu vejo o lula vestido de flinstone entrando pelo planalto e gritando:

    DIIIIIIIIIIIIIILMAAAAAAAAAAAAA!!

  20. Caro petista maranhense, não há heróis nessa briga. A Marina , aliás, devia ir pra casa cuidar do seu jardim e dos bagres ameaçados.
    A tucanalhada, essa direita moderninha e esclarecida nõ oferecce maiores perigos.é tudo cobra sem veneno.Dançaram.
    Quanto a caterva a que vc se refere, essa velha oligarquia dinasticamente enraizada no poder,com essa gente sim, ha que se ter cuidado. E aos verddeiros inimigos, vc sabe, é melhor tê-los sempre por perto e ao alcance dos olhos.
    São ‘aliados’ circunstanciais de qualquer um qque estiver no governo, têm consciência de sua importância na correlação de forças e cobram pelo serviço. Legal, e c0nstitucionalmente como reza a civilizada cartilha da democrcia.

    Tivéssemos tomado o poder pelas armas tava tudo comendo capim pela raiz…mas felizmnente os tempos da bárbarie acabaram. Viva a democracia!!!

  21. *thumbs up!?*

    “Sempre que falam das eleicoes 2010 eu vejo o lula vestido de flinstone entrando pelo planalto e gritando:
    DIIIIIIIIIIIIIILMAAAAAAAAAAAAA!!”

    Só gostaria de adicionar uma classe na discussão que me pareceu faltar na análise do Rafael: desespero sim, mas não só da oposição. O que dizer dos desiludidos, desapontados, e sem esperança quanto a melhoria da política que é praticada por ambos PTistas e PSDBistas? Incentivar CPI’s sem evidências, meias-verdades, atrasar o trabalho do governo motivados por dor de cotovelo, e acima de tudo CORRUPÇÃO? Será que a Marina talvez não represente esperança a essa outra leva de “desesperados”?

Leave a Reply

Your email address will not be published.