Quatro momentos

Pensando aqui nos momentos mais comoventes da história do cinema, me vieram à lembrança quatro cenas, imediatamente.

1 – O menino Ricci vendo o pai sendo quase preso após tentar roubar uma bicicleta, em “Ladrões de Bicicleta”.

2 – Zampano abandonando Gelsomina em “A Estrada da Vida”.

3 – Von Aschenbach morrendo só e triste na areia da praia.

4 – Totó descobrindo a herança que Alfredo lhe deixou, em “Cinema Paradiso”.

Não pode ser à toa que os quatro filmes são italianos.

(E, curiosamente, a cena em que Rosaria se joga aos pés do filho morto em “Rocco e Seus Irmãos” não consegue me dizer nada.)

4 thoughts on “Quatro momentos

  1. De fato, todos esses filmes serem italianos não é acaso. A Anna Magnani é típica, super dramática, resvalando muitas vezes para o histrionismo. Mas assim é o italiano, exceto talvez os de Torino, que são meio afrancesados. Meu pai é filho de italianos. Uma reunião da família dele parecia uma cena de “Parente é serpente”.

  2. Alguma de Noites de Cabíria? Adoro esse filme e a Giulietta Masina, mas faz tanto tempo que não me lembro muito das cenas, só da enorme emoção de vê-la em todas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.