Censura coisa nenhuma

Eu não pretendia falar sobre o caso Gugu, mas quando até Zuenir Ventura, em sua coluna de hoje em O Globo, cai nessa conversa de condenar (ainda que envergonhadamente) a “censura” que teria sido imposta a ele, a coisa complica.

É interessante que sempre que alguém reclama do baixo nível da programação da TV, ou pede mais responsabilidade social dela, as vozes daqueles que a fazem se levantam e gritam que é censura. Essa atitude, em grande parte, é herança das ditaduras que o Brasil viveu no século XX, principalmente a última. É até compreensível. Ninguém gosta. Principalmente porque a censura foi utilizada para coibir manifestações artísticas legítimas, que cometiam o pecado de não serem os adotados pela ordem oficial.

Mesmo nos casos acima, é um tema complexo. De vez em quando tem-se a impressão de que o “pessoal da TV” se acha acima de quaisquer forças de controle da sociedade, como se os seus critérios fossem invariavelmente melhores que os dela.

Mas agora é diferente. O que Gugu fez é crime e tem, lógico, nome: falsidade ideológica. E nunca é demais lembrar que uma TV opera sobre uma concessão do governo, e que portanto pertence ao povo. Pega mal liberar propriedade pública para que pessoas cometam crimes — sem contar aqueles contra o bom gosto, mais antigos. Crime não é questão de gosto, é questão de justiça. E uma medida judicial não é censura, não no sentido utilizado pela TV.

Agora, o pior é que tudo isso não vai contribuir em nada para melhorar o nível das tardes nas TVs brasileiras. O mau gosto vai continuar a imperar, porque a batalha por uma audiência cada vez menor e menos qualificada, do ponto de vista publicitário, pede lances cada vez mais baixos — e às vezes mais desesperados, como bem sabe Gugu Liberato.

4 thoughts on “Censura coisa nenhuma

  1. Eu também assino embaixo. E de assinatura em assinatura, a gente acaba conseguindo um belo de um abaixo-assinado… 😉 (Afinal, uma coisa é exercer a liberdade de expressão. Outra completamente diferente é contar mentira para um monte de gente, usando um veículo de comunicação cedido pelo Estado. Aí já vira bandidagem. E bandidagem tem que ser punida.)

  2. Sabe que as vezes tenho saudades daquela tela que aparecia na minha frente qdo um programa iria começar!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.