Acorda, Brasil, está na hora da escola

Essa ouvi agora, e fiquei tão impressionado que tive que dividir a experiência o mais rápido possível.

Uma professora particular estava explicando a uma menina: “frase é coletivo de palavra”.

Eu vou ficar de olho. Estou esperando o dia em que ela vai falar que carro é o coletivo de pneu. Não deve demorar.

8 thoughts on “Acorda, Brasil, está na hora da escola

  1. Dá licença que vou rir pra não chorar: HAHAHAHAHAHAHAHAHA!!! (Riso nervoso, expressão da sensação de pânico que uma informação dessas me deu). O exemplo do carro sendo coletivo de pneu foi genial. Ai… Vou ali chorar por nós, brasileiros.

  2. hehehe… Essa foi boa também, Plataformista. Gente, eu nem sabia que a língua portuguesa tinha passado, pelo menos no Brasil, por uma reforma tão radical a ponto de alterar significados de palavras. Mas, falando sério, alguém tem que dizer a essa anta disfarçada de professora que nem sempre o todo é a simples soma das partes. Aliás, os taoístas já andaram dizendo isso faz um tempinho. Se frase fosse coletivo de palavras, o que vem a seguir seria uma frase: “abacate menino o tem sapo porta para vermelho”. Acho que nem poesia concreta comporta uma coisa dessas, né?

  3. Vai ver que ela estava usando uma figura de linguagem..onde o “coletivo” seria um ônibus chamado “frase”…levando as palavrinhas para passear!! rs

  4. Desculpe,
    Pintou uma dúvida séria: Qual é o coletivo de palavras?
    POr favor me respondam
    Obrigado

  5. Triste é ver q mesmo depois dos PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) – documento discutível, mas q tem lá seu valor – a escola ainda se preocupa com o ensino isolado de palavras e/ou frases. Para o estudo da língua, ficou designado o texto como instrumento básico. A língua em funcionamento. Chega de tantos conceitos q n levam a nada. Se a escola realmente passar a se preocupar em ser menos normativa, talvez aumente o repertório da moçada, q tá q tá!
    Leandro, palavra=vocábulo….vocabulário, diz a Gramática Normativa: informação q n conduz do individual ao coletivo.
    Beijo, Rafa!

Leave a Reply

Your email address will not be published.