The boredom always rings twice

Eu não agüento Tribalistas.

Meu adjetivo preferido para eles é “chato”, só isso. Olhando seus integrantes, não poderia ser diferente.

Marisa Monte começou com uma grande promessa, depois gravou um grande disco e depois cismou que era compositora. Seus discos são profundamente iguais, com letras que uma criança recém-saída do Infantil II poderia fazer, e como cantora ela não melhorou nem um pouco de 1989 para cá.

Arnaldo Antunes, bem — digamos que seu melhor trabalho está nos Titãs.

E o Carlinhos Brown é problema do Chico Buarque, não meu.

São esses sujeitos que anunciam a possibilidade de gravar um novo disco. Deus. Já prevejo um verão lancinante, com esse calor infame do Rio, ao som de “Já Sei Bolinar”.

4 thoughts on “The boredom always rings twice

  1. Bem, o que todas essas musicas que viram modinhas de verão fazem não é justamente isso? Bolinar e acobertar a bolinação alheia? Relaxe Rafael e entre no jogo…rs

  2. Moicana, você gosta de música Sertaneja tradicional? Tião Carreiro, Pardinho e cia.? :C))))

  3. É… Acho que na verdade “boredom rings again, and again, and again… ” Fazer o quê, né? A maioria gosta, o troço dá grana e dá-he Tribalistas de novo. Ô saco! Sabia que você é a segunda pessoa que ouço dizer que não gosta daquela chatice? “Wisdom rings twice”. “Boredom rings forever”. E dá-lhe Arnaldo Antunes anotando tudo o que a filha pequena diz para transformar em “poesia concreta”. Será que ele paga direitos autorais a ela? Ah, e quando a guria crescer? Vai ter que fazer outro filho que dite frases do tipo: “o girino é o peixinho do sapo”.

  4. Graças a Deus…só tomei conhecimento destes “tribalistas”…(Leia-se..ouvi falar!!) esta semana…

Leave a Reply

Your email address will not be published.