A triste saga de Amâncio

No final de 96 eu era freqüentador assíduo do #sergipe, canal de IRC. Morava em Aracaju e boa parte de meus amigos estavam por lá (é engraçado: migramos do real para o virtual, na contracorrente). Meu nick era Tomahawk, nascido um ano antes na SyNC-Net, uma rede de mensagens via BBS em cujo “Abóboras” eu vivia falando besteira.

Foi quando um dos usuários, Wesley, apareceu com um pequeno script que dizia “Wesley bate em Fulano com um pato de borracha”.

Eu não gostava de scripts e comecei a implicar com aquilo. Aos poucos, a gente foi desenvolvendo uma história para esse pato de borracha, batizado de Amâncio.

A história foi ficando bastante engraçada. Demos muitas gargalhadas enquanto inventávamos absurdos para o pato. Até a hora em que enchi saco e “matei” o coitado. Duas vezes.

Acabei escrevendo a história de Amâncio. Arrumei umas fotos, escrevi a texto na linguagem mais típica de folhetim barato que pude imaginar e coloquei nas páginas no Geocities. Ficou lá por muito tempo.

Mas semana passada descobri que o site finalmente tinha sido apagado, 7 anos depois, junto com a biografia de Tomahawk. Para mim é quase como o fim de uma era.

Graças ao Internet Archive Wayback Machine consegui encontrar uma cópia. Então resolvi dar uma atualizada no HTML, tirei as midis que forneciam a trilha sonora, e coloquei a triste saga de Amâncio de novo no ar.

Provavelmente, a história tem mais graça para quem viveu aquilo. Mas talvez valha a pena, sei lá, apesar do tamanho. Se você tem tempo, vai .

2 thoughts on “A triste saga de Amâncio

  1. Rafinha… vim dar oi aqui no seu novo endereco… tá fofo! quanto a arqueologia do irc, para com isso, fiz 28.. to me achando uma velha… hahahaa beijos e saudades

Leave a Reply

Your email address will not be published.