Buda vs. Jesus, round 1

O comentário do Bia ao post sobre “A Paixão de Cristo” me deixou pensando qual é, afinal, a força do cristianismo.

Um camarada saiu-se com essa: o Buda do Bertolucci nos causa uma sensação tão boa — e a história é tão onírica — que contrapor os dois filmes talvez aponte onde está o problema de toda civilização ocidental; a direção moral simbolizada em um homem incompreendido sangrando numa cruz.

A história ocidental não é, em hipótese alguma, a história de gente seguindo os ensinamentos de Cristo. Aliás, em nome deles a Igreja perpetrou alguns dos maiores crimes que a história já viu, das Cruzadas à Inquisição.

Ao mesmo tempo, os budistas quando no poder tampouco levaram adiante os ensinamentos de Sidarta. Um artigo do Pedro Dória em nomínimo conta o que era a vida no Tibet antes da invasão chinesa: escravidão, total desrespeito à liberdade e otras cositas más. Os primeiros hospitais e as primeiras escolas laicas foram implantadas pelos invasores.

Ou seja: fico com a impressão de que a religião não é forte o suficiente para mudar uma sociedade.

Mas acho que essa idéia define com exatidão a psique individual nessas sociedades. A idéia do Cristo crucificado dá aos cristãos uma noção de culpa irreparável e necessidade de arrependimento que não existe em outras sociedades. Foi talvez a principal razão de sua ascensão. Hoje, nessa mesma sociedade ocidental, em que a noção de vida eterna se universalizou e é tomada quase como certeza absoluta — e quando não é deixa de ter qualquer importância, contrária ou favorável — há um movimento em direção ao budismo, talvez em busca de justificativa e consolo para seu materialismo crescente.

Dizem que os japoneses vivem como budistas e se tornam xintoístas à medida que envelhecem e se aproximam da morte, porque cada uma dessas filosofias oferece respostas mais adequadas — ou justificativas — a cada idade. No fim das contas, as pessoas continuam as mesmas, e segundo Belchior vivem como seus pais.

***

Paulo, acho que o original está certo. Seriam duas opções possíveis, ambas corretas: “falharam ao não perceber” e “falharam em perceber”, com significados finais ligeiramente diferentes.

Quanto a se poder amar um homem, eu acho que sim. Também acho que um homem tem todo o direito de conhecer outro no sentido bíblico. Cá para nós, faria realmente diferença se Jesus se esbaldasse em brincadeiras lúdicas com João (ou com Maria Madalena, como querem alguns)? Seus ensinamentos perderiam sua força e sua verdade, se você vê alguma nelas?

6 thoughts on “Buda vs. Jesus, round 1

  1. tá certo – mas o primeiro round foi vencido por buda! esse comentário do meu amigo ficou na minha cabeça. aqui no ocidente, onde vamos nos deparamos com o sujeito lá na cruz, sofrendo. as carolas levam o cara sofrendo no pescoço. você entra num comércio: tá lá jesus no último suspiro! na banca de jornal que oferece revista pornô. aí você pensa em buda, debaixo da árvore da VIDA, em flor-de-lótus, sereno… quando josef campbell visitou o japão pela primeira vez se impressionou com os templos – amplos espaços com muita área verde. “eu entendo o propósito dessa interação com a natureza, mas não compreendo sua IDEOLOGIA”, disse a um monge xintoísta. “nós não temos ideologia – nós DANÇAMOS!”, foi a resposta. um outro amigo, o dr. mário bucci, disse ontem: “estou cansado de ver cristo morrer. faz 50 anos que vejo cristo morrer no cinema, na semana santa, nos crucifixos… queria ver o CRISTO VIVO”. aí peguei para reler o BUDA de borges e alicia furtado. quando buda acha que chegou a hora de morrer, come um pedaço de porco salgado (uma bela refeição) e deita-se sob uma árvore que floresce imediatamente – e ele se vai. que coisa inspiradora!

  2. Bom, fico feliz de ver pessoas comentando sobre filosofias e as comparando. O aspecto da filosofia budista difere da filosofia cristã, pois os objetivos de cada filosofia diferem entre si. O cristianismo busca uma felicidade fora do ser humano que está em Deus ou é concedida por ele. Já a filosofia Budista acredita que este potencial de felicidade está dentro de cada individuo. Ou seja enquanto uma filosofia prega a felicidade relativa (a algo externo) a filosofia budista prega a felicidade absoluta pois esta não depende de nda.
    Outro ponto importante é com que finalidade cada religião se propagou, o budismo foi propagado até os dias de hoje pelos seus seguidores leigos – vertente Mahayama e o cristianismo foi propagado pelos estados colonizadores numa época em que a igreja tinha poder.
    Portanto foram interesses diferentes no amago da propagação destas filosofias que dá ao budismo uma visão de mundo mais abrangente e livre de preconceitos. Outro ponto importante é que a filosofia budista se baseia num principio fundamental para sua real eficácia o, que é o principio de Shitei Funi – que significa Mestre e discipulo sem o qual não haverá mudança do aspecto real do individuo, pois pscilogicamente estamos com nossa personalidade formatada pelo nosso ambiente. O cristão busca ser um seguidor, ou uma ovelha de um rebanho, desta maneira ele não consegue se disprender de sua personalidade formada que o impede de alcançar um estado de vida mais elevado.
    Cristo morreu tentando explicar este conceito, mas como disse anteriormente qual seria a vantagem do colonizadores se ensinassem para os nativos que estes tinha a força do universo dentro de si? jamais seriamos dominados.

  3. Cristo veio para salvar a todos e morreu pelos nossos pecados.Levou nossas enfermidades e doenças e sobre sua pisaduras fomos sarados!Mais venceu a morte, pois ressusitou pois ele disse:sou a reissureição e a vida!E hoje ele vive. Jesus morreu por todos para salvar a todos.E buda morreu por quem, salvou a quem, venceu a morte e ressusitou?Nao conheco buda ou a historia dele mais acredito que nao.

  4. “Nao conheco buda ou a historia dele mais acredito que nao.”
    .
    então não fale asneira…mais um cego funcional…

  5. bom, esse é um assunto muito delicado de se comentar
    aqui no brasil pricipalmente
    as pessoas nao sabem falar sobra ambos assuntos pois eu li o tema assima que fala “Buda vs Jesus” e posso dizer que niguem falou muito sobre os dois , o unico assunto abordado foi religião
    por isso o tema devia ser budismo vs cristianismo isso mostra como as pessoas nao sabem aborda a ideia principal do tema ,cujo era falar de dois grande sábios.
    bom ambos os dois tem algo em comum o principio de um é o fim do outro para exemplificar a minha ideia veja seus aspectos de cada um deles:
    1-Buda era homem e Jesus era Deus
    2-Buda buscou a iluminação e Jesus já era iluminado (devido o fato de ser uniciente)
    3-Buda tinha noção da dor do carma do ser humano e Jesus vei ao mundo pra nos salva e sentir essa experiência.
    como eu disse o começo de um era o final de outro.
    Um grande aspecto emportate era que ambos os dois ajudavam e amavam o seu prossimo e os seus ensinamentos mostravam isso.
    ao meu amigo gabriel lhe digo algo que Buda nao morreu por niguem por quer isso nao era a missão dele aqui na nossa doce terra isso era missão de Jesus. no fundo Jesus e buda são muito parecidos em seus ensinamentos explos são muitos, vou falar só de alguns quando jesus falou “da de cesa o que é de cesa” podemos notar que ele falava para nos desligarmos das vontades e desejos carnais, os valores materiais etc. Isso nos vemos na filosofia de buda.
    Para meu amigo Lazaro acho que voce ficou irritado com o Gabriel mas sinceramente ele falou a verdade porem Buda nao tinha missão de salvar niguem mas sim buscar a paz interior cujo isso é um ponto muito forte pra felicidade humana. meu caro amigo nao se zangue com os leigos,como um bom budista diga ” pratique um pouco da filosofia budista leia a história de buda e me diga suas conclusoes”.Ao meu amigo Humberto Mingoranze digo que as duas filosofias sao parecidas em aguns aspectos e o cristianismo nao so se expandiu no periudo colonial ele começou a se expandir desde aera classica e se expande até hoje veja africa as igrejas manda muitos missionarios para lá é muito comum vc criticar o cristinismo porem ele não tem nem um problema quem tem problemas sao os seus praticantes. eu sou Cristão mas usou varios pontos da filosofia budista ou seja sera bom se as pessoas paracem com seus fantismos e começace a olhar diferente para outos pontos de vista ,a algo que eu não gosto muito nos budistas é o fato de eles protestarem se matando (monjes asiaticos) isso é uma falta de sabedoria que se torna até hipocrisia da parte dele pos uma vida é uma vida.há algo engraçado ao falarmos de grande sábios imaginem se buda tivesse sido espancado, maltratado, humilhado, traido e cruxificado sera que ele teria mantido seu auto controle?
    e se Jesus tivesse morrido repousando em uma árvore será que nós reconheceriamos como filho de Deus? bom o grande fato é se Buda e Jesus tivessem conveçando, terminaria assim Buda iria reconher que Jesus era o filhop de Deus e ele iria gosta muito dar ideia de paraizo (pos buda procuva harmonia e paz interior imagine um lugar cujo voce ficará com em paz, traquilidade …. eternamente) e Jesus diria a Buda para não mudar nem uma palvra da sua filosofia pos ela é de grande ajuda para o homem. no fim não exite vencedor ambos reconhecem um o valor do outro

Leave a Reply

Your email address will not be published.