Norman Rockwell

Um dos maiores escritores americanos que conheço chamava-se Norman Rockwell e escrevia contos inteiros na capa de revistas como a Saturday Evening Post, fundada por Benjamin Franklin e que hoje é basicamente veículo para anúncios de remédios.

Alguns puristas acham que Rockwell não era uma artista de verdade por ser um ilustrador comercial. Uns modernistas acham que seu estilo não tinha nada de artístico. Alguns iconoclastas acham que ele era, sim, um grande pintor, com personalidade própria e estilo definido.

Eu acho a discussão boba, porque para mim a verdadeira arte de Rockwell era contar histórias.

The Problem We All Live WithO principal papel de Rockwell foi o de inventor, ou pelo menos cristalizador, de uma América perdida e onírica, a memória ideal para um país que se tornava cada vez mais urbano e individualista. Suas imagens se tornaram um pedaço dos Estados Unidos — aquele pedaço que se diz chamar América e que representa o ideal de liberdade americano. Nesse papel Rockwell foi insuperável. Em sua maturidade, entre os anos 1940 e 1960, cada quadro seu é uma imagem definitiva dessa América idealizada, longe dos grandes centros e nitidamente conservadora. E mesmo quando abordava temas socialmente difíceis, como o movimento pelo fim da segregação racial, ele dava um toque lírico — talvez piegas –, como se pode ver em The Problem We All Live With. E mesmo assim é um retrato definitivo, que consegue fixar de forma extremamente simples a dimensão do problema. Artista ou não, Rockwell era um mestre.

Mas a verdadeira arte de Rockwell, o que o diferenciava de outros ilustradores e mesmo pintores com P maiúsculo, era o fato de cada quadro seu contar uma história. Às vezes ingênua, mas sempre uma história.

Breaking Home TiesEm Breaking Home Ties, por exemplo, há tantas coisas para se ver. É praticamente um instantâneo de um rapaz saindo de casa e indo para a faculdade. Ele está sentado, esperando o ônibus que vai levá-lo para sua primeira viagem. Ele olha para a frente com esperança, ansiedade e alguma ingenuidade. Tudo nele é novo, fresco: seus sapatos, sua roupa, seu sorriso e seu olhar.

O contraste está em seu pai: um homem mais experiente, cansado, provavelmente acostumado a sua vidinha rural de muito trabalho e poucas perspectivas. Ao mesmo tempo é um homem realizado dentro daquela noção calvinista de realização, porque naquele momento tem certeza de que cumpriu o seu dever de pai de família. A diferença entre os dois pode ser vista em suas roupas. O sapato do rapaz está brilhando; o do pai carrega da poeira da vida. E você pode imaginar a longa caminhada que os levou até ali. Os dois, com suas histórias de vida diferentes,olham em direções divergentes.

The ConaisseurOs impressionistas, a fotografia e os abstratos destruíram esse tipo de arte hiper-realista. Não é nada que se lamente. Mas Norman Rockwell mostra que ela continua tendo o seu valor, quando bem aplicada. A fotografia acabou com a pintura como representação fiel da realidade. Mas Rockwell deu um passo além, e mostrou que a pintura ainda é o meio ideal para a representação fiel de uma realidade que não existe.

E, em The Connaisseur, ele finalmente redige o seu manifesto artístico. Mostra um sujeito apreciando uma tela que poderia ter sido pintada por Jackson Pollock. Não tenho certeza do tom da obra; mas às vezes julgo ver ali uma certa ironia, alguém dizendo que “isso eu posso fazer; eles podem fazer o que eu faço?”.

Um bom apanhado das telas — ou capas de revista, tanto faz — pode ser encontrado aqui.

14 thoughts on “Norman Rockwell

  1. poutz! eu ADORO o norman! e é tão difícil encontrar pessoas que conheçam o trabalho do cara!!! lembro de uma entrevista do millôr que ele cita o norman como um dos melhores – mas que justamente por ser capista e comercial não lhe davam o devido valor.

  2. Maravilhosa a coletânea do Norman Rockwell. A arte dele é de rara beleza e merece ser admirada por todos. Pena que não seja muito divulgada.
    Parabéns!

  3. Sou fascinada com o talento do pintor Norman Rockwell, é impressionante como ele conseguia por a realidade em suas pinturas, um talento que nunca pode ser esquecido,p ara mim ele retrata mas do que uma arte, ele demonstra uma epoca linda de se pintar. Quando vejo suas pinturas posso sentir ate o aroma daqueles tempos.

  4. Caraka vim aki nesse site a procura de uma historia de ilustraçao para um trabalho escolar!!
    kuando começei a ler a vida deli ja me enteressei!!
    muito fera esse cara de mais ele!
    parabens!!

  5. Bem precisa a sua análise e comentários sobre a obra de Rockwell, trabalho com inúmeras pinturas dele e a leitura da imagem é sempre uma descoberta magnífica, por trás de uma cena banal encontra-se um significado maior. Muito bom, parabéns.

  6. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  7. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  8. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  9. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  10. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  11. Sim , sempre algo de subliminar , nas retratações expontâneas da vida privada ,os olhares , os detalhes , o fato do Propro Norman , dizer que quando não estava satisfeito com alguma arte , ele adiconavca um “filhote de cachorro” à essa … estou desenvolvendo uma coleção semi-autoral , onde o tema da coleção eh o Grandioso ilustrador …Norman Rockwell… esse trabalho trata-se do TCC , com fundamentos em gestão de produtos , na facudades de Moda do centro de estudos superiores de Maringá … se alguem me poder passar mais informações com fundamentação bibliograficas sobre esse artista meu e-mail é jvganem@hotmail.com obrigado a todos que poderem ajudar

  12. Fantastico este pintor que tbm adoro, sua realidade antes e pos guerra do cotidiano americano. Sou ilustrador, tenho 35 anos e ainda chegarei lá..embora meu trabalho atual hiperealista é a ilustração comercial e trabalhos com tecnicas digitais, 3d modelagens etc…ainda sim, me vejo daqui a alguns anos talvez pintando alguns rascunhos que tenho guardado, sobre anatomia, cenas de ficção e outras realistas….e com um pouco de dedicação talvez arranhe um pouco no “estilo norman” que gosto muito, bom encontrar outros fãs deste artista. espero podermos criar talvez alguma comunidade onde poderemos trocar algumas ideias. Um grnde abraço a todos. Deixo meu site de meus trabalhos de ilustração comercial: http://www.debuxo.com.br e meu MSN:falante3d@hotmail.com

  13. Pollock, Van Gogh, só pintavam a
    própria doença , a qual está estampada em suas telas.
    Os críticos valorizam este lixo pois não tem capacidade de pintar e desenhar.Assim iludem os tolos com dinheiro. Rockwell, era um gênio, os outros se ressenter por não ter o mesmo talento.

  14. Também desconfio muito sobre nao terem o mesmo talento conforme disse o amigo ADS acima, mas depois de um tempo até comecei apreciar mais estes artistas também…o interessante e que nos prende em artsitas como rockwel talvez seja este nivel de detalhe, luz, sombras e perfeição que nos identifica, as expresssões das pessoas ficam imortalizadas em cada um de seus quadros, apenas gostaria de ressaltar que acho alguns quadros esquisitos, como por exemplo a forma como ele pintou situações com crianças e homens…achei estranho realmente me deixando uma pulga atras da orelha, me lembrando halgo a PEDOFILIA talvez, mas posso estar enganado. Um grnde abraço a todos. Deixo meu site de meus trabalhos de ilustração comercial: http://www.conceitostudio.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published.