Não esqueçam Ronaldinho

A mis hermanos, as duas primeiras estrofes de um velho tango de Gardel, para que possam se distrair na longa, longa viagem de volta.

(Eu sempre disse que, para mim, o melhor de um jogo de futebol é tripudiar depois. Não me culpem.)

Adiós muchachos, compañeros de mi vida,
Barra querida de aquellos tiempos;
Me toca a mí hoy emprender la retirada,
Debo alejarme de mi buena muchachada.

Adiós muchachos, ya me voy y me resigno,
Contra el destino nadie la talla,
Se terminaron para mí todas las farras,
Mi cuerpo enfermo no resiste más

.

One thought on “Não esqueçam Ronaldinho

Leave a Reply

Your email address will not be published.