O Brasil no espelho

Recebi um e-mail intitulado “Cada um tem o governo que merece”. Anexadas, algumas fotos de chefes de Estado: a família real britânica, a sueca, duas que não reconheci e, finalmente, Lula e Mariza vestidos como caipiras. A intenção óbvia é mostrar o descompasso entre a nobreza européia e nosso casal presidencial proletário e irreparavelmente brega.

O governo Lula tem uma série de deficiências, algumas das quais irritantes. De certo modo, até o tal Arraiá do Torto é exemplo delas. Por um lado reflete uma certa demagogia populista de um governo que, em muitos aspectos, está perdido e com muitas dificuldades; por outro perpetuou em sua estrutura alguns dos velhos vícios da política brasileira, como bem sabem Zezé de Camargo e Luciano. Pode-se acusar o governo de incompetência em algumas áreas, de continuísmo em outras.

Mas não é disso que o e-mail trata. Ele não trata de política ou economia; trata de estética. E nisso reflete uma postura elitista brasileira, os preconceitos de um povo que sempre se recusou a ver sua imagem no espelho.

Somos uma sociedade que tentou, sem sucesso, instituir o chá das cinco para nos diferenciar da gentiaga que comia quitutes vendidos por escravas descalças. Nossa história é a de ricos enfatuados em roupas pesadas e suando, suando e suando sob o calor insuportável do verão carioca. Tentamos falar francês como a aristocracia russa, outra que sempre se recusou a se ver como era e acabou nas mãos dos revolucionários bolcheviques. Somos brasileiros, com orgulho, mas não queremos nas costas toda a carga que isso nos traz.

Uma coisa é tentar se superar, e é isso que a grande maioria dos brasileiros faz todo os dias; outra, completamente diferente, é tentar ser o que não se é.

Estabelecemos comparações entre a nossa breguice luliana e a sofisticação da corte elizabetana, mas extrapolamos a medida da vontade de superação quando fazemos questão de esquecer que, tendo-se em vista a história recente dos Windsor, é muito melhor ser Mariza do que Elizabeth e seu cotidiano de pequenas tragédias humilhantes, que fazem a delícia dos tablóides ingleses.

O diabo é que a imagem que vemos no espelho incomoda. E acaba nos cegando.

4 thoughts on “O Brasil no espelho

  1. Não tenho nada pra dizer sobre esse post.Vc jah faz isso mto bem.
    Ah vc sua msg no meu blog sobre as info do post.Como sabia?Eu peguei a notícia de um jornal,a pessoa q redigiu q escreveu errado.É talvez eu deveria ter pesquisado..ehhe..mas foi como vc disse.A idéia ao menos eh válida.

  2. Também recebi esse e-mail e achei pra lá de idiota. Na verdade, não vejo mal nenhum nem demagogia em fazer uma festa junina e se vestir de acordo. Festa junina é a coisa mais comum, todo mundo já foi pelo menos vinte vezes a festas juninas. o Lula então que é “do povo” como dizem, não faz nada que já não fizesse antes de ser presidente quando participa de tal festa. Que que nós temos com isso??? A imprensa deu atenção porque tudo que presidente faz vira notívia mesmo e a estranheza foi só porque os outros presidentes não faziam isso, mas e daí???

  3. …Tô mais pra essa gente que ainda come os quitutes vendidos pelas ex-escravas descalças.
    (Aliás, sabe que você me deu uma ótima idéia? Vou sair e comprar feijão e dendê pra fazer uns acarajés.)
    Ciao.

Leave a Reply

Your email address will not be published.