Eça, o defunto

O Bia acaba de me dizer que no livro “Contra o Consenso” o Reinaldo Azevedo, editor da Primeira Leitura, destrói Eça de Queiroz.

Um dos seus argumentos é o de que Eça, para mim um dos escritores mais fantásticos em língua portuguesa, só é considerado no Brasil. Em Portugal, sequer falariam dele.

É verdade?

Update: o Bia corrige a informação dada, e diz que não é bem que Eça não seja considerado, e sim que ele não é unanimidade em terras d’além Tejo.

Coisas do Bia.

(Anotação pessoal: lembrar sempre de checar o que o Bia diz. Ele é gonzo, afinal.)

13 thoughts on “Eça, o defunto

  1. Asneira. Eça de Queirós é lidíssimo em Portugal, é presença obrigatória no currículo escolar da terrinha e a vasta maioria da sua fortuna crítica vem de lá (embora nós, brasileiros, tenhamos contribuído alguns títulos). Não li o livro de Reinaldo Azevedo ainda, mas se disse isso, disse asneira. Não seria a única do livro, pelo que pude ver pelas resenhas. 🙂

  2. Da Wikipedia:

    “José Maria Eça de Queiroz (ou Queirós) é por muitos considerado o maior escritor realista português do século XIX.”

    O artigo em inglês:

    “José Maria Eça de Queirós is a Portuguese novelist, born November 25, 1845, in Povoa de Varzim. His surname was originally spelt Eça de Queiróz and as such appears on many editions.”

    Não há correção, pelo visto.

  3. é que é assim… a gente tá conversando no MSN… “vc viu esse livro do reinaldo azevedo? eu tou lendo…” “e aí?”. “a, ele detona o eça, o drummond, o manoel de barros, o rubem fonseca…”, “porra!”
    – o que ele fala do eça?
    (aí cito de cabeça)
    – diz que o eça é ignorado em portugal…
    (na verdade, ele diz que o eça não é unanimidade em portugal, como é aqui… disputa com camilo castelo branco)

    cito de cabeça, não dá pra lembrar de tudo!
    é bom mesmo sempre checar antes!
    :>)

  4. Permitam-me apenas dizer que, salvo melhor opinião, Eça de Queiroz, não tem em Portugal rival, particularmente no que ao movimento realista diz respeito.

    Eça retratou a sociedade portuguesa do século XIX como nenhum outro autor conseguiu fazer. Sobretudo nas “Farpas”, mas igualmente na sua mais conhecida obra – “Os Maias”.

    Camilo Castelo Branco perdura na memória dos portugueses, como o poeta romântico que viveu e morreu vítima das suas paixões(especialmente a amante Ana Plácido) e desgraças. Teve um fim triste,cometendo suicídio devido à cegueira em que se viu mergulhado. Teve em “Amor de Perdição” o seu momento de maior visibilidade literária.

    Ambos são sobejamente reconhecidos em Portugal, fazendo parte juntamente com muitos outros escritores portugueses (Alexandre Herculano, Antero de Quental, Almeida Garret, Camões, Bocage, Fernando Pessoa,etc) dos programas escolares.

    Ao Brasil, provavelmente, apenas terão chegado Eça e Pessoa.

  5. Oi, Rafael,
    raras unanimidades, se existem, são razoáveis ou aceitáveis. Ainda bem!
    Com o Eça, não haveria de ser diferente.
    Abraços
    fernando cals

  6. Rafael
    Não sei quem é esse tal de Reinaldo Azevedo, mas de Portugal ele sabe muito pouco. A “choldra”, como chamou Eça a Portugal, sempre teve devoção ao Eça. O povão gosta mesmo é de quem lhes bate. Por isso, não podia deixar de gostar de Eça.
    abraço
    Francis

  7. Sou português e quem diz que o Eça de Queiróz não é devidamente considerado em Portugal, só o fará legitimamente por ignorância. Eça de Queiroz é um dos, senão o maior escritor português de todos os tempos. As suas obras são leccionadas no ensino, e a sua escrita tomada de exemplo para os mais jovens, que fazem dele a maior referência da escrita portuguesa. Com ele rivalizam apenas Camilo Castelo Branco, o eterno romantista e Pessoa, com a sua genial poesia heterónima.

  8. o livro “o defunto” é uma especie de parabola sobre o ciume, com um desfecho muito inesperado

  9. Se Portugal fosse fértil em todos sectores como foi ou ainda é , na literatura, tendo Camões, Eça, Camilo, Namora, Pires, Antero, Espanca, Alves, Virgilio, Miguel,Lobo, mais e mais, mas o Senhor Eça para mim, foi um puro realista, é o escritor Português de quem mais gosto, como dizia acima se Portugal fosse em todos sectores como na Literatura nós Portugueses viviamos bastante mais desafogados.

Leave a Reply

Your email address will not be published.