16 thoughts on “MadTeaParty

  1. Faz dias que não leio, pois só tenho lido blogs quando me avisam que tem posto novo, mas vou colocar em dia a leitura do blog da Daniela. 😉

  2. Caramba! O Gravatá elogiou mesmo. Fui conferir. E ele disse isso na coluna dele, vejam bem, não foi no blog. Estou boquiaberta. Ele me detestava, nos tempos das listas de discussão da mantelmedia. Acho que eu melhorei como ser humano.

    Pô, Rafael, eu acho o seu blog o máximo. Só não sabia que era recíproco.

    Agora serei chata: porque o meu blog é um dos melhores “femininos”? Por que não apenas “um dos melhores blogs do país”? Só entro na lista dos melhores abaixo dos homens todos?

  3. Dani, sobre essa história de “blog feminino” ou “blog masculino” a questão é puramente linguística: um blog só pode ser masculino ou feminino, e eu nunca visitei um blog em que a lista dos favoritos esteja separada por “blogs masculinos” ou “femininos”. Você não está abaixo dos homens todos.

  4. Quando eu li pela primeira vez a declaração do Rafael, senti uma forma de alívio. Pensei comigo: “Puxa, o Rafael foi bastante feliz, tirou uma coisa da minha alma – ‘O blog da Daniela Castilho é, hoje, um dos melhores e mais consistentes blogs do país.'”. Se há o feminino no meio aí, vejo agora depois de comentado, bem, então, sentirei que isso é um charme a mais no blog – hehe.

    Afora as matérias instigantes, vale a pena conferir também o enfoque sobre o rito do chá em diversas culturas – chinesa, japonesa, coreana, indiano etc. É matéria interessante que não poderia faltar a um “MadTeaParty”. Dependendo de quem o lê, o chá se torna algo mais maravilhoso, até mesmo místico, diria.

    E continuemos cá com o Rafael, o bom café amargo, doce de vez em quando. 🙂

  5. Eu não vou pretender ler a mente do Rafael aqui, mas acho que tudo bem ele dizer que o blog é feminino, se ele estava aludindo à força feminina, anti-machista de seu blog.

Leave a Reply

Your email address will not be published.