A vingança da Legião de Onan

Para que um homem tenha realmente dificuldades em arranjar mulher, ele precisa ser o infeliz dono de uma combinação perversa: adolescente, sem dinheiro e sem um lugar aonde levá-las. Se não tiver uma dessas variáveis, ele tem grandes chances de se dar bem regularmente.

Isso, claro, lembra a todos nós os péssimos tempos da adolescência, em que normalmente somos obrigados a nos voltar para soluções, digamos, pouco ortodoxas para resolver o problema da carência sexual. Essa fase negra costuma passar a partir do momento em que chegamos à casa dos 20; até lá é um martírio comparável ao de Tântalo, que só o otimismo crônico e ignorante da adolescência consegue fazer suportável.

Mas hoje percebi que todos nós, adolescentes um dia alistados na Legião de Onan, como a batizou Luís Fernando Veríssimo, temos um bom motivo para nos considerar vingados.

A nossa via crucis começa e termina na adolescência, e passamos por ela com mãos calejadas, espinhas na cara e cheiro de perfume barato, de preferência Avon ou comprado naqueles catálogos da Hermes, que nos impregnam a partir das empregadas domésticas que encoxamos nas escadas, nas ruas escuras e debaixo das árvores. Mas a redenção chega assim que passamos a ter um mínimo de experiência e segurança.

E é justamente então que o calvário feminino começa.

Olhe à sua volta. Você vai ver o número cada vez maior de mulheres em torno dos 30, cada vez mais ansiosas e preocupadas porque acham que “não há mais homem no mundo”. Para elas, metade não presta. Outra parte está casada. E o resto tem preferências sexuais ainda mais heterodoxas que as dos adolescentes.

Se — generalizando e correndo o risco inerente a qualquer generalização — uma mulher não está casada ao se aproximar dos 30 anos, a percepção de que suas chances de estabilização diminuem a cada novo dia, a cada nova ruga, a cada aproximação dos seios em direção à terra, a cada nova protuberância de celulite a deixa completamente angustiada.

O pior é que, à medida que o tempo passa, a angústia vai aumentando. Além do que dizem ser a escassez masculina, elas ainda continuam escolhendo bastante — esse não dá porque é baixinho, esse não tem futuro, esse… E, paradoxalmente, quando escolhem, muitas vezes escolhem errado. O resultado é o aumento da descrença no sexo oposto, que infelizmente cresce no mesmo ritmo que a certeza de que é impossível viver sem eles.

Não sei se a miséria do gênero feminino, e sua progressiva vulnerabilidade, é propriamente uma vingança; é algo que não dá para racionalizar. Mas, lá dentro, aquele adolescente com marcas de batom vagabundo no pescoço e os dedos calejados pelas acrobacias sob incontáveis sutiãs dá uma risadinha cruel e satisfeita.

Originalmente publicado em 17 de agosto de 2003

53 thoughts on “A vingança da Legião de Onan

  1. A última balzaca que encaçapei mal esperou a segunda semana pra falar em juntar as escovas (não propôs nada explicitamente, apenas sondou o que eu achava a respeito, assim como quem não quer nada). Não pude conter um sorriso de canto de boca: fiquei imaginando quantos adolescentes espinhudos ela deve ter desprezado há uns dez anos e senti que, naquele momento, eu os estava vingando. São momentos assim que fazem a vida valer a pena.

  2. Não sei, na verdade o sexo adolescente ainda ocupa uma enorme parcela do meu álbum de boas lembranças… Todos os parceiros pareciam ser the right ones, todos os lugares pareciam ser the right ones e todas as estripulias pareciam ser the right ones. Depois de ler esse texto tenho uma certa dúvida se fui uma garotinha de família ou uma empregada, já que nunca tive pudores em ser encoxada em ruas escuras apesar de nunca ter feito trabalhos domésticos.

    O fato é que eu não acho (nem tenho visto acharem) angustiante, e por consequência vingativo, não casar ou não encontrar the right ones. Tampouco me incomoda os efeitos do tempo no meu corpo (até porque, sem modéstia, estou ficando melhor).

    Mas francamente a qualidade dos “pretendentes” caiu. Ultimamente tem sido mais proveitoso fazer sexo casual ou até mesmo explorar o lesbianismo a se atar aos tipos que se candidatam. Pra ser honesta até passar o resto da vida sozinha tratando animais de estimação como filhos parece ser uma opção mais sábia que se propor a “amar eternamente”.

    Ao meu ver são os homens quem mais perdem com isso. Tenho visto bons partidos em potencial comprometidos com meninas que simplesmente não valem a pena só por não mudarem algumas de suas posturas e/ou alguns de seus conceitos e tenho visto fantásticas mulheres solteiras simplesmente não se importando.

    Mas ainda estou nos 24, 6 anos é tempo o bastante pra hábitos serem mudados.

  3. Pelo jeito a coisa continua feia aí no Brasil, mas acho que deve ser um fenômeno local. Tem lugar onde tá sobrando homem e faltando mulher, para tristeza dos antigos aborrecentes que
    « encaçapam » balzaca e «encoxavam » as empregadas domésticas nos cantinhos escuros da casa-grande. Beijos.

  4. Esse post foi pra mim originalmente e continua sendo, né, Monsieur Rastignac? hehehe.
    Mas Lori, vc apesar de ainda estar nos 26 está certíssima. Belíssimo comentário que você fez.
    Eu até já escolhi a raça do meu cãozinho: vai ser um “chináuzer”.
    É ÓBVIO que as dentre opções que se apresentam para a maioria de nós ao longo da vida, ficar sozinha é a melhor delas.

  5. Eu continuo detestando ter 22 anos. Quero logo sair dessa fase; Quero chegar aos 30 e me livrar de todos esses problemas.

    Não aguento mais.

    (O Bia vai dizer que é uma fase que a mulher enfrenta dos 21 aos 28 e blah blah blah)

  6. Esse post dá o que falar…
    Sou mulher, sou Balzaquiana, sou casada, mas se não fosse, seria bem resolvida.
    Quantos homens vocês conhecem que fazem da sua vida uma busca pela parceira certa? Eu devo confessar nunca encontrei um e se achasse, teria certeza se tratar de um babacão desprezível. Então por que as mulheres se desesperam, arrancam os cabelos, perdem noites de sono e com isso ganham mais rugas, olheiras, kilos a mais na cintura, se martirizam e se perguntam incansavelmente se sua sina é viver sozinha? Ora, só fica sozinha quem quer! Se não tiver um companheiro, se contente com os bons amigos ou, quem sabe com as grandes trepadas.
    A angústia feminina neste aspecto só aumenta as chances de virar alvo de xacota pela ala masculina, afinal, que homem vai se interessar por um chiclete mastigado colado na sola do seu sapato?
    Um bom exemplo é esse post do Rafa.

  7. por me enquadrar na faixa etária balzaca e ser solteira, sem filhos e curtindo minha profissào e meus amigos… lá vamos: tem dias q a gente se sente como quem partiu ou morreu…
    Não acho que a condição de solteira me faça assim; conheço inúmeras casadas balzacas, adolescentes, mulheres jovens, diariamente com as mesmas queixas,mesmas dúvidas.Penso que a condição “mulher” na qual elas foram investidas, nos moldes maternais judaico-cristãos as faça assim. Tem dia q eu sou a própria balzaca do neuman ali… querendo juntar escovas de dentes e casar… e tem dia que eu não quero nem ouvir a voz do sujeito!! A tal busca da felicidade é um caminho individual.Colocar isso como receita de bolo igual a vida da minha avó, que se vestiu de luto quando soube que ia casar com meu avô, mas casou e viveu a vida toda com ele… humpf! É pequeno demais…

  8. Estou com a Luluzita aí acima. Não acho sequer que a maioria dos rapazes adolescentes se enquadrem na sua descrição. Os meninos que eu conheci na adolescência nos anos 80 sempre tiveram namoradas bonitas e ativas sexualmente, não tinha mais esse negócio de iniciação com a empregada ou puta (os poucos que ainda entravam por esse caminho me contaram que foi uma experiência deprimente que não pretendiam repetir).

    Também acho que a época em que estive mais bonita foi por volta dos 32 anos, e embora eu tenha ganho um pouco de peso depois de ter filho (coisa que posso resolver e já estou trabalhando para isso) não me consta que meu peito esteja caído ou as celulites aumentando. Looking forward pra chegar aos 38 anos, quando, segundo estudos, chega o pico sexual da vida de uma mulher. Abraço,

  9. Leila, assino embaixo do que você disse, não me lembro de ter conhecido um amigo adolescente que corresse atrás de empregadas domésticas ou putas, mesmo porque me lembro claramente do medo que pairava naquela época de se contrair DSTs como a AIDS, ainda mais depois da morte de ícones da nossa juventude, a começar de me lembro bem pelo Lauro Corona.
    Esse Rafael é que deve ter sido um adolescente desajustado….

  10. Eu adoro ter 38 anos.
    Eu escolho quem quero namorar.
    Eu não sou especialmente bonita.
    Eu não ligo a mínima para rótulos.
    Eu casei a primeira vez com 30 anos, com um rapaz 8 anos mais jovem que eu. Eu o adorava. Tivemos 10 anos juntos, sendo 7 de casamento e 3 de namoro.
    Namorei o ano passado por 5 meses um rapaz 12 anos mais novo que eu. Eu estava muito apaixonada e ainda suspiro quando lembro dele. Ele me adorava. Me senti muito, muito amada.
    Eu ainda pretendo casar pelo menos mais uma vez.
    Não ligo a mínima se meu futuro segundo-marido vai ser mais jovem ou mais velho que eu.
    Eu adoro ter 38 anos. Os 39 estão próximos, acho que vou adorar ter 39 anos. Já estou deixando o cabelo crescer novamente para ficar mais sexy e bonita do que estou agora.

    Qual era mesmo o problema de auto-estima que você tinha mencionado no seu post? Esqueci, perdida nas minhas reflexões pessoais…

  11. Já passei dos 40, tenho filhos, fui casada um tempão, corpinho todo em cima(sem CELULITE, vai dizer?)e sem maiores preocupações qto a isso.
    Acho interessante as opiniões todas. Dos 20-30, somos bobonas ainda, Carol. Mas passa logo, viu? Concordo c a Leila: 38 é uma linda idade, e dependendo da cabeça, ficamos é melhor c o passar dos anos. Mário Prata sabe disso, e diz assim:

    […]
    Sexualmente sabem tudo. E como!!! Aquele negócio de ter orgasmo assim ou assado (assado é péssimo) elas já resolveram há mais de uma década. E já viveram o suficiente para se dar ao luxo de filosofar sobre a vida, sem aquelas bobagens que as meninas de 20 pensam e dizem e, às vezes, até escrevem em diário.
    […]
    Não, as mulheres de 40/50 ou mais, há muito tempo deixaram de se preocupar com o tamanho da geringonça. A mulher de 40/50 ou mais, vai direto ao assunto.
    Elas já perceberam que podem comer, e não apenas dar. As mulheres de 40/50 ou mais, comem como gente grande, comem como homem. E a gente dá, com prazer.
    A mulher de 40/50 ou mais, já tomou aqueles porres memoráveis de quando tinha trintinha. Ela sabe beber (gargalhando!). Ah, a mulher de 40/50 ou mais, no verão, chega a seu esplendor debaixo do sol. Sabe a medida certa de sua cor e de seu suor.
    Sai da água como se saísse de um aquário, como se desfilasse em cima da água. Não acampa mais, nem fica em pousada sem internet.
    A mulher de 40/50 ou mais, sabe onde quer ficar.
    Gosta de um confortinho… (aí, Candida)
    Enfim, a mulher de 40/50 ou mais, sabe tudo e não está nem aí.
    Por que então você sofre, mulher? O mundo não está perdido, está achado.
    Você é o melhor papo da praça. Você é o que há.

    Beijão, Rafa!

  12. Moicana, o comentário a seguir não é meu, mas de uma tia:

    “Não conheço nenhum homem que diga ter comido uma puta. Mas elas continuam aí, e tá sempre aparecendo mais. Não dá para entender como é que elas ganham a vida.”

  13. Depois dos vinte masculino, as chances de renovar o estoque de mulheres novas é diretamente proporcional a sua conta bancaria.

    Ou isso ou achar a mulher certa.

    Recomendo a meus amigos que trabalhem dobrado e façam horas extras.

  14. Rafa,

    Eu faria qualquer coisa, qualquer coisa mesmo (ahn, tá bom – QUASE qualquer coisa), para assistir à sua chegada ao Inferno. Inclusive já estar lá por justa causa, só pra pegar uma boa cadeira. 🙂

  15. Eu li o post e apenas achei muito engraçado. No entanto, as reações das moças que o comentaram parecem mostrar que há algo nele de ofensivo ou no mínimo reducionista em relação às mulheres.

    Eu tenho 36 anos, e escapei por puro acidente das “putas” e das “empregadinhas”. Se eu tivesse me deleitado com elas, estaria dentro da lógica do período, e não seria nenhum “desajustado” (ouviu, Moicana?). Por outro lado, eu não me atrevo, como fez o Rafael, a estender esse retrato da adolescência aos que hoje têm 26 anos ou até aos de 16. Cada geração é diferente, e eu desconfio que os rapazes de hoje tenham “à disposição” amigas muitos mais liberadas que antes (graças a Deus). Se a situação dos homens é diferente hoje, nada mais lógico que a das mulheres o seja também.

    De qualquer maneira, ainda vivemos num mundo masculino. O que deixa as moças numa sinuca: se se calarem, é porque estão confirmando o que foi dito; se contestarem, estão “vestindo a carapuça e depois dizendo que não vestiram”, como disse o Alex Castro.

    Ó vida.

    Abraços,
    André

  16. eu cheguei aos 30 e me livrei do casamento!!! não sei o que essas mulheres tanto querem: mau-humor de manhã, o jornal amassado, peidos homéricos e o futebolzinho do domingo a tarde. para não dizer a pelada com os amiguinhos suburbanos da terça à noite e o figurino bermuda-sandalia-de-dedo que todas nós achamos super-sexy. pra não falar da sogra…porque mulher quer casar mesmo? ah, porque o sonho de consumo dela é reclamar da sogra ultra-protetora do filhinho da mamãe com quem ela casou, e que depois de alguns anos, ela não sabe se o filhinho da mamãe gosta dela por ser sua mulher ou por ser sua mãe-empregada substituta, depois que as chamas de paixão (e do sexo) viram um “raro prazer”. Não troco os meus P.A. (paus-amigos) por nada nesse mundo! não tenho que me preocupar com a agenda social, com os buracos nas meias, nem com as crises profissionais do p.a. só quero paixão e poesia, e pode deixar que dos meus problemas cuido eu. Mulher de 30 anos esperta não passa tarde de domingo nem terça à noite sozinha. Só se for muito incompetente…

  17. Interessante os comentários que este post conseguiu reunir.

    A cada pensamento que tinha sobre o que escrever, alguém trazia logo a seguir…

    Adorei este post. Gostei da provocação, Rafael.

  18. Olá
    Há tempos venho tentando entrar em tua “casa”.
    Amei e nem sei o q é melhor o texto ou os comentários.
    Concordo um pouco e muito com todos.
    Existe um certo exagero em tudo.
    Nunca deixei de ficar com alguém pq não tinha carro ou dinheiro, assim como não sai fazendo “aquilo” em qualquer lugar. rsrsrs
    Hoje realmente tem alguns q não valem o esforço da conquista, mas pra mim não é pelo q eles não tem e sim pelo q não são. De um homem quero carinho,atenção, q me faça rir e q me dê prazer. Tudo mais eu faço.
    Abraços

  19. Interessante o nível de análise desse texto.´

    Admitir que não pegava ninguém na adolescência e agora se sente feliz por mulheres na casa dos 30 escolherem demais não é para qualquer um.
    Parabéns.

    Vi um desenho de madrugada no SBT(não lembro o nome)
    com esse tema. Um loser pai de família não entendia porque as adoscentes gostam dos Bad Boys… foi bem engraçado

  20. A tia do Rafael disse lá em cima “Não conheço nenhum homem que diga ter comido uma puta…”

    Também não conheço mulher que admita que rejeitou algum cara por não ter grana ou carro.

  21. Pontuando:

    1º – Odeio cães pequenos. Por favor, mulheres, não tenham cães pequentos. Eles são carentes, neuróticos, tem latido agudo e os donos ainda pegam manias nojentas como deixar os cachorrinhos lamberem sua cara, boca, etc (principalmente et cetera), esquecendo que o bichinho estava agorinha mesmo chupando o próprio pinto, enfiando o fucinho no ralo do banheiro e coisas do tipo. Logo, NÃO TENHAM CÃES PEQUENOS!

    2º – ENVELHECER É UMA MERDA SIM SENHOR. Toda afirmação em contrário é uma fuga da realidade, os que não acham a velhice uma merda é porque adquiriram sabedoria, ou seja, se resignaram. Agora, apesar da velhice ser uma merda, isso não quer dizer que ela vai te matar antes do tempo, eu mesmo que tenho 26 anos, já viví histórias ótimas com mulheres mais velhas, inclusive uma de 43 anos que, acreditem, É MARAVILHOSA.

    3º – Concordando com a Moicana, vocês estão subestimando o impacto da AIDS na geração que nasceu no fim dos 70, começo dos 80, eu incluso. Cresci sob o fogo cerrado do desespero que a AIDS causou nos 80’s… Não apenas eu, mas a maioria dos meus amigos, acabamos tão neuróticos com isso que quebramos algumas tradições… Por exemplo, não transamos com putas, usamos camisinha desde a primeira vez e coisas do tipo. Conheci poucos TED’s na minha época (TED=Terror das Empregadas Domésticas). Isso não quer dizer que sejamos “santinhos”, mas tinhamos medo mesmo de nos ferrar, isso tirou muito de nossa inconseqüência… Agora que todo mundo se acostumou com a AIDS, andei vendo que a garotada anda inconseqüente de novo… Isso é perigoso.

  22. Coisas que eu nunca vi:

    Enterro de anão.
    Um cara largar uma ninfeta com seus 20 aninhos pra ficar com uma de 30.
    Um episodio de Sex and the city que seja mentiroso.

    É… acho que só.

  23. Bem, Carol, no caso que mencionei da mulher maravilhosa de 43, confesso… troquei ela por uma de 21 anos… heheheheh Mas foi só porque tive que escolher, senão ficava com as duas. Juro!

  24. Rafael, esta eh a minha primeira visita ao seu blog, e geralmente ate me ambientar procuro ser neutra. Mas nao vou poder deixar esta provocacao passar sem meu comentario. Se voce realmente pensa desse jeito, e os seus amigos assinam embaixo, entao, realmente, as mulheres solteiras com mais de 30, que acham que metade nao presta, nao estao de todas erradas. Mas eh preciso maturidade para entender isso.
    Se vale pra alguma coisa, do ponto de vista feminino, o campo amoroso eh um campo de batalha. Ate voce encontrar uma pessoa que eh compativel com voce, as dores, decepcoes, e frustracoes sao muitas! Para todos! A menina adolescente eh marinheira de primeira viagem tanto quanto o menino adolescente. A diferenca eh que o menino atinge pico sexual entre 18 e 22 anos, pra nos garotas leva mais tempo que isso. Entao enquanto as meninas se apaixonam, sao romanticas, os meninos so pensam em sexo e encoxar as meninas em tudo quanto eh de parede, as coisas ficam complicadas. Foi isso que voce se referiu quando falou das esnobas que levou?
    As meninas adolescentes tambem tem problemas de acne, e falta de experiencia.
    Sera mesmo que voce andou na sua adolescencia achando que so voce foi esnobado, e so voce perdeu seu tempo com o sexo oposto, e so voce teve espinha na cara?
    Quanto a este lance de que ha mais mulheres trintonas solteiras andando por ai, eh que em alguns lugares nascem mais mulheres do que homem, voce deve vir de uma regiao como esta. Ai fica assim: 4 mulheres para cada 1 homem. Na sua traducao equivocada, 4 mulheres passadas dos 30, de celulite e peito caido, para cada 1 rapaz, gostosao, maravilhoso, de papo delicioso como este seu, a ultima coca-cola do deserto! Eh ruim, hein?
    Newsflash – todo mundo fica velho, homem, mulher, gato, cachorro, e papagaio. Entao as mulheres ficam sujeitas as celulites e peito caido. E os homens a barriguinha de chopp, e aquela careca lustrosa. Dai, depois disso, o que vale eh a essencia! E dentro dela, uma conversa madura conta bastante.
    Como sera que ficara este post, quando voce atingir os 40 e a crise da meia-idade? Olha que nem Tom Cruise escapou dessa!

  25. Laura, o seu newsflash colocou as suas coisas em perspectiva…

    E Carol Ribeiro, eu já vi homens trocarem ninfetas de 20 para ficarem com mulheres mais velhas sim, e vice-versa. Amor, química, tesão é uma coisa muito mais complexa do que fazer um scan de rugas e músculos da(o) pretendente, pelo menos entre as pessoas com mais inteligência e que exigem algo mais de um relacionamento. Ah, e pergunte a um homem quem ele escolheria para transar, se as opções fossem a Sandy ou a Vera Fisher. Não sou lésbica nem homem, mas se não tivesse outra escolha além destas duas, eu agarrava a Vera Fisher na mesma hora. Abraços,

  26. Que barraco disfarçado que tá rolando aqui?
    Acho engraçado tudo isso.
    Não cheguei nos 30 ainda, mas já aprontei tanto que até entendo porque um cara não ficaria comigo(só se eu me fizesse de santa, mas não ia adiantar nada, na hora do sexo ele ia perceber tudo, só se fosse burro).
    Será que é tão difícil arrumar alguém para namorar?
    Já terminei namoro porque queriam excluvidade total, do tipo que falta pedir para parar de trabalhar. Não paro de trabalhar e não paro de malhar NUNCA para ficar com ninguém e tem sim como conciliar tudo.
    Bem, é isso, melhor eu escrever um post no meu blog.
    Só o que eu vejo é todo mundo reclamando, para com isso gente!

  27. Rafael, juro que estou tentando mudar minha imagem a seu respeito mas vc não colabora…risos.

    De qualquer forma você tem leitoras que arrasam com você com muita competência. Elas não precisam da minha ajuda. 🙂

    Lamento pela adolescência que vc teve, verdade 🙂

  28. Vcs são más e injustas com o Rafael! hehehe

    Moral de lado, será que alguém vai negar o fato de que mulheres mais jovens são mais cotadas e, portanto, tem mais facilidades que as trintonas e quarentonas? Já a fase de ouro masculina dura mais, um trintão/quarentão “boa pinta” tem mais chances com mulheres de qualquer idade do que uma mulher nas mesmas condições teria.
    Justo? Não vem ao caso… É só uma constatação dos fatos. Pessoalmente gosto também de mulheres mais velhas.

  29. Lendo os comentários por cima, percebi um monte de respostas ao post de mulheres entre 30 e 40 anos que afirmam ser bem-resolvidas e felizes, independente de sua condição de solteiras, casadas, divorciadas, viúvas, etc.

    Longe de mim questionar a veracidade de cada comentário, mas as situações aqui expostas não invalidam o post do Rafael. É só conversar com um(a) psicólogo(a), e ele(a) dirá que o número de mulheres na faixa dos 30 a 40 anos, e até menos, que se sentem infelizes por não conseguir encontrar um parceiro é enorme.

    Então a tendencia existe, apesar de, obviamente, não se aplicar a todo mundo. É plenamente possível viver sozinho a vida inteira e ser feliz. Mas tem bastante gente que não consegue. E com o passar dos anos essa balança tende a pender a favor dos homens, da forma que Rafael comentou. Pode não ser justo, mas é assim.

    Ah, não poderia terminar sem jogar lenha na fogueira. Na minha opinião qualquer um que prefira se dedicar a um animal de estimação, a tentar um relacionamento com outra pessoa, tem sérios problemas. E é por isso que não consegue um relacionamento, em primeiro lugar. Esse papo de que não existem pretendentes interessantes é alienação pura. Eu sei, já estive lá.

  30. O medo de ficar sozinho existe para homens e mulheres, não dá para colocar isso como uma neurose exclusivamente feminina. Eu acho que a grande diferença, que ninguém tocou até agora, é a questão da fertilidade. A mulher tem um decréscimo na sua fertilidade após os 35 anos (embora continue podendo engravidar até bem depois dos 40). Então, para quem sonha em ter filhos, não estar com um parceiro disposto a ter filhos no final dos 30, início dos 40, realmente é angustiante. Mas conheço pessoas que resolveram isso mais tarde adotando, fazendo produção independente, ou mesmo se contentando em ser madrasta dos filhos do novo companheiro. Aliás, estar casada não é garantia de fertilidade, e nem de colaboração do marido (alguns não estão a fim de ter filhos mesmo).

    Sobre as trintonas serem menos cotadas… Bem, mulher bonita e charmosa sempre será cotada, e afinal quantos anos você acha que tem a Catherine Zeta-Jones, a Jennifer Aniston, a Julia Roberts, a Nicole Kidman, a Halle Berry, a Diane Lane? Mulher bonita e bem resolvida não vai ficar feia depois dos 30, 40, nem 50.

  31. Mulher bonita demora mais pra ficar feia, agora com certeza eram mais bonitas na juventude do que com o passar dos anos, só isso…

    Ah, vocês levam tudo tão a sério… Relaxem, a velhice chega para todos, exceto os que morrem jovens, é claro… ;>P

  32. Roger, você ainda é novo; com um pouco mais de experiência e observação você vai ver que 30/40 anos não é velhice, ainda é juventude. E que muitas mulheres estão mais bonitas nessa idade do que quando tinham 20. Até porque elas sabem se cuidar melhor, se arrumar, ter estilo e auto-confiança.

  33. “com um pouco mais de experiência e observação”

    Adorei essa Leila, acredite, eu já observei um bocado e experimentei também… 😉

    Realmente a mulher mais velha tem seu charme. Geralmente, uma mulher bonita e desejada, ao chegar aos 30/40, já fez e passou por todo tipo de situação, assim, não há como negar que ela seja mais tranqüila, segura, e saiba o que quer e como quer.
    Mas isso só se “o passar dos anos”, não se tornar per sí um motivo de ansiedade, senão vai tudo por água abaixo… hehehe
    Agora, falando de beleza e vigor físico, não tem jeito, por mais que uma mulher de 40 seja linda, ela não competiria com a média das de 20. Sem falar que é bobagem criar uma competição nesse sentido. Mas, é claro, ela tem sim atributos maravilhosos, não só como mulher, mas como pessoa, que são característicos de alguém com mais idade.
    Vale a pena, com certeza. Aliás, esse papo até me deu saudades da minha de 43… hehehe

  34. Mesmo sendo um post direcionado não opinativo (são fatos!), a cutucada foi muito forte na onça da vaidade feminina. Mesmo correndo todos os riscos que se corre ao generalizar, você foi cirurgicamente preciso (como aquelas bombas “cirúrgicas” que os americanos usam nas guerras). Depois você se espanta quando te idolatram. 🙂
    Ciao

  35. Ufa! Consegui ler todos os comentários! Acho que tem muita mulher que está no perfil que o Rafael descreve mas, é claro, não são todas. Prá chover no molhado mesmo: cada fase tem as suas vantagens e desvantagens. Não adianta ficar competindo. Se aos 20 o melhor é o viço e a firmeza da pele, aos 40 entram a experiência e segurança. A única coisa que pode estragar tudo EM QUALQUER IDADE é a ansiedade. E o pior é que quando agimos com esta maldita ansiedade não conseguimos perceber.Tive que ouvir de um amigo que estava muito ansiosa pra começar a entender o que estava acontrecendo comigo.E olha que nenhuma amiga havia me falado sobre isso. Acho que foi uma percepção masculina mesmo. Doeu pacas mas me fez refletir bastante.
    A propósito das trocas de mulheres por causa de idade: tenho uma amiga de quase 50 que foi insistentemente assediada por um cara também de 50 que é casado com uma de 30! Quando a pele( ou os santos, ou o cupido, whatever)combina , não tem regra.

  36. Bem, tenho 35 e confesso que gosto de mulheres de qualquer idade, inclusive acima da minha…:-)
    Agora, desses tipos que aparecem aí, o mais abominável é a balzaca reguladora. Mais de trinta com cabeça de 18, achando que tem que se preservar para sabe-se lá o quê. Um paleontólogo, talvez.

  37. Rafael, você não gosta de mulheres, assuma isto cara, está na cara! que post mais babaca, chega a ser ridículo, cresça, é um menino babaca, e se não for menino é uma farsa, acredite, você odeia as mulheres.

  38. Na verdade, “mulher inteligente”, eu só não gosto das barangas burras e mal educadas. Nem mesmo quando elas estão em Salvador, como você. 🙂

  39. O maior problema do adolescente não é nem tanto a falta de dinheiro ou de lugar, mas de experiência mesmo. Eu tenho 21 anos e fico com muita raiva de oportunidades que desperdicei no passado porque me faltava única e exclusivamente experiência. Só não me sinto pior porque hoje sei aproveitá-las, e fico pensando: “será que há cinco anos eu saberia como proceder?”. A resposta, invariavelmente, é não.

  40. Rafael, eu só tenho 20 anos. Ainda estou numa fase sonhadora com relação a relacionamentos, e não posso dizer se aos trinta vou estar casada, ou só, ou morando na Alemanha e tendo sexo de boa qualidade com desconhecidos comedores de chucrute. 🙂

    O início da minha vida sexual, Rafael, também foi repleto de muros, mãos sob sutiãs, esfrega daqui e dali. E, cá entre nós: foi bom que tenha começado assim. Condizia com a minha idade e com o meu ambiente. Hoje eu sei mais de mim e dos homens, e estou tendo outro tipo de experiências.

    Quanto ao adolescente espinhento que sorri… Eu entendo o sorriso dele.

    Ser mulher é muito divertido, Rafael. É só saber aproveitar.

  41. Concordo com o que você diz. E sou uma mulher acima de 30. Mas… gostaria de destacar que existe uma outra categoria de mulher, aquela categoria que já casou, descasou, namorou, curtiu e chorou e já não vê num homem a estabilidade desejada. Ela felizmente percebeu a tempo que segurança e felicidade precisam vir de dentro. Muitos homens que não podem ser parceiros interessantes para a vida toda podem ser parceiros interessantes para uma noite, para um chopp, para uma transa. Graças a Deus, como vocês deixaram de ser da Legião de Onan, muita mulher também aprende (às vezes sofrendo) a deixar de ser da Legião de Cinderella. Quem sabe assim, os gêneros não se entendem melhor?

  42. Rafael, fiquei querendo resistir e não deixar nenhum comentário aqui, porque tudo que você falou é uma bobaginha de menino espinhudo e feinho magoqado pelas amiguinhas na adolescência. mas você mesmo disse isso no post, não foi?
    Mas tinha que te dizer que generalizar é perigoso demais, menino. Você cria um preconceito estúpido e alimenta o preconceito e deixa de ver em volta as pessoas, o mundo e as coisas da vida que só acrescentam e fazem a gente melhor.
    Eu não sei a sua idade, mas sei que sua cabeça está presa no adolescente espinhudo e feinho, você precisa se libertar disso, perceber que cada pessoa é diferente da outra. Meninas de vinte podem ser ansiosas, podem ser desesperadas, futeis, pode ser horrível. E mulheres de quarenta podem ser liberadas, podem ser lindas, sexo de primeira, pode ser incrível.
    Não caia na tentação de rotular as pessoas que gente incrível vai passar na sua vida e você corre o risco de perder isso.
    Seu post foi pra sua amiga que toda orgulhosa diz que adorou, e ela devia ter se envergonhado e ido procurar dar um jeito. Não me ofende, só dá dó. De você que estreita seu mundo, dela que pula feliz dentro do rótulo e de seus amigos que te idolatram por escrever um post tão rancoroso.
    Espero que você cresça. A vida dá voltas e muitas surpresas esperam todas as pessoas todos os dias. Abra seus olhos e seu coração porque eliminar as pessoas pela idade é como eliminar pela raça, ou pela religião.
    Boa sorte, sinceramente.

  43. oi, falo desde lisboa e reconheço algumas verdades nesse post.
    algumas verdades femininas nas respostas sendo que uma resposta que fortaleça o conhecimento interior de cada um me pareça ser a melhor opçao ou seja abandonar legiao de adao e de cinderella!! 🙂

    abraços e continuem a viver ao máximo
    http://www.onlinu.blogspot.com

Leave a Reply

Your email address will not be published.