60 anos atrás

Comentário interessante do Emerson Lopes em um post antigo:

normalmente acho seus posts inteligentes. Infelizmente toda regra precisa de sua exceção. Vc pode até não gostar dos americanos, democracia é isto, mas não precisa agredir a história deste jeito. Os alemães atacaram navios americanos que enviavam suprimentos para a Inglaterra e os nazistas sabiam que haviam americanos lutando na RAF em 40 e 41. Quando Roosevelt declarou guerra ao Japão, ele o fez de imediato à Alemanha. Não o fez antes pois a opinião pública americana tinha dúvidas se devia se envolver no conflito, embora Roosevelt soubesse que os planos de Hitler afetariam a América LOCALMENTE cedo ou tarde. Havia também um clima de guerra entre os EUA e a Alemanha em função dos embargos dos americanos aos produtos alemães em todo o continente americano.

Ah, por favor. O fato de haver americanos lutando na RAF não quer dizer absolutamente nada. Indivíduos têm o direito de lutar onde são aceitos sem que isso seja considerado uma declaração de guerra de seus países de origem. Isso diz tanto quanto o fato de haver americanos e ingleses nos serviços de radiodifusão do Eixo, como havia. Balela é isso, e do tipo absolutamente dispensável.

Quanto aos ataques alemães, é simplório demais achar que porque um cargueiro foi bombardeado um país declara guerra a outro. Na verdade, o torpedeamento desses navios, quando comerciam com países em guerra, é algo absolutamente legal.

Além disto, esta estória de que os EUA declararam guerra à Alemanha por causa do pacto ROBERTO é balela. O Japão era aliado de Hitler e nem por isto atacou a União Soviética, o que poderia ter feito a guerra durar pelo menos até 47 ou 48 com resultados duvidosos para os aliados, pelo menos na Europa.

Antes de falar isso você deveria se informar melhor sobre o Pacto Tripartite. O texto original está aqui. Aí você veria que ele excluía a União Soviética da obrigatoriedade de declaração solidária de guerra. Ele tinha sido assinado com dois objetivos: preservar o status quo da relação do que ali se tornava o Eixo em relação à União Soviética, e manter os Estados Unidos em posição de neutralidade. Depois que a guerra estourou entre a Alemanha e a União Soviética, ao Japão simplesmente não interessava entrar nessa guerra, do que era dispensado pelos termos do acordo — assim como não interessava à União Soviética, que só declarou guerra ao Japão depois de Hiroshima, para pegar sua parte nos despojos. Na época o Japão estava muito ocupado com a guerra sino-japonesa, se preparava para enfrentar os Estados Unidos e, ao contrário de Hitler, sabia ser pouco sábio guerrear em muitas frentes.

No caso dos Estados Unidos era justamente o contrário.

Agora só falta o pessoal dizer que eu não sei o que digo quando falo dos Beatles.

3 thoughts on “60 anos atrás

  1. Usasse o teu Blog pra dar uma aula de história desta vez. O tal Emerson fez com que mesmo quem já sabia das coisas que você mencionou viesse a ler um post sobre elas. Poderoso esse tal Emerson, não? É por essas e outras que eu me restrinjo à “típica masturbação intelectual” que sói ser publicada nos blogs tupiniquins. Esse tipo de assunto eu discuto no bar mesmo, acredito ser este um ambiente mais propício.
    Post scriptum: Enquanto olhava o layout do teu WebLog percebi um link novo na relação de links, obrigado.

  2. Eu não tinha lido o post original. Achei excelente.

    “…porque sem a França seu país sequer existiria.”

    Muito bom! E é mais absoluta verdade. Se não fosse a França, não existiriam as “Freedom Fries”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.