Bussunda

Agora que se passaram sete dias, dá para falar melhor do Bussunda. O Ina fez um belo post, como sempre; o Hermenauta evocou lembranças pessoais. Eu não tenho tanta coisa boa para falar.

Não da pessoa ou do mesmo do humorista, cujo talento é óbvio. Mas os obituários que correram nos últimos dias fizeram parecer que havia morrido o maior humorista brasileiro de todos os tempos, e isso não é bem verdade.

A Casseta Popular nunca foi grande coisa. Genial, mesmo, foi o Planeta Diário, da mesma época, com um humor mais inteligente e sofisticado. A Casseta Popular fez sucesso porque era escrachada, assumidamente boba, sem nenhuma vergonha do mau gosto. Por si só, jamais teria a capacidade de mudar a cara do humor brasileiro. Mesmo assim, ao lado do pessoal do Planeta Diário, aquela equipe desempenhou um papel fundamental na renovação do humor na TV, com parte do TV Pirata. Isso ninguém tira deles.

Mas essa renovação não durou muito tempo. Já em 1992, a Casseta (não lembro se já era Casseta e Planeta) fez duas piadas em sua revista que, em vista do que viria depois, me impressionaram. A primeira foi uma paródia da campanha da Rider — “Dê um descanso aos seus pés” — ilustrada por Nelson Piquet (que tinha acabado de destroçar o pé em Indianápolis) e Roberto Carlos, que nunca gostou de alusões ao fato de ter perdido um pé em um acidente de trem. Alguns meses depois, trouxe uma capa com o esqueleto de Ulysses Guimarães, recém-desaparecido em um acidente de helicóptero. Piadas de mau gosto? Talvez. Mas o humor não deve, jamais, obedecer a padrões de gosto. Humor é humor. Ponto.

O problema é que logo depois morreu Daniela Perez, e o Casseta e Planeta simplesmente não tocou no assunto.

Aquele era um prato cheio. Artistas. Galeria Alaska. Leopardos. Tesoura. Tatuagens penianas. O caso Daniela Perez poderia alimentar uma publicação humorística por meses. Pelos padrões que vinha mostrando até então, seria de esperar que o pessoal do Casseta e Planeta fizesse um carnaval sobre isso.

Mas Daniela Perez e Guilherme de Pádua eram contratados da Globo, como era a turma do Casseta e Planeta. Tudo bem que não tocassem no assunto em seu programa de TV, mas na revista eles teriam, teoricamente, liberdade para soltar o verbo. Mesmo assim jamais tocaram no assunto. A Globo tinha domado aquele pessoal, e eles tinham assumido compromissos demais.

A partir daquele momento eles perderam todo o interesse para mim. É fácil bater em cachorro morto. A palavra “irreverência” já não se aplicava a eles.

O mais grave na retrospectiva que fazem do Bussunda, no entanto, é que o Casseta e Planeta, hoje, estão superados. O novo humor televisivo é feito no Pânico, com seus roberts e mulheres samambaia. O antigo lema do Casseta e Planeta, “Jornalismo mentira e humor verdade” foi posto de cabeça para baixo pelo Silvio e pelo Vesgo. O Casseta e Planeta, com toda a importância que tenham tido nos anos 80, principalmente ao colaborar com um programa fundamental como o TV Pirata, hoje está na mesma situação que Chico Anysio naquela época: vendo que o seu tempo passou, que o futuro é de gente mais ousada e mais debochada.

15 thoughts on “Bussunda

  1. ô, Rafael, que maldade!
    Quer dizer, você acha que humor tem que ser a superação da ousadia e do deboche? O Chico Anysio está mesmo decadente e datado, mas todo artista tem seu ocaso. Ele é da época pré-esculacho, um outro estilo de humor. Só a galeria de personagens que o cara criou já lhe garante um lugar elevado o sufiente pra superar sua piada mais infame, que foi ter se casado com a Zélia.
    Você elogia os Cassetas pelas piores coisas que eles fizeram, que foi justamente “chutar cachorro morto”. Quase tudo o que eles fizeram foi mais engraçado que sacanear mortos e feridos. E é uma certa ingenuidade achar que se poderia ter um emprego bem-pago e bem-suscedido e que ainda permite falar mal do patrão ou da empresa.
    O Pânico, que eu também acho legal, não esculacha o próprio canal. Aliás, queria ver se eles fariam o Silvio no SBT.
    Mesma ingenuidade achar que alguém vai escrever um obituário ou produzir uma retrospectiva dizendo que “o cara já não era mais aquele, mesmo”.

  2. Criss, acho que você entendeu errado. Eu não elogiei o C&P por chutarem cachorro morto, pelo contrário.

    Quanto a Chico Anysio, eu acho o sujeito o maior gênio que já apareceu na televisão brasileira. Isso não impede que seu tempo tenha passado. No caso dos Cassetas, acho que nunca foram essas coca-colas todas, e seu tempo também passou.

    E não espero que eles falem mal de algo ligado à Globo no programa; mas a revista não era publicada por ela. De qualquer forma, o que eu esperava era mais um pouco de coerência. A graça do C&P era a irreverência; com esses compromissos ela deixou de existir.

    E o Pânico brinca com Amaury Jr., ora. Mas não é a isso que eu me refiro, e sim a um novo padrão, que é inegável. 🙂

  3. Certo, Rafael.
    Mas acho que o novo padrão é mais fácil, porque é praticamente todo na base do deboche. Fazer humor num meio conservador, com censura e tabus…o buraco era mais em baixo.
    [ ]s!

  4. Mas Criss…

    Pode-se dizer que o humor do C&P era mais fácil que o anterior, mais politizado, como o do Pasquim. Não acho que facilidade seja critério, não. 🙂

  5. Rafael,
    Concordo com você na questão: Humor é humor. Ponto! Mas acho que você está exigindo demais, não sou muito fã do pessoal do Casseta & Planeta, e sou muito novo pra distinguir o humor da Casseta Popular e do Planeta Diário (não lembro de ter lido nenhum…), porém da maneira que você fala, é como se cobrasse o fato de eles não terem feito graça da morte da Daniela Perez, tudo bem, era a notícia do momento, o assassinato de uma atriz da Globo, mas além disso, era uma garota, linda, jovem, foi um crime hediondo, não foi um acidente como o do Ulysses Guimarães, que além de político, era um senhor de idade avançada, arrisco afirmar que a nação ficou mais chocada pela morte dela, então, os caras fizeram uma escolha, sacrificaram o humor fácil, de mau-gosto, em prol do futuro da carreira deles.
    Não os condeno por isso. Todo mundo faz sacrifícios, concessões, seja por dinheiro, por sentimentos, por oportunidades, e humor não deixa de ser humor por isso.

  6. É tudo isso mesmo… mas o Bussunda não era realmente um dos nosso maiores humoristas. Humor é humor e ponto e vírgula, há humoristas e humoristas.
    Lamento que pessoas morram, mas elas morrem. Mas mentir a respeito delas, ou exagerar é dose. Apesar de prática recorrente, enche o saco.

  7. Caro Rafael,
    Lembro vagamente da fase de transição do pessoal do Planeta Diário para a de Casseta e Planeta. E compreendo perfeitamente o que quis dizer ao compará-los em ambas as fases. Porém discordo quando diz que o tipo de humor feito pelo primeiro era inteligente e sofisticado. Acho que no lugar de inteligente e sofisticado coloco humor negro e grotesco , por isso a sua originalidade e criatividade. Já o segundo formato, seguido por eles quando já eram Cassetas é previsível e linear. Mas, também pudera,né?! Em horário nobre e, ainda por cima, na Globo, que tipo de público você acha que era alvo?
    Mas te dou razão e foi legal a comparação feita com o Chico Anysio. Isso mesmo!!!!
    Um abraço!
    Veve

  8. “A Grande Globo zela por ti”

    É isso aí,todo mundo tem seu preço e a Globo pode pagar qualquer um. Dinheiro há…dinheiro há!

  9. ah se o bussunda fosse simpatizante do PT….. ah se o bussunda não fosse irmão de um tucano de alta plumagem…. ah se o bussunda não tivesse sido entrevistado pela revista primeira leitura….ah se o bussunda não tivesse feito a paródia mais genial e corajosa q um humorista brasileiro já pode fazer ao presidente do seu próprio país….
    com certeza seria elogiado e chamado de genio.

  10. oi Galvão ,
    Voce podia ver hoje no “casseta e planeta” os amigos de bussunda lá no estúdio da globo eles fizeram uma atração deles e delas. Então é o seguinte vc usa o canal net ou sem o canal net ? porque se vc estiver o canal net virtua vc podia ligar a televisão e colocar no canal 04 .

    Beijos ,
    Gleice Kelly

    tchau e tchau

    fui gostosão

  11. O fato é: ninguém é obrigada a ter a mesma opinião. É por isto que existe algo chamado liberdade de expressão. O que ele foi ou deixou de ser não interessa mais. Para alguns, foi o melhor humorista de todos os tempo sim, e daí? Para outros não….Mas por que isso tem que ser discutido depois que o cara já morreu? Nada vai mudar. É diferente quando se pode fazer uma crítica a alguém que ainda pode melhorar. O Bussunda foi o que ele era e fez o que sabia fazer, não seguiu nenhum padrão, somente sua própria natureza. E desta forma fez a alegria de muitos, ficou exposto as críticas e sempre respondeu todas com muito bom humor. Marcou seu lugar na história e nunca será esquecido. Na minha opinião, isso sim é que é ser foda….Eu não sou nenhuma fã assídua do Casseta e Planeta, mas admito que eles me fazem rir, e , neste nosso país que, infelizmente, temos muito mais razões para chorar quando ligamos a TV, esse é um grande mérito.

  12. Parece brincadeira, mas tenho 40 anos e jamais assisti a este homorístico. Sendo assim, talvêz nem deveria opinar. Porém, impressionado com as incontáveis manifestações sentimentais por conta da morte do Bussunda, quero apenas registrar que recebi a notícia de sua morte com a peculiar excitação mórbida com que se recebe sempre a notícia da morte de alguma personalidade qualquer. Bem, bem…talvêz um dia eu volte para escrever algo mais produtivo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.