Abelardo e Heloísa

Heloísa em Argenteuil, Abelardo em Saint-Denis, agora tudo o que podem fazer é se escrever cartas, as dele arrependidas e sensatas, as dela como esta:

Eu, infeliz e aflita entre todas as mulheres. Tu levantaste-me ainda mais alto só para aumentar a minha dor na queda. Enquando entregávamo-nos aos prazeres da luxúria, Deus fingiu não estar vendo, mas depois castigou-nos: e nem mesmo o nosso casamento abrandou a Sua cólera. O Maligno sabe até bem demais como usar uma mulher para arruinar um homem. Éramos dois, a pecar, mas só tu tiveste que pagar. Agora eu também sofro. Por tempo demais entreguei-me aos prazeres da carne e este é o justo castigo. Persegue-me a lembrança. Até durante a Missa, quando a oração deveria fazer-me sentir mais pura, as lembranças atormentam a minha mente, e em lugar de arrepender-me, tenho saudade daquilo que perdi. As pessoas louvam a minha castidade só porque não sabem que no fundo não passo de uma hipócrita. A minha habilidade em fingir consegue enganá-las, mas eu não me curei: penso em ti, te amo, te quero, te desejo, como antes, mais do que antes.

Heloísa freira em Argenteuil, Abelardo emasculado em Saint-Denis, incapaz de sentir o fogo que ainda queima a carne de sua Heloísa.

7 thoughts on “Abelardo e Heloísa

  1. Já te disse isso…

    Uma de minhas fantasias-sexuais inclui transar com um padre : P

    Mas não vale um cara usando batina. Tem que ser padre mesmo. E bonito…

    Há!

  2. Nem sei se ela deveria escrever cartas tão fortes já que ele estava traumatizado e se diz que perdeu toda a sensibilidade para o amor, depois de emasculado (que chic, Rafael!). Coitados.

  3. Em Paris No Père-Lachaise estive junto ao túmulo que alguns acreditam conter os restos mortais dos amantes. Caídas dentro do gradeamento à volta estavam dezenas de mensagens de pessoas, ao que suponho, com idênticos desgostos de amor. Eu sei que parece brega, mas a primeira em que pousei os olhos me comoveu. Estava escrita em português, creio que era de uma brasileira. Morri de curiosidade para ler e se não fosse a vergonha de me esticar toda por entre as grades tinha mesmo pegado ela. Vá-se lá saber.

  4. Estou completamente apaxoinado, pelas correpodências, pela originalidade, pelo séculos dos séculos, um grande exemplo de amor que nos dias de hoje estar em extinção.

Leave a Reply

Your email address will not be published.