Pequena contribuição dos quatis à raça humana

Em agosto, o Hermenauta fez um post sobre os 30 anos das sondas Voyager. O Hermê tem dessas coisas científicas. Acompanha esses trecos como acompanha as asneiras faladas pelo Reinaldo Azevedo, o chihuahua da direita brasileira.

O que me chamou a atenção no episódio foi lembrar dos discos cheios de inscrições incluídos nos artefatos. Trazem uma série de informações destinadas a fazer com que os ETs que pegarem o disco saibam de onde vem a sonda, onde fica a Terra e que somos minimamente inteligentes.

Não entendo de ciência, como não entendo muito sobre quase nada. Talvez por isso as inscrições sejam, para mim, ininteligíveis. Se alguém me desse o disco, eu não conseguiria decifrar absolutamente nada.

É justamente essa a questão que os discos das Voyagers sempre levantou para mim: assim como criamos um disco com rabiscos que, ao comum dos mortais, nos parecem absurdos, quando estudamos inscrições antigas e concluímos que ela é um retrato do cotidiano de civilizações que sequer chegamos a conhecer, não estaríamos partindo de um princípio errado, que aquilo não tem nada a ver com aquela civilização, que foi uma concessão feita por elas para que outras civilizações as compreendessem? Que tudo o que julgamos saber sobre civilizações perdidas não corresponde em nada à realidade?

Eu gosto de imaginar um maia, carregando um coelho (que assim como a hóstia significa a carne do homem) para o sacrifício no alto de um templo emTikal, parando e olhando aquelas inscrições ininteligíveis e perguntando ao escriba que as fez: “Por que você escreve essas coisas que ninguém entende?” E o escriba, olhando o sujeito do alto de sua sapiência, com aquele desprezo que só aqueles que enxergam mais longe podem afetar, responde: “Porque assim vai ser mais fácil para outras civilizações saberem quem fomos nós.”

***

Mas o mais engraçado nessa linha de pensamentos bobos sobre ciência avançada é que esses presentinhos que a NASA anda mandando para o espaço poderiam ser uma declaração de guerra.

Não sei se muita gente sabe — quem não souber pode conferir no zoológico mais próximo –, mas quatis não toleram o barulho de um molho de chaves. Pode experimentar. Balance suas chaves e eles se tornam extremamente agressivos, começam a brigar uns com os outros, atacam o que virem pela frente. Para pessoas boas como eu, é uma diversão interessante em idas ao zoológico, uma pequena maldade que posso fazer às claras sem que ninguém perceba; e ainda vou encontrar outra pessoa boa que queira apostar comigo qual quati morre antes, enquanto balançamos discretamente nossas chaves. Mas divago, e deixe-me enxugar a baba que escorre da minha boca. Agora imagine uma raça que não tolera o espectro de sons contidos no segundo “Concerto de Brandemburgo”, de Bach, que foi para o espaço nas Voyagers, recebendo o disquinho. Uma raça extremamente evoluída de cabeças chatas: “Aqueles terráqueos fios duma égua estão tentando nos matar, e ainda deram a localização do cafofo deles porque acham que nós somos uma ruma de frouxos”. E viriam para cá dispostos a acabar com a nossa raça estupidamente pretensiosa como num livro de H. G. Wells.

Pode até ser masoquismo, mas eu gostaria muito de ver uma cena dessas.

22 thoughts on “Pequena contribuição dos quatis à raça humana

  1. Rafael, pode parecer estranha a comunicação entre civilizações, caso você avalie puramente nossa linguagem verbal e pictórica. Existem algumas linguagens universais, entre elas a matemática. As freqüêncais de onda da luz, o tempo de decaimento de átomos radioativos, uma seqüência de sons numa fuga de Bach e até o círculo e o tribânulo nele inscritos refletem relações descritas matematicamente.

    Os quatis intergalácticos que você sugere, vejam só, são capazes de produzir naves espaciais e armas tão poderosas para nos matar a todos, mas não de decifrar a matemática simples na música. Estranho, não?

  2. Nas Cataratas dá pra ver os quatis de pertinho, mas eles já estão muito familiarizados com os humanos e não tem medo de barulho.É só a gente se distrair que lá vem o o quati roubar o que vc tiver na mão, seja refrigerante, pipoca ou máquinas fotográficas. Não parecem mais quatis, mas sim trombadinhas.

  3. vc tem razão, rafa. reinaldo azevedo é o chuhuahua da direita brasaileira. e o q será Lulla e o PT q agora anda de braços dados com sarney, jader barbalho, romeu tuma, paulo maluf, delfim neto, renan calheiros, romero jucá, roseana sarney etc etc etc????? responde aí, meu caro baluarte da esquerda sergipana.

  4. André,

    “sarney, jader barbalho, romeu tuma, paulo maluf, delfim neto, renan calheiros, romero jucá, roseana sarney”

    Sei não, mas pela sua escolha de nomes o problema parece ser dor de cotovelo: são os mesmos que andavam de braços dados com FHC.

  5. ué, e não era Lulla q dizia q não queria companhia com esses caras? ou era só bravata pra enganar a torcida, ou era picaretagem mesmo, ou somos todos trouxas?

  6. Peraí, agora eu não entendi nada: FHC pode e Lula não? Eu sei de outra opção, a de ruptura institucional como se dizia que ia acontecer em 2002; é isso que você prefere? Afinal, o que Lula deve fazer?

    Até onde eu sei, esse são nomes uqe, por força do sistema político brasileiro, são necessários para a governabilidade. Assim como Roberto Jefferson foi um dos avalistas da emenda da reeleição (coisa feita de graça, claro,q eu RJ é gente boa), como lembrou o Hermê hoje.

    Continuo achando que é dor de cotovelo.

  7. ué, e não foi Lulla q disse q daria um cheque em branco oro bob jefferson?
    e não era Lulla que dizia q esse papo de governabilidade e aliança com o q existe de mais atrasado no país era conversa mole pra corrupção continuar? e não era Lulla q chamava sarney e collor de ladrão e agora é unha & carne com os dois?
    a propósito: nunca votei em FHC, sempre votei em Lulla (até 2002) sem saber que, na real, elle é igualzinho a todos os outros. e com um agravante não tá fazendo NADA. a não ser q o bolsa esmola (adotada nacionalmente por FHC) seja uma grande realização. ou vc vai dizer q Lulla fez o plano real, a estabilidade econômica, e possibilitou a telefonia celular no brasil?

  8. Ô, André…

    Primeiro, a César o que é de César. Não foi FHC quem possibilitou a telefonia celular no Brasil. Ele nem sonhava em ser ministro da Economia nessa época, embora ele tenha tentado ser ministro de Collor, do que foi salvo por Mário Covas. O que FHC fez foi a privatização da telefonia alguns anos depois, algo até benéfico, mas a gente sabe a que custo de corrupção. As histórias dessa época são uma delícia, procure se informar.

    Segundo, o que você chama de “Bolsa Esmola”, é algo bem diferente do “Bolsa Escola” de FHC. Informe-se melhor. Neste blog há um texto explicando isso, procure. De qualquer forma, é curioso que mesmo sendo ruim, vocês vivam querendo a paternidade do bicho, ou pelo menos do que poderia ser chamado de “embrião”, com muito boa vontade. Quanto a achar que o Bolsa Família é ou não uma grande realização, pergunte aos milhões de famílias que agora têm o que comer. Se você não entende a diferença, não sou eu quem vai conseguir explicar.

    Terceiro, afinal de contas, por que você votou em Lula? Pelo que posso ver, programaticamente você está bem alinhado com a plataforma do Serra/Alckmin. O orgulho pela privatização do sistema Telebrás, etc. Eu, pessoalmente, acho uma graça que este blog seja visitado por tanta gente que sempre votou em Lula e está tão decepcionado. Eu, pelo menos, vejo isso com desconfiança. Ainda mais quando demonostram tanto orgulho pela era FHC.

    Quanto a não estar fazendo nada (na ótica de vocês, aquela de obras, etc.), pode até ser. Mas eu, “o baluarte da esquerda sergipana”, estou bastante feliz com os investimentos (cerca de 98 milhões de reais) em urbanização, saneamento e habitação que serão feitos via PAC nos dois bairros mais complexos de Aracaju, acabando com as duas únicas áreas de risco da cidade e executados através da Prefeitura de Aracaju, apenas para citar um exemplo que acompanho de relativamente perto. Mas o seu conceito e o meu de “fazer” devem ser bem diferentes.

    Mas tudo isso só porque eu chamei o tio Rei de “chihuahua da direita brasileira”?

    (E só pra avivar a memória, dá uma olhada aqui: http://www.subsolo.org/hermenauta/archives/2007/10/index.html#008580

  9. ué, seu papo é típico de assessor político.
    admiro vc, rafa, mas me diz uma coisa: vc tem algum tipo de cargo ou alguma ligação com o governo? se tiver, td bem, tá explicado.

    outra coisinha: por eu ter sempre votado em Lulla e no PT (até 2002) eu não tenho a legitimidade do direito de me decepcionar com elles não??
    e outra mais, se era para fazer igual pq o PT fazia aquela oposição desleal? percebendo o posicionamento delles agora, podemos concluir q agindo daquela maneira elles atrasaram o país em décadas, já q muita coisa poderia ser executada antes com o voto e o apoio delles nos congresso.

    mas era só mentirinha, bravata e demagogia para chegar lá, né não??

  10. André,

    Você tem toda a legitimidade para se decepcionar com quem quiser.

    Agora, o que eu questiono é o tipo de argumentação — da qual você não é o único exemplo. Você ainda não explicou por que votou em Lula, como diz. Porque o seu orgulho das “grandes realizações de FHC”, na linha que seria mais bem executada por José Serra, faz do seu voto em Lula algo completamente equivocado desde o início. Sua crítica ao Bolsa Escola implica ignorância, na melhor das hipóteses. Sua acusação de que o governo Lula traiu o povo carece de qualquer embasamento real — e as eleições do ano passado mostraram isso. Finalmente, esse tipo de crítica à “oposição desleal” feita pelo PT é de uma primariedade atroz. Não consta que a oposição feita a Lula seja exatamente leal ou honesta. E ultrapassou limites que o PT nunca conseguiu ultrapassar. Finalmente, é engraçado que o pessoal faça esse tipo de oposição e depois reclame que o governo busque outros partidos como base de sustentação.

    Você não se decepcionou, André. Você está procurando é motivos para se justificar. E tem toda a legitimidade para isso. Seria bom, apenas, que fosse honesto.

    Mas também deveria fazer o dever de casa. Deveria saber o que é o Bolsa Família e o que é o PAC antes de falar em “traição” e “inação”. Além disso, a sua conversa sobre “mãos dadas com Sarney”, etc. é falsa e capciosa, porque não é isso o que ocorre. O que ocorre é uma série de compromissos e negociações necessários para que se governe em um sistema democrático de governo, e principalmente em um sistema como o brasileiro. Sarney fez isso, Collor fez isso (mal), FHC fez. A diferença é sutil, e você provavelmente não percebe: está na origem do cerne do governo. O PSDB se aliou ao PFL para ganhar a eleição e depois se viu obrigado a negociar com os PMDB e PTB da vida. A diferença ideológica não está nessa negociação: está na origem e nos compromissos assumidos desde o início.

    O papo é típico de assessor político? Talvez. Eu poderia também dizer que o seu papo é típico de uma classe específica, e daí? Quanto à pergunta que você fez, ela está explicada em algum lugar deste blog. Eu tenho, sim, uma série de ligações com o grupo político de apoio a Lula. Há mais de 20 anos, na verdade. E daí? Quer dizer que por isso eu não posso achar o governo bom ou ruim? Idiotice. Muito embora não seja assessor de nenhum político: eu sou publicitário.

    Bear,

    Isso é comum neste blog. Você faz um post sobre o sexo dos anjos e aparece algum desavisado para reclamar de “Lulla”. Eu já me acostumei.

  11. Mas nem em um milhão de anos eu vou conseguir ser uma pessoa tão equilibrada de discutir sem falar um único palavrão e mandar as pessoas para lugares não recomendáveis…hehehe
    Beijos Rafa!!!!!!!

  12. vc vai me desculpar mas o andré tem razão qdo fala essas coisas. acho q nenhum partido fez ou faz uma oposição tão desleal quanto aquela q o PT fazia. tdo q viesse do governo eles rejeitavam e hoje muita coisa é votada e aprovada com o voto da oposição.
    antes nem pensar.

  13. cara, seu blog é fenomenal.

    como historiadora eu poderia comentar o post em que estou comentando, mas cara, qualquer coisa que eu escrevesse estragaria a beleza da inquietação levantada.

    muito bom.

  14. É a burrice versátil dos chiuauas movendo-se para todos os lados. A burrice é inquieta como os quatis ao retinir de um molho de chaves. As vezes é necessário fazer um esforço extraterrestre para encontrar alguma razão nesses humanos cheios de qualidades.

  15. é ..
    ce é loco msm
    já tava ligado …..
    ademais disso, nasceu o Vito (ex-Valdemar)
    mas como ce sumiu, imagino q esteja passeando, deixo aqui o recado, ok?
    abrassss

  16. Hahahahahahahahahaha!

    Eu nunca poderia pensar em uma teoria dessas, da mensagem das civilizações antigas.

    Quando fiquei sabendo dos discos, imaginei que, caso exista algo que possa ser considerado vida lá fora, não teria nenhuma similaridade conosco, o que faria do disco algo inútil.

Leave a Reply

Your email address will not be published.