Manual do Bem Foder

Recebi há algum tempo, por e-mail, uma listinha anônima em que uma moça — é uma moça, deveras — enumera “30 erros que os homens cometem na cama”.

É uma definição tão acurada e taxativa de certo e errado nas lides da carne que eu chamei a lista de “Manual do Bem Foder”.

Gente chata costuma cometer um erro: achar que o que vale para si vale para todo mundo. No mundo real a gente chama essas pessoas de “caga-regras”, e elas são a melhor definição de chatice que se pode encontrar. Por exemplo, segundo o manual, ele tem que fazer a barba, mas ela não precisa se depilar. Ela insiste que ele faça sexo oral, mas se ele insistir que ela faça, é desagradável.

Além da incomparável inconveniência que é deitar regras para algo que, a princípio e por definição, não as admite, há um fato que parece preocupante: algo que parece ser um certo egoísmo inerente à moça, ao utilizar padrões diversos para os diversos papéis que ela atribui durante a saliência.

Por isso, em vez de chamar seu opúsculo de “30 erros que os homens cometem na cama”, ela poderia chamá-lo de “30 coisas que fizeram comigo e que eu não gostei, e que portanto ninguém vai gostar”. Poderia chamar também de “30 coisas que fizeram comigo mas que eu não gostei porque não estava sendo suficientemente bem comida, ou simplesmente não estava a fim, ou a lua não estava na casa certa”.

Cada pessoa tem direito a suas preferências, e ao contrário do que essa moça aí parece pensar, isso é bom. O problema começa quando as pessoas começam a cagar regras. Essa moça deve ter se achado a Marta Suplicy do século XXI ao escrever esse monte de obviedades ou, o que é pior, estabelecer como regra geral e aplicável a todos e todas as suas preferências pessoais. É o que faz dela uma chata. E eu, se fosse o caso, quereria distância dessa moça.

Abaixo segue a lista feita pela moça, com os devidos comentários feitos por este seu criado onde julgado necessário.

1 – Pular as preliminares: ir direto ao ponto às vezes incomoda a mulher.
Às vezes. Às vezes. Faz assim, ó: pega a mulher, encosta na parede, levanta o vestido, afasta a calcinha pro lado e veja no que é que dá.

2 – Beijá-la com força e sem sensibilidade: paixão é sempre bom, mas vá com calma.
Isso significa beijar com delicadeza e sensibilidade e também com força e sem sensibilidade? Sinceramente, eu não entendo direito esse manual aí. Há uma hora para tudo, alguém poderia dizer à moça, e o seu problema é não saber disso.

3 – Ser muito bruto ao tocar as zonas erógenas: o clitóris é muito mais complexo do que o pênis.

4 – Dizer “não” às carícias: o segundo maior órgão sexual da mulher, depois de sua mente, é a sua pele.

5 – Chupar seus mamilos como um bebê: é divertido, mas é legal antes explorar o caminho pela auréola e pelo resto do seio.

6 – Morder a orelha dela: pode parecer sexy, mas talvez ela não pense o mesmo. Dói.
A essa moça jamais ocorreu a idéia simples de que alguém pode gostar do que ela não gosta.

7 – O famoso “chupão” no pescoço: não recomendado para maiores de 16 anos.
Pobre moça. O problema do “chupão” não é o durante, é o depois; é as pessoas verem que você andou fazendo safadeza. Ela precisava fazer essa distinção, mas não faz.

8 – Transar sem fazer a barba: você pode se sentir atraente, mas pinica.
Certo, isso é admissível. Obviamente, se você esquecer de fazer a barba, ou sua pele é sensível demais e você não pode fazer todo dia, e assim do nada surge uma gostosona doida para dar para você, não coma. Porque pinica.

9 – Não se lavar antes do sexo: não precisa exagerar, mas higiene é fundamental.

10 – Esquecer-se que seu corpo também gosta de ser tocado: não economize carícias. Você só tem a ganhar.
Por que será que eu tenho a impressão de que essa moça aí fica deitada, esperando que o sujeito faça tudo, e reclama se não fazem o que ela quer?

11 – Passar os dedos debaixo da roupa íntima dela antes de ela estar pronta: não seja tão ansioso, porque incomoda.

12 – Jogar a camisinha no chão: que falta de glamour. O lugar certo é o lixo.
E tirar o emprego de milhares de camareiras de motel? Essa moça é do PSDB. E pelo visto nunca foi levada ao que o Frank Harris, esse gênio do passado, chamava de “os páramos do prazer”. Se fosse, a última coisa em que ela pensaria seria no destino dado a uma camisinha usada.

13 – Ter o clitóris como primeira opção: não é recomendável esquecer-se sas regiões próximas a ele.
A bundinha, por exemplo.

14 – Parar justamente quando ela pede para não parar: está indo bem, ela está curtindo, continue.
O homem, esse objeto sexual sem vontade própria…

15 – Ser desajeitado ao despi-la: concentre-se e não deixe de beijá-la.
Exclusivo no blog do Rafael Galvão: Curso de Malabarismo em apenas 3 lições!

16 – Tirar a própria roupa de forma ridícula: lembre-se de que na sua frente há outra pessoa. Uma linha muito tênue separa o engraçado do patético.
O difícil é saber que linha é essa. Por exemplo, tem gente que gosta de usar fantasias — como empregada doméstica, colegial, bombeiro, essas coisas, e ainda contam essas histórias para as pessoas mais próximas. Tem gente que é chegada num teatrinho — assim como tem gente que gosta de coprofagia. Mas uma vez ouvi uma história de uma moça bem intencionada que resolveu fazer uma surpresa para o noivo: levou o sujeito para o motel, entrou sozinha no banheiro e saiu de lá com uma roupinha de coelhinho da páscoa, com o detalhe supremo de uma cenoura na boca. O sujeito caiu na gargalhada. Deve estar rindo até hoje.

17 – Esperar que ela tenha depilado a virilha: você pode gostar muito, mas para ela pode incomodar e coçar.
Peraí, sejamos justos. O sujeito tem que fazer a barba mas ela não tem que depilar a virilha? Que essa mulher não entende nada de outras mulheres eu já sabia; mas ela também não entende nada de homens. Se bem que isso eu também já sabia.

18 – Colocar um dedo dentro da vagina antes do tempo certo: a impaciência nunca funciona.

19 – Avançar sem perguntar: não é questão de acabar com o elemento surpresa, mas é preciso saber entender o que o olhar dela diz.
E aqui a minha tese da moça mal comida se confirma: ela está com os olhos abertos. Ela está conseguindo enxergar alguma coisa.

20 – Tentar insistentemente a penetração no escuro sem êxito: ela pode te ajudar, não tenha vergonha.
Tá, isso deve mesmo ser engraçado: “Ai, filho da puta, buraco errado!”

21 – Achar que ela vai ficar de quatro: essa posição pode fazê-la se sentir como um objeto sexual.
Se ela tiver sorte, sim. Mas essa moça aí não parece ter tido muita sorte com os homens.

22 – Ir com força: comece com suavidade, e o ritmo será definido entre os dois.
Cada quem com seu cada qual, dizia uma filósofa de Laranjeiras.

23 – Ejacular muito rápido: ela deve se satisfazer primeiro.

24 – Ejacular ou perder a ereção ao colocar o preservativo: o primeiro é raro e, o segundo, questão de prática.
Broxar é falta de educação. Nisso ela sempre teve razão. Se a vergonha masculina não lhe impedir de cometer esse crime, que a vergonha social lhe sirva de aviso.

25 – Não falar com ela depois: pergunte se ela gostou.
Há um anúncio clássico do Chivas Regal, acho que dos anos 1970, que diz o seguinte: se você precisa perguntar o preço, é porque não pode comprar.

26 – Não fazer sexo oral se ela pedir: não seja preguiçoso, pois é muito prazeroso para ela. Se não gosta do odor ou do sabor, podem tomar banho juntos antes.

27 – Tentar convencê-la a fazer sexo oral em você: é desagradável, respeite-a.
Item em flagrante conflito com o anterior. Isso não diz muito sobre sexo em geral, mas diz muito sobre ela: ela gosta de receber, mas não gosta de fazer. Direito dela, que tem que ser respeitado. Mas ela se torna uma imbecil ao tentar fazer disso uma regra geral.

28 – Forçar a cabeça dela enquanto ela faz sexo oral.

29 – Segurar a cabeça dela também não vale: não é tão ruim quanto o item anterior, mas pode agoniá-la.
Essa moça nunca leu Hamlet na vida. Se lesse, saberia que há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a sua vã — e põe vã nisso, porque não há nada mais vão que discutir putaria — filosofia.

30 – Ejacular na sua boca sem perguntar: o sêmen não é um manjar.
“Distinta senhora, se me permitis a indiscrição, consentirias se eu esporrasse em vossa cavidade oral?”. Deve ser lindo. Coisa mesmo de distintos cavalheiros.

35 thoughts on “Manual do Bem Foder

    1. Putogune

      A minha esposa sempre k tranzo com ela é a primeira a libertar e fika cansada.uki devo fazer?

      Reply
  1. Alexandre Pinheiro

    mas comentando o post …..
    de rolar de rir a namorada de coelhinha, já pensou?
    sem falar em outras inúmeras estórias ouvidas, como do cara que passou anestésico pra enrabar uma aí … bem … já sabem né …
    enfim … isso aí deve ter vindo da turma de estocolmo, veio não?
    abrasssss

    Reply
  2. Cássio

    A moça fode com algoritmo. Não dá pra comer uma criatura que quer que a safadeza vire isso.

    Reply
  3. Aucilene

    Rafael, cara… eu me divirto muito lendo você, cara! Depois me pego lembrando e rio feito uma “abestada”. rsrsrsrs
    E mando link pra amigos lerem… e se não lêem, não me conformo… copio e mando por email, só pra depois comentar e rir junto. rsrsrs.

    Valeu!

    abção!

    Reply
  4. victor freire

    vem cá, não era melhor ela programar um robô pra fazer esse tipo de coisa não? porque exigir regra na autêntica hora do vamos ver é pau.

    deve ser inglesa.

    Reply
  5. Cris

    kkkkkkkkkkkkkk…….tô rindo imaginando a cena da moça vestida de coelha com uma cenoura na boca, kkkkkkkkk, ótimo.
    Concordo com vc, não dá para ter regras. Simplesmente amo homem com barba de um dia.
    beijos

    Reply
  6. keila lima

    Que meu namorado nunca veja essa bosta desse manual!!
    kkkkkkkkkkkk
    Ela é frigida!!! hauhauha

    Belo comentário Rafael!!

    Reply
  7. Bruno

    Não sei se o pior é ter uma mal-comida dessas fazendo regras imbecis ou o Rafa gastando seu… erm… ‘valioso’ tempo dissecando seus pensamentos. =)

    Reply
  8. Raphael de Onã

    Caro amigo, li toda a postagem e é com muito gosto que digo ser um seguidor de Onã. Mulheres, objeto de desejo de muitos homens, por muitas vezes podem trazer problemas sociais bem como com nós mesmos. Por esse motivo sigo a Onã, só Ele me conforta e ser um Onanista me proporciona um prazer imenso na hora e lugar que eu quero, não dependendo assim de outro ser. Gostaria, caro amigo, de lhe trazer para o lado de Onã, o lado do Supremo Senhor! Seja autônomo, ame a ti mesmo e não pense duas vezes ao dizer não para àquela que pode um dia lhe fazer mal! Onã é o Senhor, somente Onã salva! Grande abraço.

    Reply
  9. Junior

    Boa noite caro Rafael

    Com certeza vos digo, toda generalização leva indubitavelmente ao erro. Para esta garota, todas as rosas devem ser vermelhas assim como todo dia de sol deve fazer calor.

    Abraços

    Reply
  10. Alexandre Pinheiro

    porra
    q merda de bicho é esse q aparece em meu comentário
    pq não aparece minha bela foto que tenho em meu blog, e que já arrasou inúmeros corações femininos brasil afora?
    porra … não fode!

    Reply
  11. Cris

    Faço minhas as palavras do nosso colega Alezandre Pinheiro…que diabo é essa figurinha esquisita que aparece aí qdo a gente comenta?

    Reply
  12. ninguem

    bla bla bla ‘porque incomoda’, ‘porque agonia’, ‘é desagradável’.
    garota rídicula.

    avançar sem perguntar? perguntar se ela gostou no final? ACHAR q ela vai ficar de quatro?
    menina rídicula. ridícula e fresca.

    ‘então, ja posso por meu pau em vc?’. E se eu quiser dar de quatro? isso me faz um ‘objeto sexual’? isso é um problema? tománucuviu.

    Reply
  13. Gi

    A mais engraçada é a última, sem sombra de dúvidas. E muito mais engraçado foi seu comentário! ;-))

    Reply
  14. Renata L

    …a minha preferida foi a 25 – concordo integralmente com o comentário. Se alguém virasse e me perguntasse “gostou?” seria a última vez…

    Reply
  15. Andréa

    Essa moça quer é fuder com a trepada alheia!

    Mais um manual feminino envergonhando a classe…

    Reply
  16. Te

    Cáspita, essa de não jogar a camisinha no chão é… não tenho palavras. Só falta pedir que dobre as roupas e ponha em cima da cadeira. Imagino o coitado tentando satisfazer essa senhorita: ou sai correndo gritando ou enfarta.

    Reply
  17. Don´t piss in the glass

    Como dizia o grande filósofo Juca Chaves:
    “Oh musa dos meus sonhos, de cabelos cor de trigais…
    Consintais que eu introduza, no por onde vós mijais…”

    E cadê a referência da criatura sobre caminhos alternativos, quando a “via de regra” estiver interditada?

    Reply
  18. namorado

    jogar a camisinha no chão é falta de civismo, é chato as pessoas terem que saber, que neste lugar fez-se amor. como se diz, sexo não tem geografia, esta sempre a envadir o nosso mapa.

    Reply
  19. Mello Maneco

    Será que esporrar na boca faz parte do melhor sexo?
    A minha namorada não gosta de sexo anal, como posso fazer com que ela gostar?

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>