Pensamento do dia de Rafael Galvão, o filósofo do povão

A vida é dura.
E quando não é, é broxa.

7 thoughts on “Pensamento do dia de Rafael Galvão, o filósofo do povão

  1. Rafael,
    Não recordo bem da estória, que li na Der Spiegel há muito tempo, mas era alguma coisa assim: alguém chegava para um filósofo (Descartes? Voltaire?) e dizia: a vida é dura! O filósofo respondia: comparada a o quê?
    Isso ficou marcado em mim e quem puder, por favor, me ajude na busca da autoria da frase e da resposta. Mas, não há dúvida, a vida é dura! Isso me remete àquela questão, que li também em algum lugar do qual não me recordo, segundo a qual David Hume teria dito que um dos erros de Deus foi o de não ter feito incentivos e desincentivos à motivação humana apenas baseado em gradações de prazer, mas não de prazer e dor como ocorre na realidade. Outro dia desses li o livro Heroina e Rock And Roll, do Nixx Sixx, líder do Motley Crue, onde fica claro que o que inicialmente era só prazer, passou a ser uma escala bipolar de alívio (mas não necessariamente prazer) e muita dor na ausencia da droga.
    abs
    abs,

  2. Eu penso que não, e o argumento que estou tentando defender é o de que dor não está na escala de prazer, mas na escala de dor, pura e simplesmente, e o que era prazer, na abstinencia do uso de drogas, por exemplo, passa a ser dor.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *