Deixai vir a mim as criancinhas

L’Osservatore Romano, o jornal do Vaticano, elegeu os 10 melhores discos de todos os tempos.

Os vencedores foram os Beatles, com o álbum Revolver. Na lista estão ainda o Dark Side of the Moon, também uns discos menos importantes — até o Oasis marca presença. Mas não é isso que impressiona.

O sexto colocado é o Thriller, de Michael Jackson.

Não deixa de ser comovente ver os padres homenageando o seu igual, e mantendo viva a chama do amor excessivo aos infantes.

5 thoughts on “Deixai vir a mim as criancinhas

  1. Excessivo? como assim?! Não! não como assim… mas se eles comem qualé o problema? Não tem aqquela expressão ‘comer como um frade’? pois é, deixa os caras se empanturrarem… uma vez adultos os infantes vão a forra. A vida é assim…

  2. O MJ teve a coragem de enfrentar a justiça e foi absorvido das acusações de crime. O que ficou foi apenas uma relação afetiva com os menores sem contudo configurar-se crime. Afetividade é uma qualidade e não um defeito. Com os religiosos aí sim, houve alguma violência, covardia, e muita hipocrisia. Crimes gravissímos. É sempre muito injusto generalizar os fatos que por si só são bem diferentes.

  3. Bosco, absorções à parte , injustiça foi a sua. Afeto, amor, essas coisas, são palavras de conceito bastante elástico; como afirmar que o afeto (ou apêgo) dos sacerdotes pelas carnes tenras dos garotos n ão seria tb extensivo às suas almas? E, inversamente, porque a lascívia (bela palavra essa…) estaria ausente dos carinhos de MJ ?

    Amor e sacanagem não são incompatíveis …

Comments are closed.