Do obscurantismo

Um padre de uma paróquia importante de Aracaju foi afastado por esses dias.

Motivo simples, embora não oficial: sua namorada estava em estado adiantado de gravidez.

Triste Igreja, essa, que não dá sequer uma simples licença-paternidade para seus padres.

10 thoughts on “Do obscurantismo

  1. Se fosse com uma criança, seria bem mais fácil: ele simplesmente seria transferido de paróquia e tudo seria abafado.

  2. Triste mesmo! O que eu conheço de filhos de padres por aí…!
    Obscurantismo foi a palavra ideal!

  3. Os caras chamam Deus de Pai e não querem que ele se reproduza – Ele cria o universo só na masturbação mental

    Já eu chamo Deus de mãe (e de pai)
    E assim, papai-mamãe, entendo melhor como tudo surgiu

    O É, sempre vencendo (e humilhando) o que devia ser…

  4. Sobre a natureza dos povos, refletida em seus padres: “pecado de padre espanhol é cobiça, de padre português é mulher”. Ou seja, parece que os menininhos ficaram para os anglo-saxões.

  5. A Igreja, em geral, em vive um desafio complexo. Acho que muitas das regras deveriam ser “atualizadas”, porém vejo dificuldade de aceitação e até distorção, a depender da forma com que as mudanças sejam apresentadas.
    Moral da história: mudar é preciso, mas eu não queria estar na pelo dos caras lá, não.
    Em tempo: tenho minhas crenças, mas não gosto de instituições que se denominam donas da verdade, como é comum existir nas mais diversas religiões.

  6. Também, não sei porque ele foi contar que ela é sua namorada.

    Há tantos séculos os padres têm filhos no Brasil, nunca ninguém reclamou.

    Esses malditos ultra-montanistas…

Leave a Reply

Your email address will not be published.