Defendendo Dunga

Assisti ao final da convocação a seleção brasileira de futebol para a Copa da África do Sul, e à coletiva posterior.

A primeira impressão que tive foi a da qualidade impressionantemente baixa do jornalismo esportivo perpetrado neste país. As perguntas eram feitas no seguinte tom: “Você tem sua opinião, Dunga, e ninguém é obrigado a concordar, mas…” e “Graças a Deus você não era técnico da seleção em 58, porque senão Pelé…”. Nível baixo demais, de confronto, feito por gente que deveria ter vergonha de pronunciar a palavra “profissional”.

Logo depois foi a vez das mesas redondas nos canais esportivos. Normalmente, mesas redondas são cenários de bobagens ditas com ar de autoridade e ânimos exaltados, mas a animosidade contra Dunga, as críticas exacerbadas, tudo isso passou a impressão de que a escalação foi uma surpresa absoluta. Naquele momento, Dunga parecia ser o arauto do futebol-arte que, de repente, tinha traído seus ideais e abdicado do futebol brilhante que o Brasil pode jogar em função de uma covardia repentina, de uma mudança súbita para um futebol sem surpresas e feito para, antes de tudo, defender. O sujeito que, depois de três anos e meio fazendo de sua seleção algo de dar inveja a Telê Santana, jogou fora os seus jogadores para catar cabeças-de-bagre retranqueiros.

Eram os mesmos jornalistas que vinham elogiando o sujeito, ainda que com um muxoxo, porque ele vinha ganhando as competições que disputava.

A única opinião sensata foi dada pelo Juca Kfouri. Segundo ele, Dunga montou a seleção que se esperaria dele, definida em função de um objetivo bem específico: ganhar a Copa do Mundo. Não era a seleção que o Kfouri convocaria, mas era uma seleção respeitável e, acima de tudo, competitiva.

Dunga tem sido perseguido pela imprensa desde sempre. Em 1990 foi tomado para Cristo de uma seleção que não era sua culpa, em 1994 o ridicularizavam quase que por reflexo condicionado– e sequer conseguiam reconhecer que ele não apenas desempenhou bem o seu papel naquela copa, como até mesmo surpreendeu com lançamentos excelentes para Romário.

O mais engraçado é que, do jeito que esses jornalistas sérios e competentes falam, ficou parecendo que essa é a primeira seleção “de resultados” que se monta no Brasil. Que até a véspera da convocação este país era o palco de seleções que jogavam como em 1982, ou ainda melhor. A se acreditar nos jornalistas brasileiros, as seleções de Lazaroni, Parreira, Zagallo e Scolari foram prodígios do toque de bola solto e do ataque inconsequente. Fiquei com a impressão de que a minha memória me traía, e nenhum deles convocou seleções medianas; umas melhores, outras piores. Eu achava que desde 1982 não via uma seleção que realmente enchesse os olhos, apenas eventualmente seleções que claramente tinham chances de ganhar, como a de 1994; eu estava enganado, porque esses jornalistas me disseram.

Afinal de contas, esperavam o quê? Ganso, Robinho e Neymar no ataque? Quem ainda esperava isso em maio de 2010 acompanhou ainda menos que eu o futebol brasileiro nos últimos quatro anos. Dunga convocou o que se podia esperar que ele iria convocar. O Milton Ribeiro, por exemplo, acertou virtualmente todos os convocados. Aqui e ali algumas surpresas realmente estranhas, como Grafite e Kleberson. Mas nada que não pudesse ser previsto.

Ao que parece — e aqui falo sem muita certeza porque não acompanhei — esses anos de preparação de Dunga foram, ao menos, mais sérios que as eliminatórias disputadas por Luxemburgo e Scolari — Léo Costa, Tinga, lembra? E ao que me dizem foi uma seleção que venceu tudo o que disputou. No mínimo, Dunga é digno de admiração por não ter ouvido o cacarejar da imprensa esportiva, que se deleita em pedir os times que atendem a suas idiossincrasias ou interesses e crucifica qualquer um que não ganhe a Copa– e não faz uma conta entre esses dois aspectos, beleza e competitividade, porque isso não lhes interessa.

Eu, pelo menos, lembro ainda das críticas que Telê Santana enfrentou em 1982. Jô Soares tinha um quadro humorístico em que ele implorava a Telê, de um orelhão — na época ainda se usava orelhões — que levasse um ponta-direita. Mais ainda, lembro da crucificação de Telê depois da derrota, da sua demissão e substituição primeiro por Parreira, depois por Evaristo de Macedo, e sua volta às vésperas da Copa de 86. Logo depois da derrota para a Itália ninguém apareceu com a conversa de “futebol-arte”, de como era melhor perder mas jogar bonito. Em vez disso reclamaram do burro, do idiota, do jumento do técnico.

Ontem mesmo, diante da virada do Grêmio sobre o Santos, os mesmos que esculhambaram Dunga já falavam que o time de Ganso, Robinho e Neymar é lindo no ataque mas, ao precisar se defender, se perde.

Se alguém quer minha opinião, acho essa seleção de Dunga medíocre no sentido clássico da palavra, mediana. Ao mesmo tempo, é como disse o Juca Kfouri: uma seleção competitiva, escolhida para tentar ganhar a Copa do Mundo. Não questiono, de modo geral, as suas escolhas. É um estilo de jogo e pronto, e nem sequer é inédito entre as seleções brasileiras. Acho apenas, como o jornalista Paulo Vinícius Coelho, que ele errou no banco de reservas, que poderia ter sido mais criativo ali, até porque em algum momento pode vir a ser necessário uma mudança de estilo de jogo. Um jogador excepcional como Ganso teria lugar em qualquer seleção, com qualquer idade. Finalmente, Zidane provou ao Brasil — duas vezes seguidas — que um meio-campo criativo é capaz de destruir qualquer esquema tático, mas nenhum técnico brasilerio parece ter aprendido a lição ainda.

O que mais irrita é saber que, se qualquer um dos sábios que esculhambou Dunga fosse técnico profissional e tivesse que convocar uma seleção para uma Copa do Mundo, provavelmente faria a mesma escolha: um time que aposta no futebol de resultados porque o verdadeiro objetivo para a CBF é vencer, ainda que jogando feio. É para isso que ele é contratado. Infelizmente, não acho que vá conseguir. O Brasil vai chegar classificado ao terceiro jogo, contra Portugal. Dificilmente será desclassificado nas oitavas; o mais provável é que chegue às semi-finais. No entanto, o Brasil não vai ganhar essa Copa, porque algo no mapa astrológico da FIFA me diz isso, e porque a festa brasileira está reservada para daqui a quatro anos.

(Obviamente, torço para estar errado.)

Eu, pessoalmente, prefiro ver o futebol de 82, ou mesmo o que o Santos tem jogado. Mas também gosto de comemorar uma vitória de Copa do Mundo, e para quem viu a sua primeira com uma seleção como a de 1994, qualquer coisa já é lucro. Se puder ter os dois ao mesmo tempo, ótimo. Se não puder, a esta altura da vida, me contento com qualquer um dos dois.

A maior parte das pessoas, no entanto, prefere vencer. Os jornalistas também, apesar do seu discurso hipócrita — e se viram hipocrisia e forçação de barra nos apelos ao “comprometimento” e ao “patriotismo” de Dunga, eu vejo também na sua grita incansável, pronta a detonar qualquer técnico que não vença, jogando feio ou bonito.

31 thoughts on “Defendendo Dunga

  1. Rafel, você está virando uma enciclopédia futebolística ! Concordo com o seu texto, alías, sempre achei Dunga um cara comprometido com a sua profissão, como jogador e agora como técnico. Tem suas convições e acredita nelas.

  2. Sobre a convocação, eu só faria questão de Ganso. No resto, como e para que inventar? Dunga ganhou tudo o que disputou, certo?

    P.S.- Acho que tenho uma revista Trivela cuja capa é uma foto de Dunga. Manchete: “PEDE PRA SAIR!” Beleza!

  3. Além do ‘futebol de resultados’, fica a idéia de que ele montou um suposto grupo de jogadores interessados MESMO, que valorizam mesmo a seleção, quase um time de monges, sem jogadores muito geniosos/festeiros. (apesar do Adriano, que estava nas graças do Dunga e que precisou se esforçar por MESES pra ficar de fora).

    Mas daí eu penso: o Felipão foi campeão com os Ronaldos, Roberto Carlos, Vampeta, etc. Técnico bom deveria saber domar ego de jogador, não?

  4. Estou torcendo sinceramente para que a seleção seja eliminada na primeira fase.

    Não é impossível.

    Quero que Teixeira, Dunga e toda essa curriola vão para o raio que os parta.

  5. não acompanhei a coletiva, nem os ultimos jogos da seleção.

    mas me parece que, apesar de malhar os jornalistas, vc concorda um pouco com a indignação deles quando diz que Ganso deveria estar pelo menos no banco.

    e tô ligado que vc só gosta da copa por causa “dA Bunda”.

  6. A seleção de Dunga não venceu tudo o que disputou: fracassou amargamente nas Olimpíadas, último sonho de consumo ainda não conquistado pela CBF.

    No geral, concordo com você, Rafael. Talvez o único ponto em que tenho outra visão é sobre a relação da imprensa com as seleções de Lazaroni, Parreira, Zagallo e Scolari. Nenhuma delas passou batido nas críticas, e nenhuma delas é lembrada hoje de uma forma muito positiva.

    Em geral , eles dizem que a de Lazaroni é o “fundo do poço”, a de Parreira (94) só ganhou nos pênaltis e porque Romário estava em um mês iluminado, a de Zagallo carecia de criatividade (lembra como foi sofrido o caminho até a final?) e a de Scolari era o time de um Ronaldo e um Rivaldo brilhantes, e só.

    Também acho que vale a pena tentar entender as razões da malquerência geral com o Dunga.

    Erguer uma Taça dizendo um baita palavrão é só uma pista do tipo de ser humano que ele é…

  7. isso me fez lembrar de quando, ao apresentar o filme “anticristo” em cannes, lars von trier foi colocado contra a parede por um jornalista, que perguntou nada mais nada menos que: “o sr. poderia fazer o favor de explicar o que fez naquele filme?”

    obviamente o jornalista tomou uma tunda do trier (que foi meio arrogante na resposta, mas enfim): tanto dunga quanto o diretor dinamarquês possuem uma boa margem de discricionariedade em suas atividades, embora por motivos diferentes; dunga, por que se trata de um técnico que pode julgar o que é melhor para a seleção brasileira sem ter que dar satisfação a quem quer que seja, a não ser seus superiores e comissão técnica; e trier, por que afinal de contas trata-se de uma obra artística. assiste quem quer, gosta quem quer.

  8. Luiz, a Seleção das Olímpiadas foi a grande experiência de Dunga.
    Ali estavam Hernanes, Gaúcho, Pato, Diego, lembro que Dunga tentou ali buscar meios de fazer a criatividade deles funcionar, e quem sabe aproveitá-la no time principal.
    O 3-0 pra Argentina na semifinal apenas sepultou o que já capengava.
    Milton tem razão: dos convocados, no máximo Ganso.De resto, qualquer invencionice seria pedir pra perder a Copa.
    Comparto do palpite do Rafael: este time chegará no mínimo às semi. Se passa disso, não sei, muitas variáveis na coisa…mas é um dos grandes favoritos.
    E não tenho nenhum medo de confrontar a Argentina, não são páreo: contra eles, não há futebol bonito que justifique derrota, e com esse time não perdemos pra eles.

  9. Não gosto das entrevistas de Dunga. Tem pouco traquejo, cai na provocação, dá aos carniceiros o que eles querem (turrice, rosnares). Fosse eu, flanaria plácido pelas perguntas, até que um deles perdesse a linha e eu o mandasse ser retirado do local pelos seguranças. A imprensa da bola, modo geral, salvo um que outro aqui e ali, é uma máfia arrogante. Pior que revista de fofoca.

    De resto, Dunga faz um excelente trabalho. Ou, pra quem discorda, ao menos o trabalho para que foi contratado: “moralizar” a seleção, acabar com o ambiente de festa, de oba-oba, e formar um time unido. De uma certa forma (enviesada, vá lá), evoca uma expressão usada muitas vezes por aqui para explicar bons momentos do Grêmio: “um time de operários”, onde todo mundo levanta parede e come marmita.

  10. Paulinho,
    Rapaz, tu por aqui? Gostei. 🙂

    Marcus,
    Nada numa Copa é impossível. Mas é altamente improvável que o Brasil seja desclassificado antes das quartas de final.

    jv,
    Eu acho que Ganso deveria estar lá — mas isso não quer dizer indignação. Além disso, todo mundo tem a sua seleção na cabeça. Na minha até Ronaldinho iria para o banco. Mas respeito a escolha do técnico, até porque é o dele que está na reta. E se eu fosse jornalista eu tentaria ser, ao menos, educado.

    Luiz,
    Acho que não me expliquei bem. Eu lembro de todo mundo fazendo críticas às outras seleções, antes e depois da Copa o que ajuda e complicar ainda mais as coisas: estão brigando com Dunga por quê, afinal? Qual a surpresa?

    Quanto às Olimpíadas, eu não acho que dê para comparar. Como o Brasil não leva os gatos das seleções africanas, ela é sempre uma seleção dente-de-leite. 🙂

    Tiagón,
    Você definiu a imprensa esportiva: “máfia arrogante”.

  11. Só acho que Felipe Melo, Julio Batista, Doni, Gilberto, Robinho, Gilberto Silva e Kaká baleado tá longe de formar um time competitivo! Acho que dessa vez vai ser Messi na cabeça….
    E sobre comparar o caso do Neymar com o Pelé foi provocação do Dunga, o repórter perguntou da situação, assim como foi com o Ronaldo em 94, ninguém comparou ninguém, ele que preferiu fazer média e demonstrar o patriotismo que ele tanto defende…

  12. Rafa,

    Acho o Dunga a expressão máxima do anti-futebol. Lembro que em 90 eu morri de raiva com a presença dele no time, e que em 94 eu tive que engolir minha raiva e concordar que ele foi peça fundamental na vitória da seleção brasileira. Em 94 a seleção tinha a cara do Dunga e foi a pior seleção a vencer uma copa. Se ele ganhar a copa com essa seleção, vou continuar achando que ele é retranqueiro e que representa tudo o que o futebol não deveria ser. O Dunga é alemão. Ou deveria ser. “Na alemanha eles jogam algo que parece futebol. E funciona.”

  13. Oi, concordo contigo sobre esta perseguição ao Dunga, aliás lendo os comentários observei q uma pessoa acha q ele é de origem alemã, e ,infelizmente, por preconceito já meteu o pau, mas ele descende de italianos. Realmente acho q ele é péssimo nas entrevistas, pq não tem jogo de cintura, ou melhor: não é hipócrita, responde como não deveria, mas cada um deve ser respeitado como é, mas isso aguçou a podridão da mídia esportiva, a ponto de qq pergunta ser uma afirmação e não um questinamento. A mídia dá um microfonaço em Dunga, mas exige liberdade de expressão, isso não é uma contradição?Esta mídia hipócrita, através de Paulo Vinícius Coelho, logo após a escalação e o colega de emissora ter levedo uma chapuletada, pq todos os “jornalistas” já sabiam q não teria réplica, mas o mesmo ficou na insistência, pq sua perg não foi coerente…a vontade é tanta de criticar o Dunga , q muitos não conseguem nem elaborar uma pergunta q preste, pq a pergunta tem q ser para afirmar q o Dunga está errado a qq preço, aliás nem precisa perguntar, era só afirmar, é uma aula de democracia esta mídia, não fazem lobby nenhum, aliás está se tornando nojenta, pq não pararam. Bem, o PVC , simplesmente, ligou para o Felipe Melo , e queria q o cara , recém convocado, provasse para ele , pq ele era um dos nomes q constava na lista do Dunga, tipo o q ele fez na Juventos q o assegurou na seleção…uma aula de falta de ética, de falta de educação..o Felipe Melo , imagino q estranhando aquele louco e insistente( aliás quem viu pode-se dizer q o cara parecia um drogadito), perguntou se ele era jornalista, ao q o PVC agressivamente respondeu: eu sou jornalista e vc é jogador? O Felipe Melo desligou o tel, o q foi atribuido q era peculiar a seu caráter agressivo como jogador. “Peraí”, onde estamos, será q a mídia acha q engana alguém? Será q pensam q somos mera massa de manobra? Pagamos TV a cabo e estes lixos q deveriam agir como jornalistas, agem como jornalixo…nosso dinheiro é destinado a emissoras q tem em seus quadros, PVCs, MauroCezarPereira(adora chamar o Dunga de arrogante, mas será q já parou para se olhar no espelho?), Arnaldos( faz uma posse de pessoa séria e q ética é tudo de bom, mas depois grava vídeo no youtube, chamando o Dunga de burro). Na TV aberta a coisa fica ainda pior. Fiquei aqui pensando: há muito tempo vem ocorrendo uma inversão de valores na adolescencia, mas qd se vê adultos querendo corrigir os jogadores, os “grandes” jornalistas fazendo fofoca e escandalo com qq coisa q ocorra da vida pessoal dos jogadores, se dizem os grandes sábios, mas se contradizem, pois são iguais ou piores q um Bruno q disse q estava se lixando para a torcida. Os caras pregam moral de cuecas como se todas as pessoas fossem um bando omissos burros e concordinos, será q não se dão conta ou preferem nem querer saber, q o tempo passou, as coisas mudaram e as pessoas deveriam ser respeitadas, sendo simpatizante da mesma ou não.Ninguém é obrigado a gostar da outra pessoa, mas tem o dever de respeitá-la.Os grandes jornalixos acham q por terem feito uma faculdade(os q a tem) são superiores a quem não as tem. Este PVC é um tipo de jornalista…risos… q qd discorda de alguém, parece q roubaram um carrinho dele, ele tem q se vingar a qq preço. O q fizeram com o Felipe Melo, com o apoio do Trajano e do Juca e de toda mesa, foi execrável. Aliás se falarmos em copa em todas elas estes infelizes arrumam alguém q tem q ir, custe o q custar. Claro q Ganso e Neymar não tem q ir, eles podem ficar nervosos e convulcionar….risos…já temos esta experiência. O Ronaldinho Gaúcho é metido a super star, não fecha com o perfil destes jogadores, pelo menos é a minha visão. Mas primeiro a mídia em coro , e qd fazem coro a gente pode colocar as barbas de molho: pediram Ronaldinho, depois veio o lance meio tímido do Roberto Carlos, mas não assumiram muito( ninguém esquece a meia, eles o pintaram assim , agora não dá pra apagar), e no final veio o lance de Ganso e Neymar, mas quem assistiu o sub20, o Ganso foi acho q em todas as partidas substituido, pq não jogou nada. Na sub 17 o Neymar tb não apresentou seu futebol. Sejamos francos: se tu vais montar um time para ganhar, no mínimo os jogadores não deveriam treinar antes, se entrossar…estes jogadores já estão entrossados, mas Ganso,Neymar e Ronaldinho não.Ninguém me convence, q Ronaldinho é o cara q decide…isso o mauro Cezar cansou de dizer. Olha , se o Dunga fosse irresponsável ele levaria as malas, e qd o Brasil tivesse perdendo mandava entrar, bom afinal eles s~~ao de decidir a qq momento, q o façam….seria sacanagem com o povo, mas não com estes lobbystas q defendem liberdade de empresa e não de imprensa. Eu não suporto ver a humilhação q estão submetendo ao Dunga e a todos os jogadores.Ainda por cima inflamam os bobocas de Neymar e Ganso a rebaterem o Dunga , o Ronaldinho tb rebateu…eles jogam para os 2 lados, tipo fazemos qq coisa por algo q renda falatório…q renda pelo menos 2 dias de comentários das grandes mesas de “debate” esportivo.Eu gostaria q a Seleção vencesse, pois seria um cala boca nesta gentalha.

  14. o ataque é bom … luis fabiano joga em qualquer time, robinho é craque, nilmar tbm .. e grafite é matador .. confere
    a defesa tbm é boa … lucio a juan arrebentam, luisão é bom
    o meio serve, kaka é craque
    daniel alves é bom jogador, não tem o que dizer
    julio batista confere tbm .. decide, já provou isso
    gilberto e felipe melo conferem, chegm junto
    kleberson arrebentou em 2002, como gilberto silva … sei lá .. tbm fazem bom meio , têm toque de bola e sabem marcar
    helano e os demais que citei tbm não comprometem … fecham com o estilo de jogo do time de dunga e estão para ganhar sim … o time já provou isso, sem dúvida
    enfim, como as demais seleções que chegaram junto, têm bons nomes, afinal de contas um time que tem jorginho e bebeto, não pode ser tido como só romário, assim como um com ronaldinho gaucho jogando muito não é apenas rivaldo (o nome da copa) e ronaldo
    em ambos os times, 94 e 02, com muitos mais bons nomes, sem dúvida
    é time para chegar, e não surpreendeu em absoluto .. é tudo que dunga já havia fechado há tempos, sem surpresa, exceto grafite, uma vez que adriano fez de tudo para não ir, e mais um pouco
    sem dúvida um time para chegar
    não é de sonho, mas time de sonho é isso mesmo .. um sonho
    grande abrassss

  15. Rafael,

    Seu comentário é mais uma crítica bem endereçada ao jornalismo esportivo do que propriamente uma defesa de Dunga. Agora, se você pensar bem, vai ver que as duas partes sofrem do mesmo problema, a sede de vitória da CBF (e a vontade de ter um técnico no qual se possa instalar rédeas) desnatura tanto quando a submissão incondicional dos jornalistas ao público, e o medo de errar que os impede de criticar na vitória.

    A falta de criação na seleção brasileira de fato é um problema histórico.

    Mesmo assim, embora as convocações no Brasil sejam sempre polêmicas, nessa o grau é incomparável. Não se pode dizer que foi uma surpresa, mas o número de queixas e pontos objetáveis, eu te digo, é inédito. Nem em 94 foi assim! Vamos esperar/sonhar que ele saque um cabeça de área e coloque Daniel Alves, e junte Nilmar aos outros atacantes. Essa seleção ainda pode ficar veloz e com cariz mais próximo ao do futebol brasileiro.

  16. O que é o futebol “brasileiro”? O que vejo de ano para ano são muitos estilos de futebol sendo jogados de norte a sul do Brasil.

  17. Parabéns, Rafael, pelo belo texto.
    Só não entendi muito bem a defesa do Dunga. O cara é do meio e está lá para fazer um papel bem definido pela CBF: aposentar a seleção que disputou a Copa de 2006, aquela dos “recordes pessoais”. Isso ele fez com maestria.
    Montou um time competitivo, ganhou títulos, classificou a seleção com folga nas eliminatórias. Isso de certa forma aumenta a antipatia dele com a imprensa, que quer escalar a seleção no grito. Mas isso de certa forma também contamina a população, que acaba achando que o cara é um merda. Não é a minha escalação favorita mas é uma seleção competitiva. Tal como você também acho que a nossa festa vai ser em 2014, em casa.
    Mas eu também acho que o Dunga não ajuda nas entrevistas coletivas. Ele parte para o confronto aberto com a imprensa especializada, ou máfia arrogante, como já bem definido num comentário anterior. Se ele tem direito a não receber a tréplica, a imprensa usa e abusa da edição de imagens, o que só faz ele parecer ainda mais arrogante nas matérias que são publicadas. Mal ou bem a seleção é brasileira, não é dele.
    Quanto as críticas na convocação, quando não foi assim? Qual seleção gozou de unânimidade nesse país? Não a de 1970, muito menos a de 1982.

  18. Denise,

    Não tenho preconceito contra alemães ou qualquer outro estrangeiro. A minha comparação se refere à qualidade do futebol apresentado pelos alemães, que está longe de ser um futebol divertido como o brasileiro. Eu sou brasileiro e gosto de ver o que por muito tempo se chamava “futebol arte”. Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga, é tão brasileiro quanto eu, já que nasceu e cresceu no Brasil (aprendi o nome dele em 1990 e nunca mais consegui esquecer), mas é alemão, futebolísticamente falando. E o futebol alemão está para o futebol brasileiro assim como a Lua está para o Sol.

  19. Bem, Allan, numa comparação mais precisa, melhor seria dizer que o futebol brasileiro estaria para a poesia assim com o futebol europeu está para a prosa… mas isso é uma outra historia.
    Rafael, o fato é que nosso futebol foi contaminado pela ‘eficiência’ da prosa dos volantes de contenção. Foi invadido pela cultura futebolística do além sudeste.
    Enquanto prevaleceu a supremacia do Sudeste, o futebol brasileiro esbarrou várias vezes na mais pura poesia. E quando digo isso desprezo a origem natural dos jogadores.
    A pobreza futebolística de Rio e Minas, por exemplo, deu espaço aos bruta-montes, aos volantes de contenção. Volantes de contenção e churrasco são duas coisas que combinam muito bem. Aliás, deveriam chamar os atuais futebolistas de ‘bombachas’.
    Que saudades do Samba!
    O futebol atual não tem a sutileza de um pão de queijo, de um Reinaldo, ou de um chopinho, de Romário.
    A equipe do Santos é um exemplo da longa e trágica agonia pela qual padece o futebol poesia, o tal do futebol brasileiro. O Santos atual é uma espécie de último suspiro do futebol arte.
    Tenho absoluta certeza de que se Ganso e Neimar brilhassem como volantes de contenção eles estariam na copa!
    Essa coisa da coerência me enche os bagos. Principalmente quando ela se torna o único propósito.
    Um exemplo tˆpico, de como funciona a nova mentalidade futebolística, foi a partida entre Santos e Grêmio; O time do Santos perdeu o primeiro jogo mas deu um balão no Grêmio. Só com muita sorte o timeco do Grêmio ira superar o Santos na Vila.
    Independente do resultado do próximo jogo, a cultura da defesa, dos volantes de contensão, estão tão arraigadas que é unanime a opinião de que o jogo de volta, na Vila, será difícil para a equipe do Santos, uma equipe que meteu três gols no Grêmio em seu próprio estádio. Se no lugar do Santos fosse uma equipe argentina, de conceitos futebílisticos com latitudes iguais às novas pretenções do futebol brasileiro, a equipe do Grêmio já estaria devidamente descartada.
    O futebol brasileiro está sempre na contra mão, e atualmente caminha pela direita. É um tipo de futebol que, desprezivelmente, se presta a um tipo de ideologia que vagueia, entre tantos lugares, também nos estádios, cada vez vez mais aburguesado.
    O Dunga, representante dessa categoria ideológica, é uma espécie de FHC, ou PSDB do futebol, só tem vistas para a classificação. E no fundo no fundo representa apenas um timeco que joga na retranca, que tem medo de atacar.
    Eu me cago pela ditadura da vitória e pela coerência do Dunga. Se em tantos anos gloriosos de futebol de verdade só fossemos três vezes campeões mundiais, pouco me importaria, bastava.
    De resto, a imprensa sempre foi o que é.

  20. Concordo com sua opinião.

    Aproveito pra pedir que me esclareças com sua nunca suplantada capacidade esclarecedora: Medíocre e mediano, não seria a mesma coisa?

  21. Rafael,

    Tudo bem que nas Olimpíadas os africanos vão com todas as espécies de felinos. Mas a última nós perdemos para “los hermanos”…

  22. Concordo com seu texto em gênero, número e grau!!

    Até à convocação, cada um brasileiro tinha sua própria seleção, depois dela, todos tem a mesma. Quem torce contra é um imbecil!

  23. Dunga fiquei muito arrazada com a derrota do brasil mais estou do seu lado torcendo por você eu acho que você foi um otimo tecnico você acreditou nos jogadores infelizmente um tinha que perder !!!não fiqeu triste com as criticas todo mundo erra tem milhões te apoiando e eu com muito prazer sou uma delas!!!Sinceramente não consegui ver o segundo tempo pois meu coração ficou apertado e eu não aguentei ver a derrota do nosso país…Mais você esta de parabéns pelas as escolhas dos jogadores!!!Desejo de coração que você e e jogadores vença esta batalha muitas copas viram e agente vai ver o brasil ganhar o HEXA!!!Não desanime Deus vai esta sempre do seu lado e de todos que foram representar o Brasil….
    Beijos com muito carinho para todos vocês!!!Não fique triste sempre existe uma luz no final do túneo!!!Você não esta nesse incidente sozinho todos nós que acreditamos na sua competência estamos com você…Beijos de uma brasileira com muito orgulho Mônica de Cachoeiro de Itapemirim…

  24. Sou mulher e vou dar minha opinião: Texto excelente, não que eu defenda alguém. Sempre gostei de futebol e acompanho na medida do possível. Os que se dizem Brasileiros criticaram Dunga pela escalação, pois queriam Ganso, Neymar…aquelas figurinhas que tá na modinha do futebol agora(só porque fizeram uma boa campanha no Santos. Quanto tempo isso faz???Pense. E eu que achava que a modinha da hora só existia para as mulheres…digo sobre roupas. Aposto que até Adriano O “Imperador” e Vagner Love estava na cabeça dos Brasileiros e dos que se dizem entendidos do assunto.Acho que até o Ronaldo estava previsto na cabeça de algum curintiano. E a revolta…sobre Ronaldinho Gaúcho não ter ido. Ai Meu Deus, ele não é insubistituível. Mas vamos lá. O Dunga foi o Técnico… com uma personalidade incrível, diferenciada de todos os demais. Nas copas anteriores só convocavam as estrelinhas, os da moda, os do mundo, os baderneiros, festeiros, pulavam o muros, os que iam pra orgias, que saiam com travestis. Ainda hoje tem aqueles que batem nas esposas, namoradas, vão pra favela e andam com os traficantes,não vão aos treinos ou chegam atrasados. Alguns são investigados pela Polícia Feferal. Também tinham aqueles que precisavam dar satisfação ao patrocinador então amarelava. Se for escrever dá um livro. Não tem amor nenhum a camisa…O Dunga escolheu homens com responsabilidade, não só no meio de campo, mas como pessoas que sirvam de exemplo para toda sociedade…com moral, respeito, dedicação, amor a família, e com uma trajetória de trabalho já consolidada. Pesquisem a vida de cada jogador que foi convocado. Agora, quer dizer que perdemos a Copa porque ele Não chamou dois jogadorzinhos que começaram apaecer agora? Pelo amor de Deus…Temos que rever quem é o burro da história.Agora toda Copa o Brasil tem que ser Campeão? Pra quê ter Copa então? Dá logo o título ao Brasil e acabem com a Copa…Tô de saco cheio de tanta mediocridade, desta imprensa safada, destes apresentadores querendo se aparecer, desses artistas que dizem fugir dos paparazzi mas ficam tuitando o dia inteiro para chamar atenção…aff Meus Deus. Depois de tudo isso fico com dó de nossos jogadores, se comparado com os da Argentina…Perderam de 4/0, e foram beijados e abraçados pelo treinador Maradona…Chegaram em seu país e foram ovacionados pelo Povo…E o Paraguai então…Aqui não…Estão perguntando até agora de quem é a culpa…Não é culpa…é um jogo…Sou Brasileira, amo a seleção, minha família ama a seleção e se for a mesma seleção em 2014 estaremos sempre torcendo…Pronto, falei.

  25. Assim como você , digo que antes de mais nada ,nesse país se perdeu o respeito pelas pessoas,sejam elas quem for…mas devemos primeiro elogiar todo bom trabalho que o dunga prestou até aqui….assim como os jogadores da argentina foram recebidos com festa mesmo depois de uma derrota…deveriamos copiar esse exemplo….ja que achamos as argentinos tão arrogantes….hoje estamos agindo como feras….não como pessoas de bom censo que dunga nunca será o salvador da patria….mas ele tentou…

  26. Tenho muita simpatia por pessoas que lutam pelos seus ideais, que se esforçam, trabalham em equipe e são capazes de sacrifícios em nome de um objetivo maior. Dunga é um exemplo de homem que valorizo: raçudo! Ele sempre foi muito criticado em tudo o que se propôs a fazer, mas uma coisa é triste de constatar: o brasileiro detesta os vencedores, os batalhadores, sempre vivemos a cultura do oba-oba, legal é quem não tem responsabilidade ou disciplina, quem chega atrasado ao trabalho, quem falta, quem coloca toda a resposabilidade nas costas dos colegas de trabalho, mas é simpático, “tem carisma”. Porque estes “simpáticos” raramente serão vencedores e quem gosta de ver os outros crescendo? Melhorando? Por isso Dunga é tão esculachado, ele simplesmente vence, até quando perde, vence, porque vencer só se consegue com dedicação e trabalho, e a pífia mídia só aplaude os “gênios” irresponsáveis, os indisciplinados, os que não suportam ser mais um. Um exemplo é o padrão de comportamento dos personagens das novelas: quem é casado tem que trair ou ser traído e assim uma família tradicional não pode ser feliz, quem é religioso é mal visto, quem é estudioso ou trabalhador é chato ou medíocre. Por que temos que continuar aplaudindo essa inversão de valores? Por que o ser humano comum ou o pai de família simples não poder ser o grande astro? Será que temos que estar sempre valorizando a canalhice? A falta de repeito? A imposição de uma mídia podre? Parabéns Dunga! Você infelizmente não levantou o caneco pela segunda vez, mas é um vencedor pela coragem de ir contra essa máfia imbecil televisiva e seguir seus próprios ideais, que nada mais são que reflexo de um ser humano comum criado em um família simples e bem parecida com a de qualquer outro brasileiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published.