Meus filhos da puta

Tenho mania de gostar de alguns grandes filhos da puta.

Como bom baiano, por exemplo, gosto de ACM. Ele é tudo de ruim que dizem dele — e competente, visionário, e autor de grandes respostas.

Gosto também de Figueiredo. Pela honestidade intelectual — era um bronco e não tentava dar uma de grande homem de letras, como Adelita — e pelo fato de preferir cheiro de cavalo a cheiro de povo (no que me junto a ele de bom grado). Ninguém que goste tanto de cavalos pode ser má pessoa de todo.

Bill Clinton é um dos meus mestres. Não por ter sido presidente saindo de um buraco como o Arkansas; mas por ter protagonizado uma das cenas mais requintadas que o Salão Oval da Casa Branca já produziu. É preciso ser extremamente sofisticado para descobrir tão doces usos para um charuto.

Assis Chateaubriand, que beirava a monstruosidade, é outro dos meus ídolos. Um sujeito capaz de forçar Nelson Hungria a assinar a lei Teresoca, um sujeito que criou o império que criou, e que tinha a virulência verbal que ele possuía, só poderia entrar no meu panteão.

Talvez eles tenham qualidades que não tenho. Mas, como bronco e apaixonado por cavalos, desconfio que um dia posso chegar a presidente da República.

6 thoughts on “Meus filhos da puta

  1. Sabe por que eu gosto de gostar de filhos da puta? Porque assim a gente se coloca do lado de fora da redoma dos maniqueístas e politicamente corretos. E sabe por que sou contra maniqueísmo e correção polícia? Porque isso estaciona o mundo. Emperra as coisas. Impede a evolução. É claro que tentar respeitar os outros é importante. E ser politicamente correto também. Mas sem radicalizar, né? Se existe exagero, provavelmente não há reflexão nem questionamentos. E, sem acionar um pouquinho de “maldade” na cabeça, fica tudo estanque. E corremos o risco de sermos injustos defendendo cegamente o que cismamos que é bom.

  2. com todo seu sarcasmo com o povinho, não duvido q prefira os porcos aos cavalos. ACM é uma insulta.

  3. Figueiredo ficou famoso por preferir o cheiro dos cavalos ao do povo! Mas na verdade prefiro abraçar um cavalo suado a ter que me encostar num “carregador de cimento”!

  4. Plataformista, é justamente porque o ACM é um insulto que eu gosto dele. De uma forma diferente, entretanto, da que como milhões de baianos gostam. De qualquer forma, mesmo sendo o primeiro a dizer que ele é um filho da puta, já se perguntou por que mais baianos gostam dele do que, por exemplo, paulistanos gostam da Marta, ou gaúchos do Rigotto? Não estou falando do povinho do interior, falo de gente da capital. E não entendi o “sarcasmo em relação ao povinho”.

  5. O sarcasmo é vc falar bem de todos esse figuras que de uma forma ou de outra subestimam a inteligência de qqr. ser, como o povinho. Eu entendo (eu acho) como gosta desses caras. Tipo, o ACM é daqueles caras que vc olha e tem a nítida sensação que está dando risada da sua cara pois, de alguma forma, lhe escreveu tonto na testa. Infelizmente, só consigo cultivar um ranço por ele. Na verdade, felizmente. Agora, pelo poder de gostar de figuras como esses, acho que o povo ainda pensa no rouba mas faz, e por isso gosta. Acho que o melhor exemplo paulista seria Malufão ao invés da socialite Marta.

Leave a Reply

Your email address will not be published.