Vai, vai, vai terminar a brincadeira

Uma das coisas que o progresso vai deixando para trás, infelizmente, é o circo.

Acho que a maior parte dessa meninada que hoje chega aos 8 anos nunca foi a um circo. Não sentiu o cheiro da lona, da serragem. Não olhou vidrada para o picadeiro, não riu com o palhaço nem ficou de boca aberta com os trapezistas.

Não acho que o cinema ou a TV tenham sido os responsáveis por sua morte anunciada. A experiência de ver um leão ao vivo não pode ser substituída por nenhum documentário do Discovery ou do National Geographic. Se fosse, os zoológicos andariam às moscas. O mais provável é que a própria dinâmica das grandes cidades esteja matando o circo.

Se não me engano, o único grande circo brasileiro de classe mundial que ainda resiste é o Bartholo, que anda aí pelo estrangeiro há muito tempo. Alguns menores tentam levar a bandeira, como o Vostok, mas todos eles parecem condenados à extinção. O Tihanny, o melhor a que eu fui, ainda nos anos 70, desistiu e se dedicou ao music hall, outro gênero que desapareceu há muito tempo.

É uma pena, porque a experiência do circo não pode ser substituída por nenhuma outra. Não dá para interagir com o palhaço, não dá para torcer para que o trapezista não se esbagace no chão, não dá para temer pela segurança do domador, nem tentar ver uma nesguinha de bunda das artistas sem ser debaixo da lona.

Hoje o circo parece condenado ao esquecimento. É uma pena. E, para completar o panorama degradante, de dono de circo o Marcos Frota é rebaixado a palhaço.

12 thoughts on “Vai, vai, vai terminar a brincadeira

  1. Acho que não proibiram bicho selvagem no circo não. O fato é que todos eles migraram pra Brasília. Lá eles se alimentam de dinheiro público. (Fiquei com vontade de ir ao circo, de pedir o filho de alguém emprestado para me acompanhar… Afinal, adulto, quando vai ao circo, se encanta mais quando tem a companhia de uma criança).

  2. Ah, faltou dizer que você é craque nos títulos. O gatilho mais rápido e mais certeiro do Oeste, do Norte, do Sul, do Leste… e adjacências. Ô jeito pra dar nome aos bois! Vou te contratar como meu “ghost writer” especializado em títulos. Se quiser escrever o resto também aceito. Mas vou querer falar para todos que é obra minha.

  3. Faltou dizer que os animais selvagens de terno e gravata também adoram acasalar. Com putas caras, claro. E, de preferência, sem produzir filhotes.

  4. cara…sempre tive pavor de circo…sempre achei que aquele troço iria pegar fogo!!! Deve ser culpa do meu pai…que contava umas histórias macabras de um incêndio num circo no Rio de Janeiro…

    • Em toda a internet, você é o único que ainda tinha uma vaga lembrança… até o ocorrido 27/01/2013 em Santa Maria.

  5. Particularmente acho circo uma das formas mais covardes que tem o ser humano de demonstrar sua superioridade sobre aninais originalmente selvagens. E isso data de séculos, é bem verdade que no passado, a diversão chegava mesmo ao cúmulo da crueldade, tendo seu ápice com a morte dos animais. POis bem, o tempo passou, o ser humano acha que evoluiu mas na verdade continua em sua essencia tão cruel como nos primordios da historia, como se ate hoje fosse necessario esse tipo de demonstração de força. Desde pequena sempre odiei circos que de alguma forma exibissem animais selvagens como troféus e jurei que se um dia vier a ter filhos , eles nao compactuarao com isso. Quanto a circos tipo o frances Circo d Sol , esse sim, tem meu aplauso, aquilo sim é arte eacho que essa forma de expressao artistica que deve ser louvada e valorizada.

  6. O tal circo queimou aqui em Niterói, Paulo. O pai de uma amiga de minha mãe morreu nele. O incêndio deu, em compensação, o grande profeta Gentileza ao Rio de Janeiro. 😉

  7. cresci do lado do espaço onde tinha circo DIRETO. Andei na corda bamba e conheci o Renato Aragão e o Dedé. Minha prima ia fugir com o Antony Júnior que era exatamente o RAPAZ DO MONOCICLO. Ê vida!

  8. Gostaria de saber qual o número de pessoas mortas no incendio do circo de niteroi, pois fiquei sabendo que foi a maior tragédia no brasil em número de mortos. Um amigo meu perdeu um filho e uma irmã e ele mesmo ficou muito ferido. Abraços carol

  9. o incêndio do circo norte-americano em Niterói, no dia 17 de dezembro de 196 foi considerado uma das maiores tragédias circenses do mundo. Neste incêndio morreram mais de 500 pessoas, a maioria, crianças. Na antevéspera do natal.

    O empresário José Daltrino, com 44 anos, não suportou ver tanto sofrimento e foi para o local consolar as pessoas e ajudar no que pudesse. Neste momento desaparecia o homem para surgir o profeta. ali onde estavam as cinsas ele plantou um jardim de flores!
    ficou conhecido como Gentileza,
    escreveu em mais de 50 pilatras dizeres abençoados!

    Gentileza morreu, pintaram suas escritas….

    Marisa monte gravou uma musica em sua homenagem… [ gentileza ]

    e um progeto foi desenvolvido!
    hoje, só restam fotos do acidentes, alguns sobreviventes, e as letras de gentileza pelas pilastras do RJ

  10. Até então não se sabe ao certo quantas pessoas morreram naquele fatidico ano de 1961. Porém fiquei curioso de que morreu “GENTILEZA”, por outro lado dizem sobre a musica em homenagem a ele cantada por Mariza Monte, mas o que tenho ouvido e pelo então falecido “GONZAGUINHA”,bem pergunto eu agora se é a mesma musica, nessa a qual menciono GONZAGUINHA, entra faflando do acidente em no circo em Niterói e ai por diante, logo após vem o poema sobre o “PROFETA GENTILEZA” que muitos o considerava LOUCO.

Leave a Reply

Your email address will not be published.