Em defesa da propaganda

Faz tempo que fico de comentar um comentário do AlterEgo sobre propaganda.

Alter não tem a propaganda em alto conceito. Não é uma posição exatamente incomum. Eis o que ele diz:

Não conheço nenhuma propaganda que fale mal do produto que está sendo divulgado. Eu já escrevi sobre isso no dia 27/03. Ao meu ver, omitir características negativas é tão indesejável quanto mentir. Publicidade como é feita, atualmente, ao meu ver é antiética por definição.

Eu discordo veementemente disso.

Na verdade, boa propaganda é necessariamente ética. Não porque publicitários são bonzinhos ou empresas são exércitos da salvação, e nem mesmo porque leis e códigos de ética proíbem isso; mas porque é mau negócio mentir sobre um produto. Basta uma simples experiência para o consumidor jamais voltar a sequer olhar para aquilo: ninguém agüenta ser enganado.

O que a propaganda faz é ressaltar os pontos positivos de um produto ou serviço, e isso é perfeitamente natural. Nesse caso, sim, se pode dizer que a propaganda é parcial. E é, mesmo. Mas alguém conhece um sujeito que chega para uma menina numa boate e diz: “Meu nome é Zé e embora seja uma excelente pessoa, meu pinto é deste tamanhinho”?

O detalhe é que, ao assistir um comercial, ouvir um spot ou ler um anúncio, você sabe quem está dizendo isso, e sabe que ele jamais diria algo contra si mesmo como cartão de visitas, assim como eu ou qualquer pessoa com juízo ou um mínimo de auto-estima.

Paradoxalmente, a propaganda é provavelmente a maior garantia da liberdade de expressão que eu conheço. Se não fosse pela receita publicitária, jornais não poderiam jamais ter independência para criticar ou denunciar de forma isenta. É o que acontece até hoje em absolutamente todas as cidades menores que São Paulo e Rio de Janeiro.

Além disso, em termos de ética, muito mais deficiente que a propaganda, mesmo a ruim, é o jornalismo — e nesse caso, muitas vezes até o bom. Mas esse, por alguma razão esquisita, é sempre tido em alta conta.

6 thoughts on “Em defesa da propaganda

  1. Não acho que seja lixo não, Bia. Acho que propaganda é bode expiatório para muita coisa. Além do mais, nós nos propagandeamos, conscientemente ou não, em muitos momentos da vida. Afinal, tudo passa pela questão de se tentar “vender o peixe”.

  2. tava bêbedo quando fiz o comentário. mas o mundo seria MAIS LINDO sem propagandas, undoubt.

  3. hehehe… Tava de pileque, né? Puxa… Às vezes não há nada melhor do que um bom pileque, né, Bia?

  4. Eu continuo a dizer que omitir é tão ruim quanto mentir. ;cP Princípio ético. É como fazer cirurgia a laser para miopia: se o médico só fala os prós, todo mundo opera… o problema é que tem contras. ;c) E já vi muito médico se dar mal por ter omitido a informação. hehehehe

Leave a Reply

Your email address will not be published.