Bildungsroman

Jeová nasceu em uma família simples no Oriente Médio há uns 5 mil anos.

Apenas mais um deusinho, um entre tantos, indistinto em meio a uma variedade de outros deuses.

Com um pouco de imaginação pode-se imaginar como foi Sua infância, a construção dos ritos, do princípio de arcabouço dogmático.

Os filhos de Abraão se reproduziam como coelhos, e a família virou tribo e a tribo acabou virando nação.

E então Jeová cresceu e virou Deus.

9 thoughts on “Bildungsroman

  1. Ô mundinho velho sem porteira. E ô menino que foi mal educado, esse Jeová. O sujeito cresce, vira Deus e faz o que? Liga o foda-se e desaparece! Sujeitinho preguiçoso! Só passa por aqui para pegar o dízimo. Incompentente de carteirinha!

  2. Penso em Deus como a exteriorização de nossos defeitos. Um chamado a nós mesmos quando oramos, então.

  3. o Bagavat Gita antecipa os fatos do Antigo Testamento milhares de anos …

    tipo, tudo é muito poético, como lírios nos campos áridos do Oriente… a Palavra apenas restrita a uma região do planeta…

    mas temos que acreditar que algo move tudo isto, que se chama Energia, que muitos chamam de Deus, a Energia Primordial…tal tal…nossa!!! que confusao…este assunto sempre me alucina… abraçao

  4. Lau… Esse assunto sempre me alucina também. Afinal, pensa só: se você tivesse nascido camarão, como seria? Talvez você já tivesse virado um recheio de acarajé. Puxa… Cada coisinha mais boba da vida, se pensada de um jeito diferente, é bem capaz de assustar a gente, né? Isso me desgasta tanto que você nem imagina. 🙂 (sorriso para não chorar… hehehe)

  5. Pensemos na palavra “Deus” despida do significado que se refere ao ente antropomórfico, o conceito judaico-cristão. “Deus” seria a palavra agregadora, ou melhor, formadora de um conjunto composto por todas as nossas dúvidas existenciais que ainda não têm respostas. Para toda e qualquer questão que temos, existe pelo menos uma resposta verdadeira. O fato de não conhecermos essa resposta não implica, obviamente, em inexistência dessa resposta verdadeira. Trata-se apenas ignorância, que deflagra insegurança psicológica, natural a todo mortal. Para atenuá-la, nada melhor do que transformar os nossos desejos de uma pós-vida perfeita em crença embasada na pseudo-ciência-filosófica teológica. A lacuna de nossos conhecimentos para esses temas transcendentais ganhou, assim, o nome eufemístico de “Deus”.

  6. deus falou pro abraão que ele ia formar uma nação. foi ter um filho somente aos 100 anos. esse é o problema de deus: ele demora muito!

  7. Certo é que tudo é ilusão. Ontem sonhei que era um passaro voando de volta para o ninho. Será que hoje sou um passaro sonhando que é homem e escrevendo estas bobagens?

Leave a Reply

Your email address will not be published.