A crueldade do "Eu não pensei"

Já devo ter escrito sobre isso aqui antes: não considero ignorância desculpa para absolutamente nada. Talvez seja um pouquinho mais tolerante em relação à burrice. De qualquer forma, a maior ofensa que conheço é chamar alguém de burro. É assim que xingo a mim mesmo.

Ignorância e burrice fazem mais mal ao mundo do que a maior parte dos canalhas e maus-caracteres. São responsáveis pela injustiça, pela falta de beleza, por tudo o que me incomoda no mundo.

A frase que encima este post foi lida em algum livro há mais de 20 anos, cujo título não consigo lembrar. A mim serve como alerta, sempre.

É a ignorância que faz os homens da África acharem que curarão a Aids que os consome se fizerem sexo com uma virgem, assim como brasileiros achavam que o mesmo os curaria de suas sífilis e gonorréias.

Talvez os possamos desculpar pela ignorância e pela falta de raciocínio. Esperemos apenas que as jovens que contraem Aids em sua primeira relação sexual, a maioria apenas crianças, os desculpem também.

One thought on “A crueldade do "Eu não pensei"

Leave a Reply

Your email address will not be published.