De lobos e cordeiros

E o tempo todo aparecem posts ou artigos falando de como o Iraque está bem, como os iraquianos estão felizes com a nova situação.

Não duvido — pelo menos não com muita convicção. Não duvido porque não sei, e prefiro ficar quieto a fazer como tanta gente que não sabe e diz que ele está melhor ou pior.

O problema é que esses posts e artigos geralmente incluem loas aos Estados Unidos. O último que eu li, e que me deu mais náuseas, foi no Socialism in an Age of Waiting, blog inglês que se diz socialista.

Eis o trecho que me fez ter vontade de correr para o banheiro:

After all, Americans fought and died in Europe during the 20th century to save France from Germany (twice), and save Germany from Fascism and Communism, but hatred of America is a reflex action in both countries. Still, the French and the Germans who rant and rave are able to do so in freedom. Just as the Iraqis can now do. Hitler didn’t triumph, Stalin didn’t succeed, Saddam lost. One year after, this is a better world.

Alguém precisa lembrar ao idiota que escreveu isso que a vida é muito mais complexa do que lambedores de bota acreditam. Os Estados Unidos não lutaram para salvar a França; lutaram para evitar que Hitler chegasse aos seus calcanhares (aliás, se é para ser chato, não custa lembrar que eles não declararam guerra à Alemanha; declararam ao Japão depois de Pearl Harbor e a Alemanha, em solidariedade ao Japão por força do acordo que formou o Eixo, declarou guerra a eles). Não lutaram para salvar a Alemanha do comunismo: Stálin fez isso em 1927. Finalmente, ao contrário do que o retardado dá a entender, Stálin teve sucesso, sim — morreu em um país socialista e mais forte do que nunca, que tinha recuperado tudo o que havia perdido no início dos anos 20 e ainda mais. E se o socialismo fracassou lá não foi por causa dos esforços dos Estados Unidos, mas por não conseguir resolver suas próprias contradições. Basicamente, acreditar que países lutem por outra razão que não seus próprios interesses é merecer ser chamado, por um sujeito de um país do terceiro mundo, de completo imbecil.

(O debilóide ainda reclama que a França devia ser grata aos Estados Unidos. Pois gratos deviam ser os americanos, sempre profundamente ignorantes em história, porque sem a França seu país sequer existiria.)

E este é realmente um mundo melhor, um ano depois? Onde? Países onde o terror islâmico nunca tinham atacado são vítimas de assassinatos em massa. Os Estados Unidos conseguiram destruir a melhor organização diplomática que os mundo conseguiu construir em séculos de esforço: hoje a ONU é uma sombra do que foi. Nos próprios Estados Unidos, que sempre admirei por serem um modelo de liberdade individual, os direitos civis estão escoando pelo ralo. A África continua agonizando de fome e Aids. Este é um mundo melhor porque Bush mentiu ao seu país e invadiu outro?

O Socialism in an Age of Waiting está sendo escorraçado do meu OPML. Eu gosto de ler o que dizem os lobos e gosto de ler o que dizem os carneiros, mas tenho uma antipatia incontrolável a lobos disfarçados de carneiros.

3 thoughts on “De lobos e cordeiros

  1. Next time you decide to write cretinous nonsense in reply to someone else’s blog, you should be more careful about who wrote what. The passage you wrote this nonsense about was not written by SIAW, but quoted from Rainy Day.
    Here’s another English word you need to learn: Wanker.

  2. Yes, I should be careful about that; I forgot to say that it was originally by Rainy Day, and that was a mistake, although I included a link to the post. I would apologize for that, if it wasn’t for your kind words.

    But my opinion about SIAW is still the same, for its “gratitude for his saying what needs to be said”. I assume SIAW agree with that. And it’s still a wolf disguised as a lamb.

    And thanks for your interest in improving my English. Next time, please inform me what “jerk off” means.

  3. normalmente acho seus posts inteligentes. Infelizmente toda regra precisa de sua exceção. Vc pode até não gostar dos americanos, democracia é isto, mas não precisa agredir a história deste jeito. Os alemães atacaram navios americanos que enviavam suprimentos para a Inglaterra e os nazistas sabiam que haviam americanos lutando na RAF em 40 e 41. Quando Roosevelt declarou guerra ao Japão, ele o fez de imediato à Alemanha. Não o fez antes pois a opinião pública americana tinha dúvidas se devia se envolver no conflito, embora Roosevelt soubesse que os planos de Hitler afetariam a América LOCALMENTE cedo ou tarde. Havia também um clima de guerra entre os EUA e a Alemanha em função dos embargos dos americanos aos produtos alemães em todo o continente americano.

    Além disto, esta estória de que os EUA declararam guerra à Alemanha por causa do pacto ROBERTO é balela. O Japão era aliado de Hitler e nem por isto atacou a União Soviética, o que poderia ter feito a guerra durar pelo menos até 47 ou 48 com resultados duvidosos para os aliados, pelo menos na Europa.

Leave a Reply

Your email address will not be published.