Gmail, Orkut e Babe, o porquinho atrapalhado

Alguém pode me dizer o que faz as pessoas agirem como as ovelhas de “Babe, o Porquinho Atrapalhado”?

Eu já estava me achando um intocável indiano quando a Tata me mandou um convite para o Orkut. Enquanto isso, as pessoas estavam comprando convites para o Gmail, o e-mail de 1 GB do Google. Virou moda. Ter um e-mail ali se tornou sinônimo de status. Como ninguém me ofereceu um, pedi ao Fredrik Wackå do CorporateBlogging.Info. Ele foi gentil e me mandou o convite imediatamente.

E agora, algumas semanas depois, vi que tudo o que eu imaginava era verdade.

O pior caso é o do Gmail. A questão é que, com 1 GB ou 1 TB de espaço, isso é apenas um e-mail. E dos mais vagabundos, porque é webmail. Aliás, ainda mais vagabundo, porque submete o usuário a propaganda.

Não é sequer por causa do tamanho do espaço, porque desde aquela época o Spymac oferece a mesma coisa, além de alguns bônus como blog e 100 MB de armazenamento pessoal.

A única razão que consigo ver para que as pessoas queiram algo parecido é o fato de a empresa ter gasto um bom dinheiro em relações públicas para criar, em uma sociedade que não sabe o que quer nem aonde vai, a vontade premente de ter um e-mail com a marca Google — que por sua vez é só uma empresa e pode muito bem sumir em alguns anos. É maluquice. Eu ainda estou tentando descobrir o que fazer com o meu Gmail.

E tem também o Orkut.

O único sentido que vejo naquilo é o jogo em si. É tão simples que não sei como não percebi isso antes: ele vale por si próprio. Não tem objetivo. Não tem aonde chegar. Sua razão de ser é ele mesmo, como um jogo de SimCity. Talvez você possa procurar a comprovação da teoria dos seis graus de separação; mas esse é o máximo de significado que você vai achar no Orkut. Ele vale por si mesmo, porque de resto é absolutamente redundante e desnecessário. É engraçadinho no começo, e só.

Certo, as comunidades são interessantes. Mas são pouco mais que uma adaptação da velha e boa Usenet, com alguns avanços e retrocessos.

Ou seja, é tudo velho.

E eu não entendo mais nada. E quando não entendo, acho que basta fazer mééé e tudo bem.

4 thoughts on “Gmail, Orkut e Babe, o porquinho atrapalhado

  1. Rafa vc ainda achou engraçadinho no começo.. e eu nem isso… me limito no máximo a aceitar os “friends”.. vai que alguem se sente rejeitado, se mata , sei lá. mas é só…
    prefiro minhas visitas diarias aos blogs amigos e seus links interessantes..

  2. Já houve uma época em que as coisas (e pessoas) precisavam de algum adjetivo para serem famosas. Hoje, a melhor maneira de ser famoso é ter fama (meio absurdo né?). Mesmo que seja a fama de não ser nada.

  3. pô vcs ainda podem dizer que é ruim e eu que nem tenho o gmail por favor me mandem um convite para que eu possa falar bem ou mal dessa porcaria que está sempre em pauta na internet!!!!!!!!!!!!!!! VALEU BROTHERS

Leave a Reply

Your email address will not be published.